Um dos principais momentos da vida de qualquer pessoa acontece na universidade. Durante os quatro ou cinco anos que estamos nos bancos escolares da graduação ou na pós-graduação, muitas transformações ocorrem, principalmente quando se é jovem. Muita coisa nova, dúvidas, desafios e possibilidades muitas vezes nos levam a tomadas de decisão difíceis porque elas pautaram boa parte da vida adulta profissional. Uma dessas decisões é como dar o próximo passo, ou seja, como pensar e agir quando sair da graduação.

Do ponto de vista de trabalho, são duas as possibilidades: procurar emprego – seja na iniciativa privada ou no serviço público através de concursos – ou empreender, tendo seu próprio negócio, mas engana-se quem acha que essa decisão só é tomada neste momento. Com certeza ela pode e vai ser tomada em outros momentos da vida. E é pela sua importância que pautamos neste conteúdo qual a melhor opção para seu momento de vida: atuar como CLT ou PJ no mercado de trabalho.

As vantagens de ser CLT

A CLT é a sigla que representa a Consolidação das Leis Trabalhistas Brasileiras, ou seja, a Lei que rege as relações de trabalho no Brasil e estipula as regras e parâmetros para trabalhar sob esse regime.

Existem muitas vantagens de se trabalhar sob a CLT com carteira de trabalho, mas sem dúvida os principais deles são os benefícios sociais, como ter direito a férias de 30 dias por ano remuneradas, participar do FGTS (fundo de garantia por tempo de serviço), aposentadoria, licença maternidade/paternidade além de benefícios do dia a dia como Vale Alimentação, Refeição ou Transporte.

diferente do que muitos pensam, não existe na iniciativa privada garantia de emprego. Ser contratado sob o regime de CLT garante que o empregado terá seus direitos legais respeitados e cumpridos mês a mês pelo empregador e tudo isso estará registrado em um contrato de trabalho.

Por outro lado, para ampliar a sua fonte de renda sob este regime, o trabalhador precisará negociar mérito ou promoção com o empregador, de maneira isolada ou através de sindicato em negociação coletiva e cada vez é mais difícil ter ganhos reais em função da retração da economia. Geralmente o mérito não passa de 10% e promoção pode atingir 15 a 20% de aumento para o empregado.

As vantagens de ser Pessoa Jurídica

Durante muito tempo a única opção para o trabalhador era ser empregado de uma empresa sob a CLT. Porém com a reforma trabalhista, algumas situações foram flexibilizadas e uma outra forma de contratação – que anteriormente era ilegal – se tornou opção principalmente para profissionais liberais que exercem profissões regulamentadas, como médicos, engenheiros, advogados, professores, etc.

Estamos falando da contratação de um serviço através de CNPJ, ou seja, como pessoa jurídica regulamentada. Este formato prevê um contrato de prestação de serviço entre um contratante e um contratado, com valor estipulado por tempo ou por entrega. Não há vínculo empregatício e, acordado com o contratante, o contratado pode definir qual a melhor maneira de prestar o serviço e entregar o seu produto.

Existem muitas vantagens desse modelo. A principal talvez seja o pagamento reduzido de impostos através do Simples Nacional para negócios que faturam até 4,8MM de reais anualmente. Outra vantagem é a possibilidade de ter ganhos maiores, não se limitando ao salário, como no caso da CLT. O empreendedor pode ter mais de um cliente, estipular seus horários, alinhar suas entregas e determinar sua rotina. e tudo o que for combinado deve estar escrito no contrato entre as partes.

Assim com a CLT, não existe certeza e garantia de continuidade, porém se você prestar serviço de qualidade, com certeza os clientes virão e você terá ganhos significativos ao longo do tempo. Por outro lado, é importante uma programação financeira maior e uma administração do CNPJ, não deixando atrasar os impostos por exemplo. Enquanto no regime de CLT, o empregador é responsável pelos recolhimentos de INSS, FGTS e IR, quando você tem um CNPJ, presta serviço através dele e emite notas fiscais, o ônus de acerto com o governo é todo seu.

E qual a melhor opção: CLT ou PJ?

Não existe uma melhor opção. é importante que você pense no seu estilo de trabalho e como quer levar a sua vida profissional. Se você não quer se preocupar com tributos, encargos, etc e não se importa de ter um valor que dificilmente vai mudar durante os anos, o seu caminho é a CLT. Você poderá administrar suas férias remuneradas, ficar desempregado, ter acesso ao seguro desemprego e FGTS e ainda receber alguns benefícios que muitos empregadores possuem.

Porém se você quer ampliar seus ganhos, é uma pessoa organizada, empreendedora e que pretende determinar uma semana de 4 dias ou períodos sabáticos na sua carreira para estudar, por exemplo, o melhor é empreender. Você poderá planejar seu futuro, hora focando em atrair clientes, hora tirando o pé para garantir as entregas que fidelizarão os seus atuais parceiros.

Como dissemos, não existe fórmula mágica, mas sim uma tomada de decisão que pode acontecer em diversas fases da vida, não só no início da carreira. Muitas pessoas que trabalharam como CLT durante a vida toda, empreendem quando se aposentam legalmente. Outros, na meia idade resolvem dar uma guinada na carreira e abrem seu próprio negócio. Alguns por necessidades familiares descobrem o empreendedorismo e nunca deixam de ter o controle de suas ações de trabalho. Enfim, uma decisão pessoal, que pode (e deve) ser tomada com apoio profissional de um consultor de carreiras ou de um contador que poderá mostrar os benefícios e as possibilidades de ganho que o profissional liberal pode ter ao ter seu próprio CNPJ. E para isso não há sequer a necessidade de ter sócios. Existem formas jurídicas de constituição de empresas individuais que cabem no bolso e na expectativa do prestador de serviço.Quer saber mais? Leia, conheça a calculadora CLT x PJ que comparam os dois regimes e se informe antes de tomar uma decisão.

Comentários