Com crescimento de 66% de novos empreendimentos somente no ano de 2018, o Brasil já é o país com maior número de empresas de Fintechs da América Latina. Este número comprova não somente a consolidação de mais empresas do tipo no país, mas também um novo campo de oportunidades profissionais amplo, dinâmico e globalizado, que valoriza profissionais que se reinventam.

Com um total de investimentos globais que no último ano chegaram a $111.8 bilhões, o segmento de fintech pode ser uma boa alternativa para profissionais que querem aumentar suas chances de carreira em um negócio em plena expansão.

Atuar em um mercado visionário que está em constante evolução, permanecer na vanguarda da revolução digital e se sentir verdadeiramente envolvido e participante no sucesso de uma empresa são só alguns dos benefícios de trabalhar em uma fintech.

Ficou interessado? Confira abaixo tudo o que você precisa saber sobre como trabalhar em uma Fintech:

  • Veja se sua formação é uma das principais procuradas
  • Analise nas suas experiências o que pode ser útil
  • Confira se você tem o perfil adequado com testes psicológicos
  • Liste as empresas do mundo Fintech
  • Liste o que você está a procura (empresa pequena, grande, em algum segmento)
  • Atualize seu CV
  • Ative sua rede

O perfil ideal

Este tipo de startup costuma atrair perfis profissionais que buscam um ambiente de trabalho diferente do tradicional, onde tenham mais liberdade para expor suas ideias, mais oportunidades de crescimento profissional e que possam construir coletivamente uma organização que esteja alinhada com sua visão de mundo. Se você se identifica com este formato de trabalho, conheça as exigências do setor.

Se você se identifica com este formato de trabalho, conheça as exigências do setor e todas as dicas de como trabalhar em uma Fintech:

Comecemos pela formação!

Cursos universitário voltados para as áreas tecnológicas é um critério mais do que essencial se você quer ser um alvo atrativo para fintechs. Formações como telecomunicações, engenharias, matemáticas e programações estão entre os mais procurados.

Outros cursos também complementam os perfis procurados: financeiros, marketing, comunicação e especialistas em com relacionamento com o cliente também entram na lista.

Um grande paradoxo que esta área enfrenta atualmente é o de conseguir recrutar especialistas da área financeira (como riscos, fraudes e seguros) que tenham conhecimentos em tecnologia, ou vice-versa.

Então fique de olho que aqui pode estar a grande sacada! Alguém que consiga unir os conhecimentos técnicos com os conhecimentos específicos pode ser o profissional dos sonhos para este tipo de startup.

E dentro deste cenário que é multicultural, nem precisa dizer que o domínio de um segundo idioma é mais do que necessário, certo?

Perfil comportamental

Quando falamos de perfil comportamental de um profissional da área de startup, a primeira da característica da listinha certamente é a perseverança! Isso mesmo, perseverança, porque a primeira etapa de implementação de uma fintech pode acabar com a paciência e a fé de qualquer profissional.

As qualidades abaixo também essenciais para trabalhar em uma fintech:

  • criatividade e pensamento inovador
  • compreensão com diferentes pontos de vista
  • capacidade de adaptação e resiliência
  • facilidade e gosto por trabalho em equipe
  • habilidade de pensar em soluções alternativas
  • clareza para expor suas ideias e insights
  • não ter medo perguntar, errar ou ousar

O cliente em primeiro lugar

Como esta área tem uma maneira inovadora de  fazer e oferecer serviços, o profissional sempre terá o cliente como foco e prioridade, principalmente no que se refere a tornar a vida dele mais fácil! E mesma que você não trabalhe “cara a cara” com o cliente, esta também será sua prioridade em uma fintech.

Quero ter certeza sobre o meu perfil

Se você você acha que se encaixa no perfil profissional exigido por uma fintech, mas quer ter certeza, que tal fazer um teste psicológico de perfil profissional. Atualmente podemos considerar o MBTI e o DISC como as opções mais utilizadas pelas áreas de Recursos Humanos.

O MBTI é uma ferramenta que permite classificar os diferentes tipos de personalidade, muito utilizado na psicologia e no coaching. Com o seu resultado, é possível conhecer características psicológicas que são dominantes em uma pessoa e que podem ser usadas para o autoconhecimento, para compreender melhor as relações interpessoais e para potencializar certos aspectos da atitude profissional.

Dos 16 tipos de personalidade possíveis, qual será o seu? Faça o teste e descubra a resposta.

O DISC é outra ferramenta muito utilizada. Com esse teste, você pode identificar qual padrão é mais predominante na sua personalidade. A partir de suas características, a avaliação permite analisar quais são os fatores que o levam a agir de determinada forma no ambiente em que está inserido.

Quer saber quais são suas quatro variáveis comportamentais do DISC? Clique aqui e descubra.

Os resultados destes testes ajudarão você a conhecer seu perfil profissional, identificar seus pontos fortes e suas oportunidades de melhorias, assim como utilizar estas informações ao seu favor em uma recolocação ou em um ambiente profissional.

Quero trabalhar em uma Fintech! 5 passos para começar sua busca

Agora que decidiu que a fintech é realmente aonde você quer trabalhar, é hora de entrar em ação! O processo de busca não precisa ser um bicho de sete cabeças. Você só precisa colocar em prática alguns processos simples, que de forma estruturada vão te ajudar a mapear as melhores oportunidades do setor.

1 – Defina seu alvo

Neste passo o objetivo é que tire um tempinho para refletir sobre o seu objetivo de carreira e formatos de trabalho que mais te interessam, como distância, horário, desafios, etc. Com base nestas informações busque o máximo de informações que puder sobre empresas que estejam alinhadas com os seus objetivos.

Com esta pesquisa, faça uma lista com o maior número possível de fintechs que você considere que possam ser interessantes para a sua experiência. Seguem algumas opções de sites que podem te ajudar neste aprofundamento de informações:

Depois de escolher as suas queridinhas, crie uma outra lista de vagas de empregos disponíveis nas empresas que da sua lista. Aqui vale copiar o link da vaga, mesmo se ainda não for “perfeita” para você. Se você achar que a quantidade de vagas ainda não é suficiente, tem também outras opções de busca: Vagas, Trampos.co, Curriculum e Infojobs.

Analise com atenção as palavras-chave das vagas do seu interesse e aproveite para utilizá-la no seu processo de busca, assim como inseri-las em notificações de vagas.

2 – Atualize seu currículo

Sabemos que esta é uma das partes mais importantes para você conseguir trabalhar em uma fintech. E aí uma dica mais do que importante para fazer o seu cv ganhar destaque: ao invés de focar nas suas tarefas e responsabilidades, foque nas suas realizações e entregas.

Demonstre o impacto destas ações e projetos por meio números ou pela descrição do resultado gerado. Não se esqueça de ressaltar experiências e características suas que podem contribuir para a sua inserção em uma fintech.

Nesta etapa também vale se inspirar em outros perfis no Linkedin parecidos com o seu e até mesmo incluir o resultado do seu perfil profissional de um dos testes realizados.

Aproveite estas informações para atualizar seu perfil nas redes sociais profissionais, como o Linkedin. Muitas empresas e consultorias têm utilizado estas redes como principais ferramentas na hora do recrutamento.

3 – Faça contatos

Com o currículo prontinho em mãos, comece a ativar a sua rede de contatos. Sinalize para a sua rede de contatos que você está em busca de uma posição em uma fintech (tá, talvez você tenha que explicar direitinho o que é isso para alguns). Mas aqui vale contactar amigos, conhecidos, ex-colegas de trabalho, escola ou faculdade.

Também aproveite este momento para usar e abusar das redes sociais corporativas e aumentar sua rede de contatos de acordo com os seus interesses. Lembra da lista das fintechs dos sonhos? É aqui que elas entram, busque maneira de contatos com estas startups por meio dos websites, das redes sociais profissionais ou conhecidos que poderiam te recomendar. Aqui você também pode ativar contato com consultorias que trabalham com o segmento, uma vez que muitas empresas optam por contratá-las para este tipo de processo.

Para esta etapa você também pode considerar duas estratégias:

  • Ao verificar uma posição na fintech, você identifica se alguma pessoa da sua rede de contato pode te ajudar como um intermediário. Em caso positivo, acione esta pessoa para perguntar se ela pode te colocar em contato com o responsável da posição. Mesmo que não seja por meio de uma indicação, o fato do seu currículo chegar internamente já é motivo de destaque em relação aos demais.
  • A outra possibilidade é utilizar o e-mail, o Linkedin ou outra rede de contato profissional para entrar em contato com o responsável pelo RH ou algum gestor da sua área de interesse, mesmo que não tenha nenhuma vaga em específico. A ideia inicial é fazer um primeiro contato se apresentando e mostrar o seu interesse em trabalhar em na fintech. Esta também é uma boa opção para expandir sua rede.

Não esqueça dos agradecimentos em qualquer que seja a situação.

4 – Fique de olho

Mapeie onde estas empresas costumam publicar suas posições em aberto e crie a rotina de consultar estas fontes. Para descobrir isso, basta consultar o website da empresa, sua página no Linkedin ou os sites de buscas de vagas.

Mas como já falamos, também acontece de muitas oportunidades interessantes serem preenchidas por meio de processos de recrutamento interno, por indicação de head hunters ou mesmo de outros profissionais da própria empresa. E para este caso a dica anterior se faz presente mais uma vez! A sua rede de contatos pode te sinalizar caso saiba de alguma posição do seu interesse.

5 – Prepare-se para a entrevista!

Esteja preparado para encarar a próxima etapa: a entrevista de emprego.

A recomendação para esta etapa é preparar um discurso forte que ressalta como as suas características pessoais e experiências contribuirão para o crescimento da empresa. Pesquisar sobre as perguntas mais comuns em entrevistas também podem te ajudar na preparação desta etapa.

Mas o diferencial pode estar em você também aproveitar esta oportunidade para também esclarecer suas dúvidas! Perguntas como sobre a atuação e desempenho da empresa e detalhes sobre o cargo podem contar pontos a seus favor e demonstrar o seu real interesse pela posição.

Boa sorte na sua busca!

Agora você já sabe como trabalhar em uma fintech, que tal pesquisar mais informações sobre este mercado?

Se inscreva em nossa newsletter e receba mais conteúdos como esse em sua caixa de entrada!

 

 

Comentários