Desde a sua criação em 2009 a criptomoedas vem revolucionando o mundo das finanças! Tendo como características principais a segurança, a descentralização e a privacidade nas transações, a moeda digital  já é considerada uma das tecnologias mais disruptivas de todos os tempos. E ainda que tenha fechado o ano de 2018 com resultados questionáveis em relação ao ano anterior, as criptomoedas continuam atraindo novos investidores no de 2019.

Apesar da grande demanda, uma questão ainda paira entre os iniciantes neste modelo de negócio: em qual moeda digital devo investir? Existem outras formas de investir em blockchain além das criptomoedas? Se esse também é seu caso, não se preocupe, também já estivemos no seu lugar! Procurar uma criptomoeda é realmente complicado em um cenário com milhares de opções. Por isso estamos aqui para te ajudar!

Mas antes de entender mais sobre as criptomoedas, vamos te dar um pouco do contexto deste mercado.

Entenda o mercado de criptomoedas antes de investir em blockchain

2017 foi o ano em que o mercado de criptomoedas explodiu. Segundo dados do CoinMarket, a capitalização de mercado das criptocorrências teve um crescimento de 4000%. E ainda que em 2018 tenha passado por um período provação, com a sua maior queda em termos percentuais e uma perda de valor de 70%, a popularidade das moedas digitais só aumenta.

Uma das razões desta popularidade é a tecnologia blockchain, que nada mais é do toda a engenharia computacional por trás das criptomoedas. Utilizada pela primeira vez para a criação do bitcoin, esta tecnologia funciona como um grande banco de dados que funciona de forma segura e confiável.

O blockchain é a bola vez! E se você também quer saber mais sobre como investir nesta tecnologia, vamos começar pelas criptomoedas que utilizam o blockchain.

Antes de começar a investir:

Antes de começar a investir, preparamos uma lista de perguntas que vão te ajudar a comparar as opções disponíveis e também tomar a decisão mais assertiva na hora de escolher a melhor criptomoeda:

  • Quantos países reconhecem e aceitam esta moeda?
  • Qual o seu nível de segurança?
  • Há quanto tempo está no mercado?
  • Qual o histórico de desempenho?
  • É possível converter esta moeda em outro ativo financeiro?

Pensando nos seus investimentos:

  • Qual lucro você espera ter com este investimento?
  • Quanto de perda você aceitaria?
  • Você tem tempo para acompanhar o mercado das moedas digitais e suas notícias?
  • Você é capaz de fazer análises técnicas do mercado de criptografia? Neste caso, se a resposta é não, você precisa dar um passo para trás e aprender antes de investir.

Refletir sobre estas perguntas te dará um bom parâmetro para a sua tomada de decisão.

Em qual moeda investir?

Agora que você já sabe por onde começar, conheça as principais moedas do mercado e suas diferenças nas questões de investimentos:

Bitcoin

Segundo o CoinMarket é a moeda com maior capitalização do mercado, cerca de 40%. Pioneira e a mais famosa, é a responsável por democratizar a criptoeconomia.

Ela é estável e vale bastante o investimento, porém recentemente vem sofrendo com a falta de escalabilidade e com a saturação no mercado.

Se sua ideia é entrar no mercado com um menor fator de risco, o bitcoin pode ser uma boa ideia. Apesar da crise de 2018, o tamanho e estabilidade desta moeda podem garantir lucros em 2019.

Ethereum (ETH)

Esta é a terceira maior da lista no que se refere a capitalização de mercado. Desde o seu lançamento no ano de 2015, com 12 milhões de moeda pré-mineradas, o ETH cresceu 13.000% e foi o melhor investimento para 2018.

Assim como a grande maioria das moedas digitais, o ETH também está passando por uma baixa, mas este é um fenômeno do mercado atual como um todo. Esta moeda também sofre com questões de estabilidade, porém a solução já está em andamento por meio de um novo sistema tem como objetivo não só consertar esse problema, como alavancar o preço do Ethereum nos próximos anos.

Assim como o Bitcoin, esse é um investimento de risco quase zero e pode ser uma opção interessante para quem está entrando no mercado e não quer arriscar muito.

Ripple (XRP)

Esta é a segunda maior moeda na lista por capitalização de mercado. Com um valor atual abaixo de US$1,00,  é uma das opções com preço mais atrativo. E ainda que ela não tenha potencial para explodir como a Bitcoin, devido a quantidade de moedas em circulação,  vale o investimento devido a boa aceitação pela economia geral.

Diversas instituições confiáveis, como o MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts), também tem aceitado o Ripple como uma forma de pagamento e seu desenvolvimento está estritamente ligado com diversos bancos, o que nos faz acreditar que esta opção terá um crescimento consistente.

O ponto fraco fica por conta da baixa descentralização da criptomoeda. Porém, os desenvolvedores anunciaram planos de melhoria.

Stellar (XLM)

Desenvolvida para ser uma opção mais rápida, simples e fácil de utilizar no dia-a-dia, a Stellar tem um perfil muito parecido com a Ripple.

Isso porque, ela também possui um mercado secundário de contratos inteligentes e funções bancárias que aumentam seu peso e garante mais confiança em uma possível valorização. A combinação entre a agilidade das transações e os valores muito baixos cobrados em seu procedimentos, tem feito com que esta moeda aos poucos venha ganhando o mercado.

Ela tem um fator de risco mais alto do que o Ripple, mas também pode se mostrar lucrativa em 2019.

EOS

Criada com a proposta de resolver os problemas da Ehtereum, a EOS ainda garante uma plataforma de múltiplas soluções que vão desde contratos inteligentes até transações instantâneas com valores quase que gratuitos.

Por isso, esta opção pode ser uma forte promessa para investimentos. Se ela cumprir o que vem prometendo, terá uma grande valorização no próximo ano, mas é um investimento de risco.

Passo a passo de como investir em blockchain e em criptomoedas

Se você já está certo que esta é uma boa opção de investimento, saiba por onde começar:

  • Passo 1 – Decida em que tipo de moeda quer investir

Todas as criptomoedas são  baseadas na tecnologia blockchain, então para quem procura como investir em blockchain, qualquer criptomoeda é compativel.

  • Passo 2Decida quanto quer investir

Não esqueça da volatilidade do mercado, por isso é muito importante começar aos poucos. Feito isso, a próxima etapa é tomar a decisão mais assertiva sobre o melhor momento de fazer a sua transação.

  • Passo 3 – Faça sua primeira troca

Com as análises feitas e as decisões tomadas, você está pronto para fazer a sua primeira troca, que nada mais a ação de compra e venda de criptomoedas dentro do mercado digital. Confira algumas opções de trocas confiáveis:

Após selecionar a sua troca você deverá:

1 – Configurar sua conta:  nesta etapa você deve preencher diversas formas de identificação pessoais requeridas.

2 – Conectar Banco: conecte uma ou mais contas bancárias à sua conta de troca. Qualquer compra ou venda que você fizer será deduzida ou depositada desta conta bancária escolhida.

3 – Faça sua primeira troca: depois de criar uma conta no seu câmbio escolhido e adicionar uma conta bancárias você fará a sua primeira transação. Para isso, você deverá navegar até a opção de compra, selecionar a quantidade de moeda para comprar, inserir seu endereço de criptomeda, confirmar a compra e pronto! Agora é só aguardar até que o valor comprado chegue até a sua carteira.

  • Passo 4 – Compre criptomoedas: é hora de mergulhar no universo das criptomoedas!

A partir de agora você poderá decidir se vai comprar criptomoedas usando cartão de crédito ou em uma troca. A decisão deve ser tomada com base na velocidade que você deseja concluir a transação, de quais taxas está disposto a pagar e toda aquela listinha de comparação que já falamos acima.

No vídeo abaixo o especialista da área de Economia do Mercado Bitcoin Lucas Pinsdorf, deu outras dicas valiosas para quem está iniciando sua experiência no mercado de criptomoedas:

Como investir em blockchain além dos bitcoins e das criptomoedas

Com mencionamos mais acima, atualmente a utilização do blockchain vai muito além das criptomoedas e tem ganhado lugar de destaque em investimento de diversos outros segmentos graças ao blockchain.

Inclusive são as grandes empresas que têm assumido a liderança quando o assunto é investimento em blockchain. Conheça algumas outras maneiras de como investir em blockchain de forma segura:

Ações em empresas de blockchain:

Como o blockchain tem potencial para se tornar uma tecnologia amplamente utilizada e transformativa entre os mais diferentes segmentos, uma forma de investimento nesta tecnologia é a compra de ações de grandes empresas que trabalham com esta tecnologia.

Se o blockchain se tornar um produto de sucesso dentro do portfólio desta empresa, o investidor também poderá se beneficiar financeiramente dos resultados atingidos.

Mas lembre-se que este tipo de investimento em ações exige tempo e paciência para o retorno.

Crowdfuding

Este é o modelo de iniciativas de financiamento colaborativo.

No Brasil desde 2011, esta ferramenta tem sido utilizada para alavancar os mais diferentes tipos de projetos e tem tornado possível a implementação de muitas ideias sem a necessidade de empréstimos bancários.

Esta alternativa permite que empreendedores ou desenvolvedores de uma ideia recorram a um empréstimo ou um financiamento coletivo online em um ambiente em que os próprios usuário da rede validam e financiam os projetos.

A ideia é usar a internet para divulgar todos os detalhes de desenvolvimento do projeto e arrecadar o valor necessário para implementá-lo. Do outro lado da tela, os internautas acessam o conteúdo e decidem se querem ajudar na viabilização por meio de doação, empréstimo ou até mesmo virando sócio do projeto. Conheça as modalidade do crownfuding.

Muitas empresas que hoje estão no mercado, foram criadas a partir do crownfundig. Uma das primeiras a realizar este feito foi Coolest Cooler, que com uma arrecadação de US$ 13,3 milhões, cativou os internautas graças ao desenvolvimento de uma caixa térmica que agrega rádio, liquidificador, recarrega celular, iluminação interna e divisórias para organização.

ICOs:

Esta é a abreviatura de Initial Coin Offering. É igual a um IPO. Isso significa que alguém oferece aos investidores algumas unidades de uma nova criptomoeda. São geralmente utilizados para o financiamento e desenvolvimento de uma nova criptomoeda.

Empresas de soluções em blockchain:

Se a ideia é apostar na tecnologia em si, a alternativa é investir em startups que oferecem este tipo de solução. A medida que esta tecnologia cresça, terão que existir empresas que ofereçam estas soluções, que neste caso são as startups, para a implementação nos mais diversos segmentos, como bancos, caixas automáticos, sistemas corporativos.

Veja três exemplos de cenários promissores para o blockchain em diferentes mercados que podem ser desenvolvidos por estas startups:

Instituições financeiras: podem utilizar o blockchain para criação de sistemas à prova de invasão, que protege tanto os dados de usuários quanto da empresa contra ataques cibernéticos.

Indústria: pode se beneficiar da transparência do blockchain em cadeias de suprimentos, que não apenas identificar falsificações, mas também fornece a informação sobre as etapas do processo de forma global.

Mobile: utilizar o blockchain em aplicativos em celulares para as mais diversas transações como títulos financeiros, programas de fidelidade e pontuação, compras online, entre outros. O blockchain garantia transparência, segurança e a confiabilidade em todas estas transações.

Riscos de investir em blockchain e em criptomoedas

Muitos ainda questionam se a febre das criptomoedas será passageira. O problema atual é que muitas das instituições financeiras tradicionais ainda relutam em utilizar o sistema blockchain. O argumento é que ao utilizar este sistema a empresa não teria nenhum respaldo ou não estaria protegida pela lei.

Outro ponto importante a ser considerado é que se trata de uma moeda com grande volatilidade, isso quer dizer que da mesma forma que se pode ganhar muito dinheiro rapidamente, a perda também pode ocorrer com a mesma velocidade.

Resumindo: a criptomoeda não oferece nenhuma garantia de benefícios, nem tampouco, tem um reconhecimento mundial oficial.

Agora que você já sabe tudo sobre como investir em blockchain e em criptomoedas, não deixe de acessar nosso site e conferir todas as novidades do setor https://fintech.com.br/

Comentários