Jovens sendo seus próprios chefes, trabalhando em cafés com seus notebooks, montando negócios com os amigos de infância. Que vida boa, não é? Engana-se quem acha que os fundadores de startups percorreram um caminho de flores e arco-íris para chegarem onde estão.

Por detrás de cada sucesso de uma startup há uma história de longas horas de trabalho e muito suor. Se você tem interesse de se jogar no mundo do empreendedorismo de inovação, mas está perdido e não sabe por onde começar, siga estes 8 passos de como criar uma startup do zero.

Passo 1: o que é startup?

No primeira passo para criar uma startup, você precisa entender que não se trata de uma empresa em miniatura, mas continua sendo um negócio sério. Uma startup não possui a solidez e confiança de uma empresa grande. E, por não ter ainda a responsabilidade de responder à acionários, sócios e clientes como uma empresa, permite-se inovar, testar, errar, experimentar de novo, até acertar.

No entanto, o objetivo das startups é tornar-se uma empresa sólida e confiável, no futuro. Então, podemos admitir que a startup é o estágio inicial do seu negócio. Porém, com o grande diferencial de aliar uma boa ideia à inovação e à tecnologia na fase embrionária do seu negócio.

Os empreendedores normalmente trabalham em cima de um cenário previsível para garantirem os resultados positivos das empresas e não terem riscos. No caso das startups, um produto é desenvolvido conforme as respostas do mercado e o risco estará sempre presente. Seu sucesso depende do feedback dos clientes e apoiadores.

Existem diversos tipos de startups. Não podemos afirmar que 100% delas são tecnológicas. Há startups que têm no seu seio a causa social, outras que trabalham com lifestyle. As HR Techs procuram soluções tecnológicas para a área de recursos humanos e as Fintechs, para as finanças. Aliás, aqui você encontra tudo sobre fintechs.

Para entender melhor sobre startups, dê uma olhada no livro Startup: Manual do Empreendedor de Bob Dorf e Steve Blank. Mas se você não tem muito tempo para ler, o vídeo abaixo é um bom resumo:

Passo 2: É para você? – Qual perfil pode criar uma startup?

Comece se perguntando se a vida de empreendedor é para você. Não é por que você está criando uma startup que a rotina não será de uma empresa. Você terá que estabelecer horários fixos para cumprir com suas metas. E se a sua escolha de local é o homeoffice, seus horários serão ainda mais rígidos por causa das eventuais distrações – TV, família, geladeira.

Matt Montenegro, fundador da AIO (plataforma de vídeos corporativos), desromantiza a jornada de criação da sua empresa para mostrar que ser empreendedor de startup é mais difícil do que se imagina:

Inscreva-se em nossa Newsletter

Faça como milhares de empreendedores e receba os melhores conteúdos sobre o mundo Fintech em sua caixa de e-mail.

“Você talvez deva achar que começar uma startup é um negócio bobo, informal, sem custos e um pedacinho de paraíso. Mas a vida não é um eterno Startup Weekend. Ter uma startup é um negócio bem diferente desse auê gostoso que esses bons eventos/programas causam em nós”.

Neste passo para criar uma startup, dedicação será seu nome do meio. Sugerimos que faça uma autoanálise das suas qualidades e paixões na hora de pensar sua startup. Para entrar nesta empreitada, muita força de vontade é essencial para encarar os muitos “nãos” antes do primeiro “sim”. Por isso, ter como projeto algo que te inspira torna o sacrifício recompensador.

Para te guiar neste passo, responda com honestidade as perguntas de Matthew McCreary publicadas no Entrepeneur Europe – traduzidas do inglês:

  • Quais são suas qualidades?
  • Qual a sua paixão?
  • Em que área você tem experiência?
  • Quanto você pode gastar, sabendo que a maioria dos negócios vão à falência?
  • Quanto você precisa investir?
  • Qual estilo de vida você quer adotar?
  • Você está pronto para se tornar um empreendedor?

Suas respostas vão definir seu grau de comprometimento com seu projeto. Ter a consciência da sua escolha é um bom passo dado em direção a criação da sua startup.

Passo 3: O que tem de novo? – Ideias

Agora que você aprendeu o que é uma startup e você se encaixou no perfil de empreendedor, é hora de pensar no seu projeto. Lembrando que o diferencial das startups é a aliança entre inovação e tecnologia, fica claro que uma boa ideia é essencial.

Pode ser uma grande busca da agulha no palheiro, mas encontrar uma ideia que represente uma novidade e que tenha utilidade leva tempo. Normalmente, as startups partem de um problema para explorar soluções.

Nós já apresentamos a história de David Vélez que criou a fintech Nubank como resposta a burocracia cansativa dos bancos, nas dicas para startups. Outro exemplo é a Samba Tech que foi a solução encontrada por Gustavo Caetano para a dificuldade de baixar jogos no celular. No entanto, sua ideia inicial foi transformada após experimentar muito e estudar o mercado de distribuição de vídeos. Hoje, a Samba Tech se consolida na gestão e distribuição de vídeos no país.

Muitas vezes, um problema não incomoda apenas você, mas milhares de pessoas. Quando você apresenta uma solução nova, os consumidores te agradecerão. Mas lembre-se que Millenials não gostam de esperar por algo complicado. Para que seja realmente útil, sua ideia precisa ser criativa, prática, barata e rápida.

Dica de Ouro

Faça um quadro de ideias na sua parede e coloque-o num lugar bem visível. Escreva todos os problemas que encontra e busque suas soluções. Anote suas ideias malucas e não descarte nenhuma. Faça o famoso brainstorm. Escreva sobre startups que te inspiram. Cole imagens de pessoas que você admira. Qualquer insight pode te ajudar na procura pela ideia perfeita.

como criar uma startup

Vocês podem usar como modelo os quadros que a galera do Trelllo preparou. Eles criaram alguns fluxos de trabalhos para estruturar a organização da startup, levando em conta a flexibilidade e a essência do trabalho. Nesses quadros, você pode personalizar de acordo com as necessidades do seu projeto e desenvolver o seu produto de maneira clara e objetiva.

Passo 4: está tudo bem preparado? – Preparação

Bom, estabelecer o produto da sua startup é meio caminho andado – considerando que esse produto ainda vai ser adaptado ou até modificado, conforme experimentações. O resto do caminho é por conta do planejamento.

Muitos empreendedores utilizam a ferramenta empresarial Canvas que auxilia na elaboração do plano de negócios. Nela, você estabelece:

  • Proposta de valor
  • Segmentos de mercado
  • Canais
  • Relacionamento com clientes
  • Atividades-chave
  • Recursos-chave
  • Parcerias-chave
  • Fontes de receita
  • Estrutura de custos

Este modelo é como um raio x do seu projeto de startup, um segmento que está em constante mudança. Na imagem abaixo, você pode ter visão de um exemplo da ferramenta Canvas utilizada pela máquina de café expresso Nespresso, criado pela empresa Nestlé:

como criar uma startup

Fonte: Dicionário Financeiro.

Neste passo para criar uma startup, você testará seu produto para avaliar se está ou não atendendo às necessidades do mercado. Para isso, você deve começar com um centro de experimentações através do MVP (Produto Mínimo Viável – traduzido do inglês Minimum Viable Product).

Com MVP, as startups apresentam seus projetos aos clientes e corrigem as possíveis falhas conforme for recebendo os feedbacks. Desta maneira, os custos do produto final e os erros são reduzidos.

Está perdido? Aprenda a fazer um MVP com este estudo de caso:

Passo 5: Sabe como executar? – Execução

Torne-a oficial. Não é por que ao falarmos de startup, logo se pensa na imagem do jovem de chinelo, trabalhando com seu notebook em algum café da modinha, que não estamos falando de negócio sério.

Neste passo para criar uma startup, vamos falar de algo chatinho, mas necessário: a execução burocrática. Apesar das startups fugirem da norma das empresas tradicionais, elas precisam estar de acordo com a legalidade. Por isso, todos os aspectos legais do seu projeto devem estar estabelecidos desde o início.

Imagina encontrar uma ideia genial, realizar um produto inovador, conseguir aquele investimento tão esperado e, no final, ser processado por algum ex-sócio descontente. Para evitar esses tipos de problemas, é preciso oficializar todas as ações da sua startup:

  • Registro do nome
  • Registro da empresa
  • Contratações de funcionários
  • Contrato de sociedade
  • Registro de patentes
  • Licenças
  • Impostos
  • Conta bancária jurídica

Sabemos que a sonegação fiscal pode gerar grandes problemas na sua aventura, por isso, um advogado e um contador serão muito úteis na fase de execução de uma startup. Consultá-los antes de iniciar seu projeto pode ser de uma boa ajuda no futuro quando seu negócio passar de startup à grande empresa.

Passo 7: Caprichou no pitch? – Apresentação

Você tem certeza que sua ideia é boa, mas e as outras pessoas? O pitch é a apresentação curta da sua startup que visa atrair o interesse dos investidores, clientes, parceiros, entre outros.

Com o pitch, a startup chama a atenção das pessoas com as informações mais importantes:

  • o produto
  • o diferencial
  • as vantagens
  • o resultado dos testes
  • o lucro

Cada vez mais, existem encontros e  eventos de startups onde o empreendedor tem a oportunidade de apresentar seu pitch de forma verbal – falando sobre a startup – ou com o pitch deck – um material mais completo.

É claro que a criatividade é valorizada neste passo para criar sua startup, mas se o seu produto foi bem planejado, uma apresentação curta e direta faz mais sentido.

O pitch deck da Airbnb (plataforma de reservação de casa e quartos de particulares) é um caso de apresentação simples e eficaz:

Passo 8: Quem vai pagar por isso? – Investimento

Tudo seria mais fácil se um investidor-anjo caísse do céu acreditando no projeto logo no começo. Mas para criar uma startup, você vai ter que investir do seu próprio bolso nas fases iniciais.

Ou então, você pode partir para a rede FFF (family, friends and fools – do inglês família, amigos e tolos) composta por pessoas que acreditam na sua ideia. Elas podem ser a base do levantamento do capital quando a startup ainda não possui interessados que queiram investir.

No entanto, neste passo para criar uma startup, você busca tração para o seu negócio. Por isso, você vai ter que correr atrás de investimento. Felizmente, com o sucesso crescente das startups no Brasil, fundos de investimento vão em busca de empresas inovadoras.

Existem 3 principais tipos de investimento para startups:

  • Investidor-anjo: pessoa física que acredita no potencial e está disposta a arriscar
  • Capital semente: fundo de capital de investidores que busca alavancar uma empresa
  • Series A: para empresas que querem expandir o mercado

Aqui você encontra outros tipos de investimentos para startups, como bootstrapping,  aceleradoras de startups e incubadoras de empresas.

Nas dicas para startups, falamos sobre uma maneira alternativa de investimento: o crowdfunding – plataforma de arrecadação de dinheiro para um objetivo específico. Você cria uma campanha apresentando sua ideia com o objetivo de convencer as pessoas a acreditarem no seu produto.

O último passo (bônus) de como criar uma startup é “está esperando o quê?”. E se você é como nós interessado nas startups de tecnologia financeira, aprenda como abrir uma Fintech de crédito de sucesso em 8 passos.

Comentários