Contas por pagar, salário que não chega ao fim do mês, gastos imprevistos ou até desnecessários? Em algum momento você já passou por isso? Se sim, talvez seja o momento de entender como fazer gestão financeira pessoal.

Para se ter uma ideia, pesquisas feitas pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) mostram que a média de famílias com algum tipo de dívida chega a quase 70% no Brasil. Ou seja, quase 3 em 4 brasileiros.

Isso se aplica a casos como dívidas com cartão de crédito, cheques especial ou pré-datado, empréstimos e prestações, por exemplo.

Como se pode imaginar, a partir do momento em que há dificuldade em manter o equilíbrio financeiro no presente, fica ainda mais difícil de alcançar sonhos. 

Por isso, saber como fazer a gestão financeira pessoal não pode ser visto apenas como uma maneira de manter as contas em dias, mas, sim, como também uma forma de planejar o futuro. 

Inscreva-se em nossa Newsletter

Faça como milhares de empreendedores e receba os melhores conteúdos sobre o mundo Fintech em sua caixa de e-mail.

Do mesmo modo, a saúde financeira também é importante diante de imprevistos, como crises ou problemas de saúde, por exemplo. 

5 dicas de como fazer gestão financeira pessoal

Bem, a parte boa é que, por meio de alguns passos, é possível organizar o orçamento e chegar ao fim do mês sem sufoco. 

Aliás, a partir do momento em que as coisas deixam de fugir do controle, os planos, como viajar, trocar de carro ou de casa, por exemplo, podem ser concretizados.

Sendo assim, dá um olhadinha em 5 sugestões de como fazer gestão financeira pessoal que separamos a seguir.

1. Registre os gastos mensais

Exato. O primeiro passo para “colocar a casa em dia” é saber no que você gasta o dinheiro durante o mês. E atenção: não se concentre apenas nas despesas grandes, como aluguel, prestação de carro ou contas de luz e água. 

Ou seja, anote todos os gastos, todos. Isso se aplica ao café na padaria, ao pedido de pizza para comer em casa, aos “agrados” comprados no supermercado. 

Assim, você terá uma visão ampla e detalhadas dos seus gastos e, desse modo, poderá ver onde é possível economizar.

Para fazer isso, você pode usar uma planilha do Excel, o Google Sheets ou até mesmo o velho bloquinho de papel. Mas também há opções mais práticas, como os programas para controle financeiro pessoal

Alguns exemplos são o GuiaBolso, que pode ser integrado com o aplicativo do banco, anotando despesas automaticamente, ou o Orçamento Fácil, que ajuda a acompanhar os gastos no dia a dia. 

Mapear e controlar os gastos é fundamental para manter as finanças em dias e sair do sufoco (foto: Pixabay)

2. Planeje e estabeleça metas

Qual é meta? Guardar para uma viagem no fim do ano, trocar de carro ou dar entrada em um apartamento em 12 meses? Então, estabeleça metas. 

O planejamento, seguido de metas, pode fazer com que você pense 2 vezes antes de comprar algo que, talvez, não seja uma prioridade no momento. Isso porque se dará conta que, ao fazê-lo, poderá comprometer o prazo imposto para a realização de um sonho.

3. Faça uma reserva os gastos anuais

Você tem um veículo? Então já sabe que em algum momento do ano precisará pagar o IPVA e o licenciamento. O mesmo ocorre com rematrículas, compras de materiais escolares dos filhos, IPTU etc.

Então, além de estabelecer metas financeiras para a realização de sonhos pessoais, igualmente é importante dedicar uma parte mensal do salário para os chamados previstos

Ou seja, se o seguro do carro é de R$ 1.200 ao ano, você já sabe que necessita economizar R$ 100 ao mês. Isso evitará apertos ou que você retire dinheiro de outras partes para pagar algo que já poderia ter feito parte do planejamento.

4. Lembre-se ainda das despesas imprevistas

Como o próprio nome diz, se trata de algo imprevisto: questões relacionadas à saúde, uma reforma de urgência, o veículo que quebra. 

Imprevistos assim podem ter grande impacto nas finanças do mês, principalmente se você não contar com uma reserva de emergência. Por isso, destinar um valor mensal à uma poupança especialmente criada para questões do tipo é muito importante.

5. Dê preferência a compras à vista

Você já se deparou com situações nas quais o salário do mês veio todo comprometido com contas a pagar? Bem, situações assim têm muito a ver com compras parceladas em boletos e cartões de crédito, por exemplo.

Na ânsia de comprar algo, o consumidor pode se esquecer de analisar os juros embutidos na compra parcelada, as taxas cobradas pelo cartão de crédito ou quanto aquilo vai impactar no orçamento do mês. 

Desse modo, o que parece ser uma grande oportunidade pode, literalmente, custar caro e comprometer os salários antes mesmo de eles chegarem.

Por isso, a quinta dica de como fazer gestão financeira pessoal é dar preferência às compras vista, as quais, inclusive, costumam gerar até descontos!

Quer mais sugestões de como fazer gestão financeira pessoal? Então dá uma olhada nas dicas do vídeo abaixo.

Extra: apps que ajudam na gestão financeira pessoal

A tecnologia veio para facilitar o dia a dia, inclusive auxiliando pessoas a entender como fazer gestão financeira pessoal. 

Desse modo, ainda separamos aplicativos que ajudam a controlar os gastos pessoais.

  • GuiaBolso: se trata de um aplicativo bastante completo e seguro, o qual pode ser integrado a contas bancárias e cartões de crédito. O app é grátis e permite separar os gastos por categorias, o que facilita na identificação dos gastos. 
  • Minhas Economias: o aplicativo permite a organização financeira, o controle de gastos e a criação de orçamentos. Igualmente seguro, o Minhas Economias é grátis, mas também oferece versões pagas, as quais disponibilizam mais funções.
  • Meu Dinheiro: além do app, o Meu Dinheiro também tem a versão web, e oferece serviços como gestão de cartão de crédito e de contas, análise das finanças, controle de gastos e definição de metas de médio e longo prazo. Conta com a versão gratuita e a paga.
  • Mobills: também na versão web e app, o Mobills permite o armazenamento dos dados na nuvem, e conta com versões paga e gratuita. Entre as vantagens, estão a possibilidade de categorizar as despesas, ter acesso a gráficos personalizados e gerenciar o cartão de crédito.
  • Sites: como extra, destacamos os sites Contas Online e Organizze, os quais também são voltados para a gestão financeira, e contam com diversos recursos. Ambos contam com versões paga e gratuita.

Saiba mais: Os melhores aplicativos de finanças pessoais: economize e ganhe dinheiro!

Como se pode notar, aprender como fazer gestão financeira pessoal é um tarefa que requer organização, porém, que está longe de ser impossível. Além disso, com tudo organizado, se podem colher muitos frutos e concretizar diversos planos!

Quer ficar por dentro das novidades do mundo dos investimentos e das startups de tecnologia? Então, assine nossa newsletter e receba os conteúdos em primeira mão! Lembre-se ainda que você também pode continuar acompanhando o nosso blog!

Comentários