Quando falamos de indicadores de treinamento e desenvolvimento (T&D), muitos gestores se perguntam: como definir as métricas ideais para minha empresa? Pensando nisso, preparamos um post para falar sobre como garantir a capacitação contínua dos colaboradores, por meio de ações formativas eficazes, que podem incluir as estratégias de e-learning

Por sinal, recomendamos o vídeo do canal RH Academy, sobre a importância de avaliar os resultados das iniciativas propostas, por meio dos indicadores de treinamento e desenvolvimento. Com isso, pode-se verificar se uma determinada ação formativa realmente promoveu as mudanças necessárias, como, por exemplo: um funcionário aprendeu a usar o novo software?

Por que é importante adotar indicadores de treinamento e desenvolvimento?

Dispor de indicadores de treinamento e desenvolvimento eficientes (e acompanhá-los de maneira apropriada) é um ponto-chave para o crescimento sustentado das empresas. Isso porque a educação continuada promove o desenvolvimento pessoal e profissional dos funcionários, o que impacta diretamente na qualidade dos serviços prestados. 

Em outras palavras, o capital humano é um dos principais ativos de uma organização bem-sucedida. Afinal, são as pessoas que realizam as tarefas, operam as máquinas e, enfim, geram os negócios.  

Nessa perspectiva, é fundamental ponderar: se eu não treino esses colaboradores, como eles vão conseguir desempenhar suas funções plenamente? Alguns erros podem parecer inofensivos, mas há outros riscos ocupacionais que geram altos prejuízos, envolvendo até mesmo perdas humanas e materiais. 

Inscreva-se em nossa Newsletter

Faça como milhares de empreendedores e receba os melhores conteúdos sobre o mundo Fintech em sua caixa de e-mail.

Um cenário crítico seria a ocorrência de um acidente grave, por falta de conhecimento sobre como operar uma máquina complexa. Por isso, é essencial adotar medidas de prevenção, visando proteger os indivíduos, assim como o próprio patrimônio e a reputação corporativa.  

Como definir os indicadores de T&D na empresa?

À primeira vista, pode parecer complexo definir quais são os indicadores de treinamento e desenvolvimento adequados para a realidade empresarial. Nesse sentido, vale a pena considerar os seguintes pontos:

  • Quais são as mudanças que você pretende promover? Um exemplo: a equipe comercial precisa conhecer as funcionalidades de um produto que está sendo lançado, para alavancar as vendas;
  • Aquilo que foi aprendido está sendo aplicado no dia a dia de trabalho? Como exemplo: após uma capacitação sobre segurança no trabalho, as ocorrências de acidentes foram reduzidas em uma indústria?;
  • Quais são os tópicos da cultura organizacional que podem ser aprimorados ou trabalhados de outra forma? Para exemplificar: as equipes estão engajadas com as políticas de inclusão social, equidade e diversidade?

Como complemento, indicamos o vídeo do canal Espresso3, com dicas valiosas para superar os desafios na hora de avaliar a aprendizagem no âmbito corporativo.

Os 5 indicadores de treinamento e desenvolvimento mais usados

A seguir, elencamos 5 opções de indicadores de treinamento e desenvolvimento, os quais são bastante utilizados por companhias de diferentes portes, com base nos respectivos planejamentos estratégicos.

Aproveitamento individual

A comparação do desempenho visa mensurar qual foi o nível de transformação, no comportamento ou na rotina, depois da uma capacitação. Esse índice também permite a identificação de multiplicadores internos, que, por sua vez, têm potencial para transmitir conhecimentos e mensagens-chave aos colegas de trabalho. 

Taxa de adesão

Cálculo da quantidade de participantes em um treinamento, comparando com as inscrições efetivadas. Isto é, significa o real engajamento nas atividades propostas, juntamente com a porcentagem do não-comparecimento. 

Taxa de abandono

Já a taxa de abandono diz respeito aos funcionários que não completaram uma ação formativa. Isso costuma acontecer nos cursos que são mais longos e, por conseguinte, pode ser um indicador relevante para rever o conteúdo programático ou ainda segmentar os cursos. 

Custo per capita

Quanto uma empresa “gasta” com o desenvolvimento de cada funcionário? Essa conta compreende os custos com: logística, materiais, transporte, contratação de tutores, alimentação, locação de espaços, plataformas de ensino etc., em relação ao número de participantes.

Um lembrete: a acessibilidade e a flexibilidade do EAD reduzem esses custos consideravelmente! 

Retorno sobre o investimento (ROI)

O famoso ROI pode ser usado em muitas análises empresariais. Nesse caso, trata-se do investimento feitos nas capacitações em face dos resultados para os negócios. Aqui chegamos à questão do custo-benefício: os gastos estão sendo compensados pelos ganhos propiciados por um treinamento? 

Plus: mais 7 indicadores de treinamento e desenvolvimento 

Já falamos dos 5 indicadores de T&D mais utilizados, certo? Mas eles não são os únicos. A propósito, selecionamos outras 7 métricas que podem ser implementadas, de acordo com as necessidades da organização:

  • Reação dos participantes: avalia a percepção do quadro funcional diante de vários aspectos (conteúdo, formato, desempenho de tutores e afins);
  • Tempo médio no investimento em T&D (por pessoa): estabelece a média de horas que cada colaborador dedica às suas formações;
  • Colaboradores alcançados: quantidade de pessoas impactadas pelas iniciativas de educação continuada;
  • Média de treinamentos por funcionário: verificação da média de acesso do quadro funcional aos treinamentos corporativos; 
  • Taxa de treinamento dos multiplicadores internos: apuração da efetiva multiplicação dos conhecimentos adquiridos entre os colegas;
  • Valor total investido: atrelada ao ROI, essa métrica abrange o aumento ou a redução de custos em paralelo aos cursos realizados anteriormente;
  • Indicadores do negócio: alinhamento com as metas definidas pelos gestores, como aumentar a produtividade, na logística ou na área comercial. 

Gostou das dicas dos indicadores de treinamento e desenvolvimento? Vale lembrar que essas métricas devem ser adaptadas para o perfil e o propósito de cada empresa. Aliás, a universidade corporativa é uma excelente opção para colocar em prática as melhorias na educação continuada, contando com um amplo rol de inovações tecnológicas. 

Por fim, veja também outros conteúdos do Blog para inspirar suas ações estratégicas:

Esse post foi escrito por EAD Plataforma, uma solução prática e eficaz para hospedar e gerenciar os cursos online de escolas, faculdades, empresas, franquias e produtores de conteúdo digital. Nós amamos a educação! E, se você tem o dom de ensinar, queremos te ajudar nessa missão! Vamos juntos! 

Comentários