As fintechs transformaram por completo a economia de diferentes setores do Brasil. No caso do futebol, os bancos digitais ganharam espaço como patrocinadores de grandes clubes, como o Corinthians e o Vasco, e continuam a investir cada vez mais. Entretanto, não são apenas as fintechs que estão investindo nos clubes. Os sites de apostas digitais também estão marcando presença, e até com mais força do que os bancos online.

Esses sites mostram cotações e probabilidades, além de trazer dicas de apostas esportivas para torneios do Brasil e do resto do mundo. Dessa forma, as empresas conseguiram espaço para patrocinar diferentes clubes do futebol nacional. Por exemplo, na Série A do Campeonato Brasileiro, 14 das 20 equipes que disputam a competição contam com algum patrocínio de apostas esportivas. O lanterna Goiás e o líder São Paulo estão entre esses 14 times.

O futebol brasileiro está apenas seguindo uma tendência, que é forte no futebol europeu. Na Inglaterra, os sites de apostas estão na camisa de 50% dos clubes que jogam nas principais divisões. Um número que comprova a força dessas plataformas e que deve conseguir um sucesso semelhante aqui no Brasil. Outros países europeus, como Espanha e Portugal, também possuem a mesma forma de patrocínio com os clubes.

Na verdade, essa mudança no futebol brasileiro começou em 2019, logo após a saída da Caixa Econômica Federal dessa área. O banco público decidiu encerrar alguns patrocínios e, com isso, abriu espaço para novos investimentos. Os sites de apostas online aproveitaram para fechar acordos com algumas equipes. Um movimento que também foi realizado por alguns bancos digitais, que também estão presentes no Campeonato Brasileiro.

Os bancos digitais

As fintechs chegaram no futebol brasileiro com os bancos digitais e com investimentos em algumas das principais equipes nacionais. No início de 2019, o BMG fechou um acordo de R$ 30 milhões com o Corinthians e confirmou a criação de uma plataforma digital para os torcedores que abrirem conta no banco. A ideia funcionou, então outros times, como o Atlético Mineiro e o Vasco, também assinaram acordos parecidos.

Inscreva-se em nossa Newsletter

Faça como milhares de empreendedores e receba os melhores conteúdos sobre o mundo Fintech em sua caixa de e-mail.

Além dessas equipes, os bancos digitais também chegaram no Flamengo. Em 2019, a equipe com a maior torcida do Brasil assinou um acordo de R$ 15 milhões com o banco BS2. O objetivo também era explorar o alcance do banco digital.

Recentemente, a equipe trocou de patrocínio e acertou com o tradicional BRB. Entretanto, essa parceria só aconteceu porque o banco brasiliense também está buscando digitalizar as operações e quer crescer no mercado. A melhor forma de marketing para mostrar isso foi com o patrocínio do time rubro-negro.

Essas novas tecnologias estão chegando em diferentes áreas e o futebol brasileiro não fica de fora disso. Os sites de apostas e os bancos digitais começaram a explorar essas parcerias apenas recentemente, e isso deve crescer ainda mais nos próximos anos. Em busca de cada vez mais condições financeiras, as equipes do Campeonato Brasileiro não vão recusar bons acordos com fintechs ou empresas que funcionam 100% online e conseguem pagar bons valores de patrocínio.

Comentários