Minerar criptomoedas é basicamente “emprestar” seu computador para se juntar a uma rede, formando um bloco conhecido como Blockchain.

É justamente essa descentralização que torna as transações mais seguras e aumenta a quantidade das moedas digitais. Contudo, minerar é uma tarefa que exige planejamento, além da importância de um bom equipamento e estrutura. Tendo isso em mãos, o passo seguinte é saber quais as melhores criptomoedas para minerar.

Quais as melhores criptomoedas para minerar?

Antes de mais nada, é importante que você saiba que as criptomoedas são bastante voláteis. O que isso quer dizer? Isso significa que há uma constante flutuação na rentabilidade delas. Então, o ranking está em constante atualização. Sabendo disso, abaixo listamos as cinco melhores criptomoedas para minerar, com base em seu valor de rentabilidade atual de acordo com o site Coinmarketcap.

1. Bitcoin

A primeira criptomoeda da lista é o Bitcoin. A pioneira das criptomoedas nasceu em 2009. Seu criador, Satoshi Nakamoto, é também o responsável pela mineração das moedas digitais através do Blockchain.  

Apesar de ser a moeda digital mais rentável, minerar bitcoin requer alguns conhecimentos prévios e investimentos consideráveis em energia elétrica, hardware e climatização. Além disso você precisa investir em um setup

Quer aprender tudo sobre bitcoin, altcoin, exchanges, análise gráfica, e mais. Além de ter suporte completo durante todo o curso e passo a passo na prática? Conheça curso Segredos do Bitcoin

2. Ethereum (ETH)

A ETH lista na segunda posição das moedas mais rentáveis para serem mineradas. Essa é uma das criptomoedas cuja mineração é feita por uma Unidade de Processamento de Placa Gráfica (GPU), diferentemente do Bitcoin, que utiliza ASIC. Ethereum foi criada em 2015 e, apesar de ser considerada uma criptomoeda, inicialmente era usada como plataforma para rodar aplicações descentralizadas. 

3. Bitcoin Cash (BCH) 

A moeda digital Bitcoin Cash surgiu por conta de um “racha” na comunidade de Bitcoin, fazendo o chamado hard fork, nome dado toda vez que uma nova versão de moeda digital é criada a partir de uma original.

Ela foi criada no ano de 2017 e, por ter um limite de 8 MB no tamanho do bloco, é mais escalável do que o Bitcoin. A BCH ocupa o terceiro lugar na lista das melhores criptomoedas para minerar.

4. Litecoin

Assim como a maior parte das criptomoedas, a Litecoin surge como uma alternativa mais viável ao Bitcoin. Em seu site oficial, a moeda é considerada um complemento à pioneira. “Com considerável suporte da indústria, volume de negociações e liquidez, Litecoin é uma ferramenta de comércio que complementa o Bitcoin”, escreveu um dos editores.

Litecoin foi criada em 2011 por Charlie Lee, um ex- funcionário do Google e ocupa o quarto lugar no ranking.

5. Bitcoin SV 

Essa é mais uma moeda criada a partir de um hard fork, mas dessa vez a origem veio da Bitcoin Cash. Em 2018, a empresa NChain criou a Bitcoin SV com o intuito de ter uma moeda digital bem parecida com a Bitcoin original. Ela ocupa o nosso último lugar no Top 5. 

Como a mineração de criptomoedas funciona? 

Basicamente, você empresta seu computador e ele irá fazer cálculos matemáticos complexos e criptografados para garantir que a rede de pagamento das criptomoedas funcionem.

 Esse processo não é feito sem ganho: o próprio bloco, o Blockchain, irá te recompensar com criptomoedas. Essa técnica formada em rede recebe o nome de Pool. Em outras palavras, são várias pessoas em rede garantindo o funcionamento da mineração das criptomoedas. 

Como minerar criptomoedas?  

Existem três maneiras para minerar criptomoedas: Unidades de Processamento Central (CPUs); Unidades de Processamento Gráficos(GPU); e o mais sofisticado, circuito integrado específico de aplicativo (ASIC). 

Nos anos anteriores era bem mais fácil se tornar um minerador, isso porque até mesmo um computador doméstico era capaz de fazer a mineração. No entanto, as coisas foram mudando conforme mais pessoas participavam da rede, tornando os cálculos matemáticos ainda mais complexos e trazendo a necessidade de equipamentos mais caros. Nesse processo as pessoas começaram a utilizar as GPUs e logo após os chips ASIC foram criados.

Para minerar Bitcoin você precisa analisar os custos, pois é necessário investimento numa quantia considerável. Aqui no blog temos um artigo listando os componentes necessários, leia também: Como montar um setup para minerar bitcoin? 

Agora, se você quer explorar outras criptomoedas menos rentáveis porém com processos de mineração um pouco mais simples e acessíveis, existem outras alternativas, como já listamos.

Para te ajudar, abaixo vamos ensinar como minerar Ethereum (ETH) e Grin. Esta última não figura entre as cinco melhores criptomoedas para minerar, contudo foi considerada entre os mineradores como uma das mais simples para quem está iniciando.

Como minerar ETH?

Primeiro faça o check list e veja se tem tudo o que precisa:

  • Placas de vídeos potentes (é recomendado placas como Nvidia GTX 1080 ou AMD RX 580 8GB);
  • Local bem refrigerado;
  • Software de mineração. 

Depois desse check list é hora de baixar o Blockchain no site oficial, configurar sua carteira para a mineração e voilà 

Como minerar Grin?

No Grin é possível minerar com o CPU mesmo ou com o GPU. Caso escolha o GPU é necessário fazer a configuração no software colocando na versão Cuckaroo Pow. 

O primeiro passo após a configuração do software é baixar o blockchain no site oficial do Grin e fazer as configurações de nó na carteira para conectá-los. Feito isso, é hora de configurar as placas de vídeo. Vale ressaltar que é importante usar uma placa de vídeo potente, visto que é necessário ter pelo menos 5,5GB de espaço para minerar. 

Para saber mais sobre o processo, assista ao vídeo abaixo:

Agora que você já sabe quais são as melhores criptomoedas para minerar e como fazer isso, já pode começar a ser um minerador e conquistar uma pequena bagatela em criptomoedas. Mas lembre se: é de suma importância ler bastante sobre o assunto e pesquisar corretoras para ser bem-sucedido nessa empreitada. 

Se deseja ficar por dentro de tudo sobre a criptomoeda mais rentável, temos um super dica para você: o curso Segredos do Bitcoin. Nele você aprenderá, do zero, seguindo um passo a passo ensinado na hora, como investir até alcançar os primeiros resultados. 

E, para ficar por dentro de outros conteúdos sobre o mundo das criptomoedas, inscreva-se em nossa newsletter e continue acompanhando os conteúdos do blog!

Comentários