Com algoritmos que analisam o comportamento do consumidor digital e personalizam a oferta de produtos conforme as demandas de cada cliente, as insurtechs brasileiras estão revolucionando o mercado segurador. Por exemplo, a plataforma Thinkseg viabiliza até 40% de desconto no seguro automóvel para bons motoristas, após analisar o modo como eles dirigem. 

De fato, as insurtechs no Brasil têm oportunidades de negócio muito promissoras, haja visto que somente 20% da população economicamente ativa costuma contratar seguros, seja pela burocracia ou pelos custos elevados. Ainda assim, a Agência Brasil divulgou a arrecadação de R$ 270,1 bilhões do mercado de seguros em 2019, uma alta de 12,1% em relação ao ano anterior.

Nesse sentido, muito além de otimizar processos e reduzir custos operacionais, uma das grandes sacadas das insurtechs brasileiras é democratizar o acesso aos seguros. Sendo assim, estando imersas na cultura da inovação, as startups nasceram para modernizar um mercado engessado e propiciar soluções para os gaps que inviabilizavam negócios.

O panorama das insurtechs brasileiras

Aliando os produtos de seguros com as inovações tecnológicas (daí a nomenclatura que mescla insurance com technology), o franco crescimento desse nicho está pautado em aprimorar a experiência do cliente e, ainda, atrair novos consumidores. 

Definitivamente, tais mudanças expressivas do mercado segurador também levam em conta a transformação digital e os paradigmas do mundo “VUCA” (sigla em inglês que significa: volatilidade, incerteza, complexidade e ambiguidade).

Inscreva-se em nossa Newsletter

Faça como milhares de empreendedores e receba os melhores conteúdos sobre o mundo Fintech em sua caixa de e-mail.

Nesse cenário, a edição 2020 do Distrito Insurtech Report mapeou 113 insurtechs no Brasil, comparando as seguintes categorias:

  • Infraestrutura e Backend: foram analisadas 54 soluções tecnológicas que agilizam os processos nas seguradoras e corretoras, começando pela comunicação até a análise de risco;
  • Produtos e Distribuição: o levantamento apurou as atividades de 35 startups que ofertam produtos considerados como inovadores, ou seja, fora do padrão;
  • Marketplace e Comparação: foram avaliadas 16 startups que atuam como canais de distribuição, oferecendo produtos com base nos perfis dos usuários;
  • Serviços Adicionais: o estudo averiguou 8 soluções voltadas para a cadeia de serviços oferecidos pelas seguradoras, de modo a descentralizar e posicionar os processos em plataformas.

Confira nosso infográfico com o painel das Insurtechs no Brasil e veja os principais números desse mercado:

Os diferenciais de 15 insurtechs brasileiras

Listamos as queridinhas dentre as insurtechs do Brasil, incluindo as fintechs de seguros, bem como as duas empresas que figuram no ranking InsurTech 100, junto às startups mais inovadoras do mundo.

Vale lembrar que nem todas as insurtechs brasileiras vendem seguros propriamente ditos, ao menos não da forma como estávamos acostumados. Isso porque algumas delas propiciam tecnologias disruptivas que viabilizam o trabalho de corretoras e seguradoras, ou seja, não lidam diretamente com o consumidor.

1. 88i

  • Plataforma personalizada, que visa distribuir os produtos das seguradoras cadastradas, de modo a facilitar a administração por parte do corretor;
  • Contando com o uso inovador de blockchain no mercado de seguros, essa é uma das insurtechs brasileiras reconhecida pela Unicef pelo impacto social que pode alcançar a escala global; 
  • Parceria de mobilidade entre Vá de Táxi e 88i: motoristas protegidos;
  • Telemedicina: atendimento pediátrico e adulto, com consulta via site ou aplicativo, além do envio da receita contendo a assinatura eletrônica do médico; 
  • Seguros: automóvel (assistência e/ou franquia), bagagem, celular, impedimento ao trabalho e vida/acidentes pessoais.

2. Ciclic

  • Plataforma digital BB Seguros, em parceria com o Principal Financial Group (PFG), que mescla soluções digitais relativas a seguros, serviços e previdência;
  • Seguros: residencial, celular e viagem;
  • Saúde Protegida, mediante consultas online e descontos em medicamentos;
  • Empréstimo Pessoal de até R$ 50 mil, em 36 parcelas;
  • Planos de Previdência: individual, junior ou empresarial.

3. Gesto

  • A health tech trabalha com ênfase no ciclo de saúde corporativa, com mais de 6 milhões de vidas na base de dados da corretora;
  • Uso de inteligência artificial para cuidar dos beneficiários;
  • Gestão médica para acompanhar os públicos que demandam cuidados especiais.

4. Kakau Seguros

  • Plataforma digital de seguros por assinatura, com contratação online e interrompimento da apólice a qualquer momento;
  • Ofertas personalizadas para os clientes, que são viabilizadas pelas tecnologias de inteligência artificial e machine learning;
  • Sem burocracia no ato da contratação dos seguros e, principalmente, na hora do resgate dos sinistros;
  • Operação sem escritórios físicos;
  • Os principais produtos de seguros são voltados para residências, bicicletas e smartphones.

5. Minuto Seguros

  • Essa é uma das insurtechs brasileiras que se destacam na concorrida lista  InsurTech 100, da FinTech Global;
  • Com as soluções tecnológicas ofertadas, é possível cotar e comparar diversos planos de 16 seguradoras, o que facilita a tomada de decisão, em especial para quem aprecia a cultura data driven
  • Personalização do produto, de acordo com o perfil do cliente, podendo optar pelos seguros: auto, acidentes pessoais, empresas, residencial, viagem e vida.

6. Neurotech

  • Uso da inteligência artificial não apenas para a análise comportamental, mas também para prevenir fraudes, além de reduzir sinistros e riscos de roubos;
  • Dados cruzados com mais de 15 mil variáveis do data lake;
  • Soluções para todas as fases do ciclo de relacionamento com o cliente, desde a prospecção, até a rentabilização, retenção e recuperação.

7. Ô Insurance Group

  • Open insurance para todos os ramos de seguros, contemplando os ambientes B2C e B2B, assim como o B2B2C;
  • Ô. Affinity: produtos personalizados para cada público e operação (taylor made);
  • Seguros e riscos empresariais: agro, financeiro, gestão de benefícios (inclusive o seguro de vida), patrimonial, transporte, responsabilidade civil e outros;
  • Seguros pessoais: animais, auto, bicicleta, portátil, residencial, viagem e vida, além de consórcios e planos de saúde e odonto.

8. ONLi

  • Um dos destaques perante as insurtechs brasileiras, a ONLi se posiciona como uma aceleradora digital, facilitando a distribuição de seguros online;
  • Customização das demandas do cliente, para contratação de seguros em até 3 minutos;
  • Plataforma otimizada para as corretoras, com acesso gratuito durante a pandemia da Covid-19;
  • Em 2008, a fintech de seguros foi uma das ganhadoras do Programa de Aceleração Visa, em reconhecimento às soluções de alta performance para sua carteira de clientes.

9. Pitzi

  • Clube Pitzi: proteção para celulares contra roubo, furto e acidentes diversos (quedas e quebras de telas, problemas com líquidos, defeitos e falhas internas);
  • Plano a partir de R$ 5 ao mês, lembrando que a cobertura pode variar conforme o contrato;
  • Garantia de obter um aparelho funcional, ainda que o próprio celular não tenha mais conserto.

10. Planium

  • Planos de saúde familiares e empresariais, 100% digitais;
  • Modernização do relacionamento das operadoras com os respectivos clientes, que recebem ofertas customizadas;
  • Ampliação do canal de vendas das corretoras.

11. Segfy

  • Mais eficiência nos negócios com o Segfy Gestão e Multicálculo, cujo sistema abrange diversos ramos de seguros: auto, moto, caminhão, saúde, vida, garantia etc.;
  • Plataforma digital que auxilia em todas as etapas da contratação do seguro: do cálculo à gestão dos segurados;
  • Integração com o Whatsapp, para envio de orçamentos personalizados para o celular do cliente.

12. Segurize

  • Um dos destaques das insurtechs brasileiras, a Segurize é a vencedora do programa InovaBra Startups, do banco Bradesco;
  • Economia colaborativa: é possível indicar produtos de seguros para sua rede de contatos;
  • O “segurizer” recebe créditos por cada negócio fechado a partir da sua indicação;
  • Sorteios para quem contrata e para quem indica os seguros.

13. Simply

14. Thinkseg

  • Uma das empresas nacionais no ranking InsurTech 100;
  • Plataforma 100% digital, sem burocracia e que possibilita o cancelamento do seguro a qualquer tempo;
  • Personalização da oferta de produtos para cada cliente, por meio da  inteligência artificial;
  • Seguro para automóveis “pague pelo uso” (pay per use), com cobertura para acidentes, roubo, furto e outros, além de assistência 24 horas;
  • Preços acessíveis: o segurado faz uma assinatura mensal (a partir de R$ 25, podendo variar conforme o perfil do motorista), além de pagar centavos adicionais por quilômetros rodados;
  • Parceria com a seguradora Generali, uma das maiores do mundo no segmento.

15. Youse

  • Processos 100% online: cotação, contratação, personalização etc.;
  • Iniciativa digital viabilizada pela Caixa Seguradora;
  • Seguro residencial a partir de R$ 10/mês, inclusive para incêndios, vendavais etc. 
  • Seguro de vida a partir de partir de R$ 15/mês, contemplando ainda a indenização por diagnóstico de câncer, por exemplo;
  • Seguro auto a partir de R$ 45/mês, cuja cobertura inclui alagamentos e afins.

Mais 15 exemplos de insurtechs no Brasil

1. Amar Assist

Assistência funeral familiar, que pode incluir os pets (cães e gatos) na cobertura securitária;

2. Bem Mais Seguro

Seguros para smartphones, eletrônicos e tablets, além de acidentes pessoais;

3. Bike Registrada

Seguro para bicicleta: roubo, furto, acidente, quebra e danos a terceiros;

4. Bit Seguros

Principais seguros: auto, viagem, residencial, celular, bike, vida, pet e empresarial;

5. Direct.One (D1)

Plataforma para otimizar a operação das empresas do segmento de seguros;

6. Multirisco

Seguros: riscos de engenharia, vida (em grupo), responsabilidade civil e garantia;

7. Mutual.Life

Ajuda mútua: uma reunião de pessoas para criar reservas em casos de imprevistos;

8. Neoway

Big Data Analytics: soluções para seguradoras e corretoras de seguros;

9. Piwi

Corretora “boutique” de planos de saúde, com o apoio do Piwi Bot e de Concierges;

10. Rabbot

Software para seguradoras, focado na gestão de sinistros em veículos; 

11. Regula Sinistros

Facilita a vida dos corretores com a terceirização dos atendimentos de sinistros;

12. Smartia

Entre os seguros, estão: auto, vida, residencial e viagem, assim como planos de saúde e odonto; 

13. Tô Garantido

Voltado para casos de doenças e incapacidade, com desconto em consultas e exames.

14. Vitta

Plano de saúde exclusivo para colaboradores de startups;

15. WinSocial

Seguro de vida e de invalidez focado na inclusão e na recompensa dos hábitos saudáveis.

Como é a regulamentação das insurtechs brasileiras?

À medida que estão sendo superadas inúmeras barreiras burocráticas e financeiras, essa revolução do mercado de seguros traz consigo outros desafios para assegurar a prestação de serviços. Afinal, como regulamentar apólices de “microsseguro” que custam poucos reais ou mesmo aquelas que podem ser contratadas de forma intermitente?

Além de criar a Comissão de Inovação e Insurtech, a Superintendência de Seguros Privados (SUSEP) criou um sandbox regulatório, que é um ambiente regulatório experimental, com vistas a dar mais segurança jurídica às insurtechs brasileiras. Por um período determinado, o objetivo é testar projetos inovadores, os quais estão voltados para a tecnologia e a redução de custos para os consumidores.

Quer saber mais sobre os impactos do sandbox regulatório para os corretores de seguros? Veja esse vídeo com o parecer do Presidente da Federação Nacional de Corretores de Seguros e Resseguros Privados, de Capitalização, de Previdência Privada e das Empresas Corretoras de Seguros e de Resseguros (Fenacor), Armando Vergílio:

As insurtechs brasileiras pelo ponto de vista dos atuários

Apesar dos impactos socioeconômicos da pandemia do coronavírus, a Confederação Nacional das Seguradoras (CNseg) estima o crescimento de 6,7% do setor em 2020, um prospecção animadora para as insurtechs brasileiras. 

Naturalmente, essa tendência ascendente atrai um grande volume de profissionais, como, por exemplo, os atuários. Eles são especializados na mensuração e na administração de riscos, o que abrange as questões técnicas do âmbito dos seguros, como os cálculos de prêmios, indenizações e probabilidades.

Justamente pela especialização na hora de precificar as apólices, as insurtechs têm valorizado esses profissionais, com média salarial de R$ 7 mil. No país, eram 2.340 atuários em 2019, dos quais ¼ deles já trabalhava no segmento segurador, conforme os dados do Instituto Brasileiro de Atuária (IBA).

Aliás, aproveite para ouvir o podcast que compartilha experiências sobre a gestão de riscos, com ênfase nas oportunidades para os atuários nas insurtechs brasileiras. 😉 

Se interessou pelas revolução propiciada pelas insurtechs brasileiras? Então, conheça mais sobre algumas delas:

Comentários