Blockchain é confiável? O que é essa tecnologia? Como funciona e por que é seguro?

Apesar desta tecnologia possuir apenas 10 anos de utilização, uma coisa é certa, muitas pessoas ainda desconfiam e se perguntam se o blockchain é seguro, mesmo ele tendo chegado ao mundo com potencial para revolucionar todos os processos que conhecemos atualmente. Prova disso é que fóruns do segmento garantem que até o ano 2025, 10% do PIB Mundial será armazenado no blockchain. Para ser ter uma ideia deste montante, atualmente o valor do bitcoin na blockchain é de cerca de US $ 20 bilhões, que representa cerca de 0,025% do PIB global de cerca de US $ 80 trilhões.

Então, se você deseja entender tudo sobre esta tecnologia e descobrir se Blockchain é seguro de verdade, está no lugar certo! Mas precisamos começar pelo começo, tá?

O que é Blockchain de fato?

Apesar do nome complicado, blockchain nada mais é do que a tecnologia de criptografia criada inicialmente para a negociação da moeda virtual bitcoin. A sua estrutura funciona como um mecanismo poderoso e confiável para armazenamento de informações.

Ainda que o sistema tenha tido como objetivo inicial o bitcoin, a segurança proporcionada pela criptografia tem despertado o interesse de muitos outros segmentos, como bancos digitais e corretoras online, que hoje discutem ou até mesmo já utilizam o blockchain como uma poderosa ferramenta de controle e gestão.

Peraí, mas como isso funciona na prática?

A principal informação que precisamos saber para entender o funcionamento do blockchain é que ele é uma tecnologia criada para ser descentralizada, ou seja, não existe um poder único para controlar as transações.

Na prática, vamos utilizar como exemplo os bitcoins. Supomos que você faça uma transação para enviar bitcoins para um amigo. Ao realizar esta operação, diversos computadores conectados a esta rede validam esta transação e verificam se você realmente pode utilizar este valor ou se ele já foi utilizado anteriormente.

A transação só é efetivada a partir de um consenso geral e validação desta rede de computadores.

Com a informação é efetivada, acontece o registro dessa transação em um bloco com milhares de outras transações que seguem este mesmo padrão.

Este registro também gera cópias que ficam salvas nos computadores de todos os envolvidos nesta rede.

No caso do bitcoin, esse registro contará com as informações da movimentação financeira realizada:

  • quem enviou
  • quem recebeu
  • a data da transação
  • a quantidade de moedas
  • etc.

Todas estas cópias fazem com que as informações também sejam registradas publicamente. Isso facilita a comprovação de uma transação, já que para consultá-la basta buscar no registro na rede.

E voilà! Quando este armazenamento acontece, o bloco ganha um número exclusivo e inalterável, o que dá uma segurança gigantesca ao blockchain contra agentes maliciosos.

blockchain é seguro + blockchain é confiável

O que realmente torna o blockchain seguro?

Simples! Sabe este número exclusivo formado pelo armazenamento de informações do bloco? Ele chama-se hash. Podemos imaginar uma hash como uma impressão digital, ele é sempre único! Uma das grandes inteligências do blockchain é que cada bloco vai contar com a sua própria hash e mais a hash do bloco anterior.

Sendo assim mudar qualquer informação depois do registro de dados em um bloco fará com que a hash mude. E isso quer dizer que uma vez que a informação foi gravada ela não pode ser modificada. Qualquer tentativa de alteração vai gerar uma nova hash, mas a antiga também permanecerá arquivada.

Um outro ponto também é importantíssimo para o quesito segurança do blockchain: lembra que no tópico acima falamos que cada rede de blockchain agrupa participantes com os mesmo interesses? Citamos o caso do bitcoin, em que o interesse é transferir dinheiro, certo?

Essa rede é conhecida como “nós”, que é o grupo que promove a validação da transação por meio de um mecanismo de consenso. Então, quando alguém consegue validar as informações de um bloco, milhares de outras pessoas da rede também confirmam que o resultado da validação é correto e estas informações ficam salvas em todos os computadores envolvidos nesta cadeia.

Uma vez que estas informações foram salvas em todos estes computadores, caso alguém tente fazer qualquer mudança na cadeia de blocos, ela só será efetivamente aceita se todos estes computadores da rede “permitirem”. Isso significa que, mesmo se uma máquina sofrer qualquer tipo de ataque, as demais vão perceber e barrar o ataque.

E é exatamente esta interdependência entre as cadeias de blocos combinado ao consenso de validações que garante a segurança e a confiabilidade do blockchain.

Agora que você já está mais por dentro dos detalhes técnicos, confira a definição de blockchain feita por André Salem, pesquisador do IBM Blockchain:

“O blockchain é uma rede de negócios segura, na qual os participantes transferem itens de valor (ativos), por meio de um ledger (livro-razão) comum distribuído, do qual cada participante possui uma cópia, e cujo seu conteúdo está em constante sincronia com os outros.”

Quer aprofundar ainda mais seus conhecimentos técnicos sobre o blockchain? Assista ao vídeo abaixo, que explica de maneira bem didática esta tecnologia e todos os detalhes de segurança do blockchain:

Resumo da ópera!

Dados do relatório de Ameaças à Segurança na Internet constatam que o Brasil é o sétimo país que mais gera de ciberataques no mundo.

Levando em consideração este contexto, só o benefício de segurança e confiabilidade do blockchain já vale ouro em um cenário atual em que a segurança é muito mais que obrigação, mas sim uma questão estratégica dentro qualquer segmento. Mas também outras vantagens fazem parte desta lista:

  • Confiabilidade absoluta no armazenamento de registros;
  • Automatização do processo;
  • Mapeamento de processo em tempo real;
  • Otimização de custo no que diz respeito ao armazenamento de registros;
  • Aumento da transparência para os processos administrativos;
  • Realização de processos livres de fraudes;
  • Diminuição da necessidade de um intermediário para salvar registros.

Mas é possível utilizar o blockchain além da criptomoeda?

As possibilidades de aplicação blockchain podem revolucionar mercados inteiros da economia como seguradoras, as instituições financeiras, indústria, saúde, comércio, transporte e até mesmo lazer. Confira alguns exemplos desta realidade:

  • uma indústria alimentícia pode utilizar o sistema para mapear e acompanhar todo processo do alimento desde a produção até a entrega ao destinatário;
  • um hospital pode usar o blockchain para revolucionar a maneira como acessamos os sites do segmento, que hoje são por meio de login e senha. No novo formato, pacientes, médicos e hospitais teriam acesso a um banco único de informações sigilosas, que poderiam ser acessadas de forma diferente e de acordo com as permissões para cada um destes perfis.
  • A arte também pode se beneficiar desta tecnologia. O sistema pode ser a solução para conteúdo piratas publicados na rede. Por exemplo, quando o usuário acessar uma música, ela é automaticamente registrada na blockchain responsável pelo pagamento dos royalties.

A Revista Forbes listou 35 exemplos práticos e super interessantes de aplicação de blockchain.

Hum, me interessei! Como posso investir em blockchain?

Se você se interessou pelo assunto e já está imaginando o universo de possibilidade que o blockchain pode proporcionar para sua empresa, saiba que atualmente o mercado conta com diversas opções de fintechs que atuam com esta plataforma. Descubra mais exemplos de Fintech brasileiras e todas as possibilidades de inovação proporcionadas por elas !

Ah, e leia com atenção o tópico “Fintech para empresas: serviços de blockchain”

Agora você já entende porque o blockchain é confiável, pode continuar lendo sobre tecnologias para fintechs.

Se inscreva em nossa newsletter e receba mais conteúdos como esse em sua caixa de entrada!

Comentários