O mundo financeiro foi invadido por “nerds” dispostos a tornar esse segmento mais acessível e digital. As chamadas fintechs já passam de 200 no Brasil e desafiam os bancos a se tornarem mais ágeis e tecnológicos. O Itaú foi o primeiro a dar um passo na direção das fintechs e trazer inovação para seus serviços.

Não pode ler agora? Ouça a matéria clicando no player:

No Brasil, essas startups do mercado financeiro têm potencial para desviar dos bancos cerca de R$ 75 bilhões em negócios. De olho nisso que o Itaú começou a investir na sua transformação digital e já tem colhido alguns frutos, como o aumento dos lucros.

Itaú Fintech

O Itaú trouxe diversas inovações para seus clientes inspirado nas tecnologias desenvolvidas pelas fintechs. Vejas as principais:

Inscreva-se em nossa Newsletter

Faça como milhares de empreendedores e receba os melhores conteúdos sobre o mundo Fintech em sua caixa de e-mail.

Abreconta

Para competir com as fintechs, a primeira iniciativa do Itaú foi o app Abreconta, lançado em agosto de 2016. Com ele, todo o processo de abertura de uma conta corrente pode ser feito pelo celular.

Light

Mas o grande case do Banco Itaú é o Light. Lançado no início de 2017, o aplicativo é focado nos usuários que têm pouca disponibilidade de espaço no celular, que precisam de um aplicativo leve. O app também não necessita de grande conexão.

Itaú Personnalité 360

Também no início do ano passado, o Itaú lançou sua plataforma de investimentos financeiros, o Itaú Personnalité 360, que oferece um serviço semelhante aos das corretoras, como XP Investimentos e Rico Corretora.

O Itaú Personnalité 360 tem como principal atrativo a disponibilidade de produtos de outros gestores e de outros bancos, não apenas do Itaú, tal qual uma corretora de valores.

Para os investidores mais ariscos, que tem receio em investir por uma plataforma de investimentos que não seja de um grande banco, alguns mesmo sabendo que estão tendo uma rentabilidade inferior, essa plataforma será uma opção muito útil, pois alia a marca de um grande banco, com a acessibilidade a gestores independentes e produtos de outros bancos.

Teclado Itaú

A última inovação do banco é o Teclado Itaú, que permite que os clientes possam fazer transferências de dinheiro sem que precisem sair do WhatsApp ou de qualquer app de mensagem ou rede social que estiverem usando no momento.

Para usar a funcionalidade, é preciso habilitá-la no aplicativo do Itaú e informar a senha do cartão.

Quando o usuário estiver em algum app de mensagens, como o próprio WhatsApp, basta acionar o teclado para digitar uma mensagem e selecionar o Teclado Itaú nas opções para fazer uma transferência sem precisar sair da conversa — ou da busca ou do post, caso esteja no acessando o Google ou navegando no Facebook.

Vale ressaltar que a ferramenta dá a opção de transferir dinheiro apenas a contatos salvos no app do Itaú.

Transformação digital

No Itaú está sendo aplicado um método chamado “lean digital transformation”, cujo cerne é identificar o que é valor para a empresa e para o cliente; ter ciência sobre qual o gap de experiência que existe e enquanto empresa ou marca precisa atender.

O uso de canais digitais de atendimento levou a uma queda de 73% de chamadas atendidas pelas centrais telefônicas no último ano. No chat, o banco obteve um aumento de 154% de acessos.

Até mesmo a identificação de cheques passou a ser totalmente digital no último ano, graças à aplicação de inteligência artificial e machine learning.

O Itaú fintech ao trazer essas inovações alcançou resultados expressivos, que foram sentidos até mesmo nos lucros. Atualmente, 69% do lucro líquido recorrente do Itaú é hoje fruto de produtos digitais. Em 2015, eram 32%.

Se não pode com eles…

Um velho ditado já diz que “se não pode detê-los, junte-se a eles” e foi exatamente isso que o Itaú fez ao investir em no seu centro de empreendedorismo tecnológico: o Cubo.  

O Itaú percebeu que as fintechs vieram para inovar e transformar a forma como as pessoas pagam, investem e emprestam dinheiro usando tudo de melhor que a tecnologia tem a oferecer. Como não dá para mudar a cultura bancária travada e burocrática da noite para o dia, o Itaú ampliou seu programa de aceleração.

O Cubo incentiva a criação de startups que podem fornecer serviços de qualidade para o próprio Itaú. Investir em fintechs é investir no futuro.  

Com os investimentos realizados pelo Itaú, o Cubo se mudou recentemente para um local maior e irá abrigar 210 startups, se tornando o maior centro de empreendedorismo da América Latina.

O Itaú investe no Cubo para se conectar a este ecossistema de empreendedorismo. É através dele que o banco atrai pessoas que pensam de forma empreendedora para que possamos evoluir constantemente no mundo digital.

O Cubo mantém no mesmo lugar agentes de mercado, investidores, grandes empresas, universidades e, claro, os jovens que, associados ou não, sentam à mesa diariamente para pensar soluções. Sejam soluções para o Itaú, para outro banco ou para qualquer outra empresa. A lógica do Cubo é mesma das plataformas abertas. Não há limitações nem restrições aos negócios.

Se você também quer receber informações sobre as startups do mercado financeiro sem limitações, acesse nossa newsletter e receba o melhor conteúdo sobre o assunto.

Comentários