Uma legaltech (junção dos termos “tecnologia” e “legal”) é uma startup focada no setor jurídico. Os produtos que oferecem podem incluem softwares para administrar informações, bancos de dados, sistemas de análise, que podem até indicar o cálculo de probabilidade de ganhar uma ação. 

Esqueça aquela imagem de escritórios de advocacia com pilhas de papéis espalhados pela mesa. Graças à tecnologia, hoje é possível unir a sofisticação de IA (inteligência artificial) ao setor jurídico. Vendo esse nicho, startups cada vez mais buscam suprir as necessidades do mercado. São as legaltechs, empresas jovens, inovadoras e focadas no mercado jurídico.

Neste post, você encontrará o que é legaltech, empresas que oferecem o serviço e as vantagens no dia a dia de um escritório de advocacia. 

Mas, afinal, o que é legaltech?

De acordo com Richard Tromans, fundador da Tromans Consulting e do Artificial Lawyer, site de notícias que cobre IA e automação na área jurídica, o termo legaltech (tecnologia + legal) refere-se à indústria legal, ou seja, ao setor jurídico como um todo. Diferentemente de lawtech (tecnologia + lei), que se aplicaria somente ao exercício da advocacia, da lei.

Segundo dados da OAB, de outubro de 2019, o Brasil possui 1,1 milhão de advogados, ou seja um advogado para cada 190 habitantes. Além de milhões de processos que tramitam na Justiça. Neste caso, a morosidade da Justiça é lucrativa, resultando em um faturamento de 1,7% para empresas do ramo, segundo dados da revista Exame

Inscreva-se em nossa Newsletter

Faça como milhares de empreendedores e receba os melhores conteúdos sobre o mundo Fintech em sua caixa de e-mail.

Um estudo da Thomson Reuters feito em exclusividade para a revista EXAME mostrou que 40% dos escritórios entrevistados buscam soluções de automatização de processos, já que é algo que demanda muito tempo dos funcionários e uma ferramenta do tipo pode otimizar esse trabalho. 

Os produtos oferecidos por empresas de legaltech podem variar de softwares para administrar informações, desde a criação até o arquivamento, banco de dados que centraliza os documentos por cliente/casos, até avançados sistemas de análises de dados, indicação de tendências e até mesmo cálculo de probabilidade de ganho e perda de causas.

Principais problemas enfrentados em escritórios de advocacia

  • Falta de centralização de e-mails e documentos em um só lugar;
  • Falta de controle a quem acessou, alterou ou imprimiu documentos;
  • Falta de segurança da informação a ameaças internas e externas;
  • Informações não compartilhadas de forma eficiente;

Vantagens das startups de legaltech

Além de saber o que é legaltech, é importante conhecer também as vantagens que oferecem.

As startups de legaltech buscam identificar os problemas dos escritórios de advocacia para encontrar soluções tecnológicas que resolvam ou reduzam o tempo com tarefas burocráticas a fim de melhorar a produtividade. Algumas das vantagens:

  • Maior controle de prazos;
  • Maior organização de processos por cliente/ caso;
  • Maior segurança contra ataques internos e externos;
  • Controle de quem teve acesso à arquivos;
  • Redução de custos às empresas e aos consumidores;
  • Integração de dados que facilitam tomadas de decisões.

Leia também: Advocacia 4.0: o uso da transformação digital por advogados

Segmentos de atuação das startups de legaltech

  • Escritórios de advocacia; 
  • Bancos e financeiras; 
  • Cobrança e recuperação de ativos; 
  • Business Intelligence; 
  • Indústria e comércio; 
  • Varejo; 
  • Consultorias e boutiques de M&A

Legaltech teve crescimento de 40%

Com o ano atípico de 2020, no cenário de pandemia, diversas empresas buscaram alinhar seus modelos de negócio fazendo fusões, novas aquisições, fechando e abrindo empresas. O setor jurídico foi bastante procurado para que essas transações fossem feitas conforme as leis. 

De acordo com o portal Terra, o setor teve um crescimento de 40%, pois as empresas não podem perder tempo e com a ajuda tecnológica, um processo que antes demoraria meses, leva muito menos tempo para ser concluído. Além de não quererem arriscar que o novo parceiro de negócio tem o nome envolvido em escândalos de corrupção ou crime ambiental, por exemplo. 

Empresas legaltech de destaque no Brasil

Depois de entender o que é legaltech e quais são as suas vantagens, vamos conhecer duas empresas de destaque do mercado no Brasil e os principais serviços que oferecem.

1. Finch Soluções

Legaltech - Finch Soluções
Fonte: Finch Soluções

A Finch Soluções surgiu em 2013 e já desponta com uma das melhores no setor. Atende uma impressionante carteira de clientes como Bradesco, Itaú, Banco Original, Banco Pan, BTG Pactual, Ifood, Mercado Livre, C6 Bank, Drogasil, entre outros gigantes.

Oferecem uma plataforma de soluções com foco na otimização de grandes volumes de fluxos recorrentes, prometendo eliminar atividades manuais de baixo valor, com melhoria de gestão e embarque de tecnologia em conjunto com o ser humano. 

Algumas das soluções oferecidas:

  • Gestão de fluxos e processos de backoffice;
  • Gestão de transações;
  • Cadastro automático;
  • Gestão de fluxo logístico;
  • Ofícios;
  • Geração de narrativas.

2. Kronoos

Legaltech - Kronoos
Fonte: Kronoos

Com o nome em referência ao deus grego do tempo, já imagina qual é o principal serviço oferecido? A empresa promete executar em minutos o que um humano demoraria dias, semanas ou até meses.

A plataforma oferecida pela startup garante segurança em uma busca de informações em mais de 1300 fontes para conferir a credibilidade de pessoas e empresas. Em 2019, a Kronoos foi finalista do Prêmio Idei@ABBC, promovido pela Associação Brasileira de Bancos (ABBC). Dentre as soluções oferecidas pela empresas podemos destacar:

  • PEP – Pessoas Politicamente Expostas 

O Kronoos promete um banco de dados altamente estruturado, com todas as pessoas consideradas politicamente expostas, definidas pelo COREMEC, incluindo familiares, sócios e empresas que possuem participação societária. 

  • Responsabilidade socioambiental 

Prometem a detecção se determinada pessoa ou empresa, sócios ou familiares possuem algum envolvimento com crimes ambientais, emprego com mão de obra infantil e/ ou análoga à de escravo, crimes contra a organização do trabalho, crimes contra a criança e o adolescente.

  • Antifraude, lavagem de dinheiro e terrorismo 

A Kronoos promete extrair informações relevantes de fontes de pesquisa, tais como Receita Federal, Tribunais de Justiça, Diários Oficiais, Listas Restritivas, Birôs de Crédito, Google, Dados Cadastrais, sites da ONU, OFAC, INTERPOL, entre outros, em forma de dados estruturados, otimizando a o tempo de análise das informações coletadas. 

  • Análise de mídia e clipping 

A Kronoos promete uma atualização diária com notícias de todo o Brasil e, por meio do CPF/CNPJ, efetuam análises, correlações e clipping digital em relação à escândalos de corrupção, lavagem de dinheiro, fraudes, terrorismo, entre outros, de modo que o cliente possa consultar essas informações no momento da pesquisa. 

  • Processos em tribunais e Diário Oficial 

A plataforma promete pesquisas de processos em tribunais de todo o Brasil, incluindo as varas Cível, Criminal, da Família, do Trabalho, Estadual, Federal e da Fazenda Pública. As consultas são feitas diretamente nos portais dos tribunais e também no Diário Oficial, por nome e/ou CPF/CNPJ, com a possibilidade de acompanhamento processual semanal/mensal. 

  • Bureaus de crédito e listas restritivas 

A Kronoos promete buscar nos principais bureaus de crédito em âmbito nacional, utilizando fontes como como RFB, Serasa, Protestos em Cartório, CCF (Cadastro de Emitentes de Cheques sem Fundos).

O que esperar no futuro para legaltech?

Legaltech

Alguns escritórios ainda utilizam muita papelada, principalmente os menores, já que uma plataforma pode ser bastante cara. Especialistas esperam que as startups criem cada vez mais soluções para que a IA consiga fazer parte cada vez mais da rotina do judiciário e os escritórios sejam digital only

Bernard Marr, colunista da Forbes, acredita que no futuro, será concebível que uma empresa seja acusada de negligência jurídica se não usar inteligência artificial (IA). Richard Susskind, especialista do setor jurídico, espera que haja muito menos casos julgados em um tribunal tradicional, havendo menos necessidade de advogados em nome de clientes em um tribunal, por exemplo.

Richard aponta previsões de transformação intensa ao judiciário como o “pensamento de resultado” quando a tecnologia é capaz de resolver disputas sem exigir advogados ou do sistema judicial tradicional. Ele acredita que dentro de um número relativamente pequeno de anos teremos sistemas que podem prever resultados das decisões judiciais com base em decisões anteriores usando análise preditiva.

Gostou de aprender o que é legaltech? Inscreva-se na nossa newsletter para receber os conteúdos da Fintech em primeira mão. Leia também: Digitalização de Processos: como a transformação digital pode reduzir custos

Comentários