Diante do sucesso de empresas como Google, Netflix e Uber, centenas de companhias começaram a repensar seus hábitos organizacionais na tentativa de adequar o modelo tradicional ao mundo tecnológico, implementando a chamada cultura startup. Mas, será que vale a pena?

Nos últimos anos, vimos startups alcançando resultados exponenciais, vencendo gigantes que dominaram durante anos seus mercados. O segredo é o modelo de gestão com forte cultura interna, se desvinculando do modelo rígido e ortodoxo que predominou por décadas no ambiente empresarial.

Quer conhecer um pouco mais sobre cultura startup e saber o motivo de implementar na sua empresa? Então, leia o artigo a seguir e descubra!

O que é cultura startup?

Espaço para descanso, sala de jogos, ausência de dress code, lanchinhos à vontade, menor rigidez de horário etc. Quando falamos em cultura startup, a primeira coisa que nos vem à cabeça são os benefícios diferenciados e o espaço jovial e descontraído adotado nessas empresas.

Esses elementos podem e realmente fazem parte do dia a dia de algumas startups. Entretanto, a base dessa cultura vai muito além desses aspectos, chegando a ser a essência da empresa.

Então, assim como pensam os gestores mais ortodoxos – que prezam por regras e códigos de conduta rígidos – a cultura startup se refere ao modelo tradicional de missão, visão e valores?

Sim e não.

A cultura da empresa realmente tem a ver com essas definições. Mas, se elas só estiverem escritas em um canto do site ou no papel estampando nos corredores da empresa, não servem para nada.

Se o que deveria mover sua empresa não está sendo vivido, então não há cultura.

A cultura de startup é o DNA da empresa. Aquilo que se vive, se pensa e se coloca em prática. Porque quando o seu funcionário entende o propósito que o move, ele compra sua ideia e ajuda você a alcançar os seus objetivos e atingir as suas metas. Ou seja, a cultura startup é o segredo das empresas mais admiradas do mundo.

Inscreva-se em nossa Newsletter

Faça como milhares de empreendedores e receba os melhores conteúdos sobre o mundo Fintech em sua caixa de e-mail.

Empresas que adotam a cultura startup

Uber, Nubank, Netflix, Youtube, Facebook, Airbnb, DropBox são exemplos de empresas que prezam pela cultura startup. Elas conseguiram um crescimento tão exponencial que deixaram para trás grandes empresas tradicionais, dominando o mercado em que atuam.

Atualmente, as melhores empresas do mundo não se tornaram o que são apenas por causa de seus produtos e serviços. Elas se tornaram referência pela forma que trabalham, por causa das pessoas que constituem a equipe e de suas crenças.

A Apple, por exemplo, dificilmente conseguiria criar seu modelo de smartphone se não contasse com a sua equipe engajada e uma forma de trabalhar que propicia isso. Assim como o Google, que jamais mudaria o mundo da informação se não tivesse profissionais adequados à sua ideia de trabalho e propósito. 

Muitas das empresas que cresceram e se tornaram bilionárias se dedicaram a criar um modelo que melhora a vida de seus usuários e de seus colaboradores – ao invés de buscar o lucro como objetivo principal. É justamente isso que a cultura startup se esforça para promover.

Qual a diferença entre a cultura tradicional e a cultura startup?

Na verdade, são diversas as diferenças entre a cultura tradicional e a cultura startup. Veja algumas a seguir!

Espaço físico

Nas empresas tradicionais ainda prevalece o individualismo dos setores, com salas individuais e pouca interação entre os funcionários. 

Na cultura startup o ambiente é estruturado para a interação da equipe, que trabalha junta com o mesmo propósito, mesmo que sejam de áreas diferentes.

Descontração

Com a estrutura mais informal, as startups estabelecem uma cultura de maior descontração, com arquitetura mais criativa e postura menos formal, inclusive com ambientes para relaxar e se divertir.

Relacionamento entre gestor e colaborador

A hierarquia do modelo tradicional perde forma na cultura startup. Gestores são mais próximos dos funcionários, adotando uma postura de compartilhamento de conhecimento e valorização da equipe.

Motivação e engajamento

Se no modelo tradicional os colaboradores desempenham suas tarefas visando uma promoção, nas startups o envolvimento da equipe ocorre de forma mais ativa. Os colaboradores enxergam forte ligação com o propósito da empresa, atuando mais ativamente para o crescimento mútuo.

Regras

A cultura startup preza regras mais adaptáveis, pensando sempre em promover equilíbrio entre a vida profissional e pessoal dos seus colaboradores. Por exemplo, em empresas que adotam esse tipo de cultura, é comum que os horários sejam flexíveis e o home office liberado. 

Quais são as características da cultura startup?

A cultura startup carrega valores como inovação, produtividade e economia disseminados pela organização. Outras características são:

  • menos hierarquia e maior autonomia dos funcionários;
  • velocidade na tomada de decisão ;
  • liberdade regendo as atividades desenvolvidas pelas equipes;
  • valorização do profissional;
  • liderança criativa;
  • não ter medo de errar;
  • incentivo a criatividade;
  • ambiente de trabalho descontraído;
  • propósito em resolver problemas dos usuários;
  • foco em promover experiências;
  • mais transparência;
  • incentivo às relações interpessoais;
  • atitudes em pauta.

Por que adotar uma cultura startup?

A resposta desta pergunta você já sabe: porque o espírito de ousadia do modelo gera valor e transforma os esforços empreendidos em dinheiro. Apostar e trabalhar firmemente nessas ideias podem atrair resultados como:

Aperfeiçoamento técnico e compartilhamento de ideias

Com o avanço da tecnologia, tudo muda, o tempo todo. E a atividade desempenhada de uma maneira hoje, pode ter a necessidade de ser executada de forma diferente amanhã.

Por isso, a cultura startup tem a seguinte mentalidade: para ser relevante, diariamente você precisa ser 1% melhor do que era ontem.

Isso significa que, ao contrário do que acontece nas empresas tradicionais, dificilmente o colaborar permanece estagnado na mesma função por décadas, “apenas apertando o botão”.

O ambiente que incentiva compartilhar o sentimento cria um time colaborativo e em constante evolução.

Maior agilidade nos processos

Com um modelo de hierarquia horizontal, a cultura startup elimina grande parte dos processos burocráticos. E junto, a necessidade de dezenas de pessoas aprovarem uma ideia antes dela ser executada.

Com autonomia, todo colaborador tem liberdade de executar projetos, facilitando o desempenho das atividades e, consequentemente, o alcance dos resultados em menos tempo.

Lembre-se: você contratou a sua equipe, confie na sua escolha e no poder de decisão dos seus colaboradores.

Maior engajamento da equipe

O trabalho tem sido cada vez mais associado à qualidade de vida e realização pessoal. Assim, hoje em dia, o desejo de grande parte dos colaboradores é um trabalho que preza pela valorização, respeito, que ofereça oportunidade para o crescimento e que os incentive a se tornarem pessoas e profissionais melhores.

Esses são alguns dos ingredientes para motivar uma equipe, fazendo com que ela se empenhe para dar o máximo em prol do crescimento e dos resultados.

Ambiente de inovação

Não ter medo de arriscar é um dos mantras da cultura startup. E quanto mais ousado e destemido o profissional puder ser, melhores são os insights criativos e as soluções encontradas.

Tente, experimente. E se der errado, faça outra vez até dar certo. Nesse modelo, o erro é não tentar. Afinal, é arriscando que se inova e que se produz algo que gere interesse nas pessoas.

Melhor custo-benefício para a empresa

Uma das principais lições das startups é fazer muito com poucos recursos.

Grandes companhias acreditam que é preciso ter centenas de funcionários, planejamento super detalhado e dezenas de ferramentas específica à disposição.

A cultura startup, ao contrário, preza pela otimização de processos, eliminação de desperdícios e pelo conjunto tentativa e erro. Pois é na prática que se aprende a melhor forma de se fazer as coisas.

Então o segredo – e o desafio – está em fazer o que é possível com o que se tem e onde se está. 

Preparado para adotar a cultura startup?

Esses são os principais motivos para que as empresas saiam do modelo tradicional de estrutura e trabalho.

Mas é importante observar um aspecto. Nem todas vão se adaptar ao espaço totalmente descontraído, equipe horizontal, mutável, de pura ousadia

Ainda assim, todas têm muito a aprender com a cultura startup e devem levar em consideração algumas dessas informações para adotar em sua estrutura e modificar seu posicionamento no mercado. Muito da sobrevivência e do sucesso do seu negócio passa por aí.

Motivação, reconhecimento e produtividade são ações que direcionam o sucesso de uma empresa que preza pela cultura startup

Quer manter seus colaboradores engajados na cultura startup motivados? Acesse o nosso blog e veja outros artigos sobre como transformar e motivar os seus colaboradores

Esse artigo foi produzido pela Xerpa, uma empresa digital focada em motivar os colaboradores das empresas e mudar a vida de milhões de brasileiros. Clique aqui e conheça o Xerpay.

Comentários