Financiar imóveis é uma das formas amplamente usadas para que muitos consigam ter a sua casa, no entanto, ele costuma ter uma duração longa e o valor da parcela pode pesar no orçamento.  Por isso, talvez você tenha se perguntado se vale a pena pegar um empréstimo para quitar um financiamento imobiliário,certo?

Essa dúvida é comum, afinal o brasileiro no geral, não controla bem suas finanças. Segundo uma pesquisa da CNDL e SPC Brasil, cerca de 48% dos brasileiros não controlam seu próprio orçamento e apenas um terço dos que têm esse hábito se planeja com antecedência.

Por conta disso, muitos olham para os empréstimos como uma forma de se livrar dessa dívida longa, mas será que vale a pena pegar empréstimo para quitar financiamento imobiliário? Veja a seguir!

Vale a pena pegar um empréstimo para quitar um financiamento imobiliário?

Não, não vale a pena pegar um empréstimo para quitar um financiamento imobiliário e a explicação está na taxa de juros de cada um.

Os empréstimos pessoais, no geral, sempre terão juros e um custo efetivo total maior que os do financiamento imobiliário. Por isso, por mais tentador que pareça “se livrar” do financiamento, contrair uma nova dívida vai sair mais caro!

Para exemplificar, vamos pegar o empréstimo consignado que, no geral, é a modalidade com menor taxa de juros. 

Segundo o Banco Central, em média, a taxa de juros dos financiamentos imobiliários bateu 6,96% ano em janeiro de 2021, enquanto os juros de empréstimo consignados para servidores públicos chegaram a 16,14% ao ano.

Outra opção que costuma ser posta à mesa é a de usar o próprio imóvel como garantia para conseguir taxas melhores. Contudo, essa modalidade só é liberada para imóveis com até 30% de saldo devedor em aberto.

Mesmo que seja seu caso, ainda assim não vale a pena pegar um empréstimo para quitar um financiamento imobiliário.Isso porque a taxa de juros e o IPCA também batem a casa dos 16%, uma porcentagem bem mais alta que a dos juros do financiamento.

Além disso, os empréstimos pessoais costumam ter um prazo bem menor que os financiamentos, que podem durar até 20 ou 30 anos em alguns casos. Isso pode apertar ainda mais o seu orçamento e piorar a situação.

Em resumo, é mais vantajoso tentar outras formas de pagar seu financiamento do que contrair uma nova dívida, veja algumas saídas abaixo.

Quais outras formas de quitar um financiamento imobiliário?

Se você não possui uma reserva de emergência ou já a usou, é preciso fazer algumas mudanças, cortar alguns gastos e reorganizar sua vida financeira. Algumas medidas podem ser bem úteis, veja abaixo.

Planejamento financeiro

Antes de mais nada é preciso pôr na ponta do lápis todos os gastos, custos fixos e variáveis mensais para que você possa otimizar seus ganhos e cortar gastos desnecessários. Anote tudo o que você gasta, substitua algumas marcas e estabeleça prioridades.

Para saber como fazer um planejamento financeiro do zero, veja o vídeo abaixo:

FGTS

Muita gente sabe que dá para usar o FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) para dar de entrada em um imóvel. Porém, o que pouca gente sabe, é que você pode usar o saldo que tem para compor em até 80% o valor de cada prestação por um período de até 12 meses.

Essa é uma saída muito interessante para quem trabalha há muito tempo em um mesmo lugar ou atua com carteira assinada há algum tempo e nunca sacou o FGTS.  Esse valor pode te ajudar a dar uma respirada.

Além de usar para compor o valor de parcelas, também é possível amortizar boa parte do financiamento se o seu financiamento estiver em dia.

Ou seja, caso você tenha um FGTS de 10 mil reais, é possível usá-lo para adiantar algumas parcelas desde que seu financiamento seja no âmbito SFH (Sistema Financeiro de Habitação)

Se desfaça de bens com pouco uso

Outra forma interessante de “angariar fundos” para quitar suas parcelas do financiamento é vender alguns itens para levantar uma grana. E não precisa ser apenas itens mais caros como automóveis, eletrodomésticos ou móveis.

Esses itens vão te dar um retorno maior, mas algumas opções como vender algumas peças de vestuário pouco usadas pode te gerar uma boa renda .

Renda extra

Outra opção que é sempre bem vinda quando falamos em formas de se livrar de dívidas é procurar formas de renda extra. O ideal é ir no seu forte. Se você vai bem na cozinha por exemplo, pode começar a vender doces, salgados ou algo do gênero para incrementar seu faturamento., 

Outras opções como revenda de produtos, trabalhar em serviços de entrega ou dirigir carros em serviços por aplicativos também são saídas para usar parte do seu tempo livre para levantar dinheiro.

Considere alugar o imóvel

Por fim, se nada disso for possível ou se não for o suficiente uma possibilidade que vai te ajudar é considerar alugar seu imóvel caso você tenha uma opção de moradia como morar com parentes ou em um lugar com aluguel mais em conta.

O ideal é que essa medida seja a última, mas dependendo do imóvel o valor do aluguel pode ser até o dobro do valor da parcela e, em alguns meses, você pode estar voltando para sua casa. Faça as contas antes de tomar essa medida.

Exemplo: seu apartamento tem uma boa estrutura, é bem localizado e sua parcela está no valor de R$800. Estudando imóveis parecidos na mesma região você viu que pode alugá-lo por R$1600. 

Se você alugar um apartamento por R$800 você consegue pagar o aluguel do mesmo e ainda terá dinheiro para quitar  a parcela do financiamento do seu imóvel com o valor pago pelo seu inquilino. 

Entendeu porque não vale a pena pegar um empréstimo para quitar um financiamento imobiliário? 

Caso queira saber de outras modalidades de empréstimos, veja nossos artigos sobre empréstimo para MEI, autônomo e algumas fintechs para você ou sua empresa saírem do vermelho.
Se deseja  saber se vale a pena pegar um empréstimo para investir também temos um artigo bem detalhado sobre isso, clique aqui e saiba mais!

Comentários