Indicadores de desempenho são ferramentas essenciais para qualquer negócio, inclusive para as startups. Com os Key Performance Indicators (KPIs), é possível compreender e acompanhar o progresso da empresa em diferentes aspectos. Assim, fica mais fácil ajustar determinadas estratégias e tomar decisões mais assertivas.

Essas ferramentas são importantes para que as startups consigam prever o seu futuro e ter uma visão ampla sobre o que está dando certo e o que precisa melhorar. Assim, podem fazer um planejamento estratégico mais preciso e assertivo. 

Além disso, esses números podem ajudar as startups a conseguir investidores

Pensando nisso, separamos aqui uma lista com os 6 principais indicadores para startups. Continue a leitura e saiba como mensurar os resultados da sua empresa e se manter no mercado.

6 principais indicadores para startups

1- Custo de Aquisição de Cliente (CAC)

O Custo de Aquisição de Clientes é um dos principais indicadores para startups. Isso porque ele representa a média de todos os custos que empresa teve para conquistar cada um de seus clientes.

Inscreva-se em nossa Newsletter

Faça como milhares de empreendedores e receba os melhores conteúdos sobre o mundo Fintech em sua caixa de e-mail.

Na equação, são levados em conta custos com ações de marketing, campanhas publicitárias, anúncios pagos em meio online e offline, etc.

Para chegar até o CAC, basta somar todos os custos que a empresa com a finalidade de adquirir novos clientes em determinado período e dividir pelo total de clientes adquiridos nesse mesmo período.

2 – Tempo de Retorno do CAC

Este importante indicador para startups mensura o tempo médio que o dinheiro gasto na aquisição de cliente demora para retornar aos cofres da empresa. 

Em outras palavras, o Tempo de Retorno do CAC mede quanto tempo cada cliente vai demorar para consumir, em produtos e serviços da empresa, o dinheiro que a mesma investiu em sua aquisição.

Suponhamos que o custo médio para aquisição de cada cliente seja de R$ 1000,00 e que cada um desses clientes gere uma receita mensal de R$ 200,00. Logo, o Tempo de Retorno do CAC será de 5 meses.

3- Receita recorrente

Basicamente, podemos definir a receita recorrente como o dinheiro que sempre vai entrar no caixa da empresa. Ou seja, é aquela quantia garantida com a qual a startup vai poder contar, proveniente de clientes fixos.

Este é um importante indicador da saúde financeira do negócio e muito visado por potenciais investidores.

No caso da Netflix ou do Spotify, a receita recorrente vem das assinaturas dos usuários desses serviços. O mesmo acontece com academias e empresas de Software as a Service (Saas).

4 – Lifetime Value (LTV)

O Lifetime Value é a média de quanto de receita cada cliente vai gerar durante todo o “tempo de vida” dele com a marca. Geralmente, o tempo levado em conta é o mesmo previsto no contrato.

É de extrema importância que a startup mantenha este indicador sempre em crescimento, pois isso é um sinal positivo da saúde financeira da empresa.

Startups com Lifetime Value elevado tendem a chamar mais atenção de investidores.

Mas atenção para um detalhe. O Lifetime Value deve ser sempre superior ao CAC. Caso contrário, a empresa está saindo em desvantagem, pois o gasto para adquirir um cliente será maior do que a receita que ele vai gerar durante o período de contrato.

5 – Taxa de conversão

A Taxa de Conversão é um KPI importante para medir a eficácia e a eficiência das estratégias de marketing e de atendimento da startup. Ela impacta diretamente nos resultados de faturamento da empresa.

O raciocínio por trás da Taxa de Conversão é bem simples. De todos os leads qualificados, quantos a empresa conseguiu converter em clientes?

6 –  Net Promoter Score (NPS)

Encerrando a nossa lista lista com os principais indicadores para startups, temos o Net Promoter Score.

A satisfação é um aspecto muito importante para qualquer negócio. Para mensurá-la, você pode realizar uma pesquisa de NPS e descobrir o quão recomendável a sua empresa é na perspectiva dos clientes.

A realização da pesquisa de NPS consiste em perguntar para uma amostra de clientes:

  • De 0 a 10, qual a chance de você indicar os produtos e serviços desta empresa para um amigo ou familiar?

As respostas devem ser segmentadas em 3 grupos:

  • Promotores: aqueles que deram nota 9 ou 10;
  • Neutros: aqueles que deram nota 7 ou 8;
  • Detratores: aqueles que deram nota de 0 a 6.

Feito isso, é hora de calcular a taxa de NPS. Encontre a diferença entre o total de Promotores e o total de Detratores e divida pelo total de respondentes. Em seguida, multiplique por 100 para ter um resultado percentual.

A interpretação dos dados pode ser de acordo com a seguinte classificação:

  • Zona de Excelência: de 75 a 100;
  • Zona de Qualidade: de 50 a 74;
  • Zona de Aperfeiçoamento: de 0 a 49;
  • Zona Crítica: de -100 e -1.

Esses foram os 6 principais indicadores para startups. Implemente-os na sua empresa e acompanhe melhor seus resultados.

Este post foi escrito pela equipe da Siteware, uma empresa que une pessoas, operação e estratégia em um único software, para que as empresas melhorem seus resultados, sua comunicação e sua governança.

Comentários