O mercado de máquinas de cartão de crédito está em movimento constante. Hoje em dia, são mais de cinco tipos diferentes de dispositivos, com funcionalidades que atendem melhor cada perfil de negócio. 

E ficar de fora dessa modalidade de pagamento já não é mais uma opção. No último ano, as compras feitas com cartão de crédito no Brasil bateram a marca de R$ 1,55 trilhão. Esse número representou quase 23% do PIB do país, de acordo com a Abecs (Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços). 

Para te ajudar a entender um pouco mais sobre os tipos de máquinas de cartão de crédito, preparamos um artigo com as características de cada um deles. 

O que levar em conta antes de escolher o tipo de máquina de cartão

Antes de falarmos sobre os tipos de máquinas de cartão de crédito, construímos um pequeno checklist do que deve ser levado em consideração para garantir que a escolha feita seja a melhor para o seu tipo de negócio. 

1. Custos e Taxas

O primeiro item da lista não podia ser outro: o valor que sai do bolso! Seja o empreendimento pequeno ou grande, não podemos negar que custos extravagantes impactam fortemente na receita, influenciando, inclusive, a viabilidade do investimento. 

Tabela Tipos de Máquina de Cartão de Crédito
Fonte: Estadão

Por isso, certifique-se dos custos de aquisição e se há mensalidades e taxas sobre as transações, como, por exemplo, as taxas de compras no crédito à vista, que podem variar bastante. 

2. Suporte técnico

Raramente, quando adquirimos um produto, pensamos em enfrentar problemas com ele, certo? Entretanto, quando se trata de uma importante forma de obtenção de receita, essa preocupação sobe no ranking e passa a ser uma das mais importantes.

Antes de adquirir a máquina, procure saber como funciona o suporte técnico, se há prazo para solução de problemas ou se há equipe disponível 24h. 

Esperamos não ser necessário, mas, em todo caso, é sempre melhor prevenir do que remediar!

3. Logística

Sim, até mesmo para escolher o dispositivo de leitura de cartões, é importante levar questões logísticas em conta. Muitas das modalidades oferecidas atualmente necessitam de um ambiente com rede Wi-Fi abundante, por exemplo. 

Inscreva-se em nossa Newsletter

Faça como milhares de empreendedores e receba os melhores conteúdos sobre o mundo Fintech em sua caixa de e-mail.

Se este não for o caso do seu estabelecimento, talvez seja melhor reconsiderar as opções. O mesmo acontece se os moldes do negócio não permitirem o uso de balcões ou mesas fixas, o que impede o uso de máquinas que se conectem via cabo.

Conheça os principais tipos de máquina de cartão de crédito 

Agora que o checklist já foi revisado, é hora de conhecer os tipos de máquinas de cartão de crédito e qual o ideal para cada perfil de negócio. 

Máquinas de cartão POS

A sigla, originária do inglês, já diz tudo: significa Ponto de Venda (ou Point of Sale, no idioma original). Esse sistema integra o pagamento ao controle de vendas e estoque, já que é interligado ao sistema emissor de notas fiscais ou é capaz de, ele mesmo, emitir os comprovantes. 

Pos Fixo

Certamente, esse é o tipo de máquina de cartão de crédito mais conhecido. Conectado obrigatoriamente a um terminal (fio telefônico), o dispositivo tem a mobilidade restrita, sendo usado, principalmente, para estabelecimentos que possuem caixas ou balcões fixos.

Suas operações são realizadas via rede discada, e a emissão de recibos ocorre sem o apoio de nenhum outro equipamento. 

Além de funcionar de maneira estática, as máquinas de cartão POS também possuem um ponto importante a se considerar: funcionam com apenas um adquirente, e, portanto, estão condicionados aos cartões aceitos pela rede contratada. 

Foto tipos de máquina de cartão POS Fixo
Máquina de cartão POS Fixo

Pos Wireless

Para quem precisa de mobilidade para a máquina, a opção Wireless pode ser a indicada. Em geral, ela possui funcionalidades semelhantes às máquinas POS, mas realiza suas operações via conexão sem fio, sem a necessidade de uma rede fixa. Bom pelo dinamismo, ruim porque condiciona seu bom funcionamento a locais com bom acesso às redes móveis. 

Autônomos ou empreendedores que trabalhem sem posto fixo podem se beneficiar dessa modalidade. 

Foto tipos de máquina de cartão POS Wireless
Máquina de cartão POS Wireless

Máquinas POO (mobile)

As máquinas de cartão mobile nos mostram como a tecnologia pode evoluir para simplificar a vida do empreendedor. 

Para que essa modalidade funcione, basta que seu dono tenha, em seu aparelho celular, um aplicativo, e o conecte ao leitor de cartões via cabo ou Bluetooth. 

Em alguns casos, como no da Stone Pagamentos, a máquina leitora também funciona via chip 3G ou Wi-Fi, assim como os dispositivos Wireless. 

Sem dúvida, o surgimento do sistema POO trouxe muitos benefícios para a vida dos estabelecimentos que não possuem rede Wi-Fi disponível, como acontece em alguns postos de gasolina. Fazer com que seus consumidores não precisem se locomover de seus veículos, por exemplo, até o local fixo da máquina, com certeza agrega muito à experiência do cliente

Quem trabalha em feiras ao ar livre também pode se fazer valer da tecnologia para oferecer aos clientes um serviço de pagamento funcional. 

Foto cartão POO
Máquina de cartão POO

Máquinas de Cartão TEF

Com custo de implantação relativamente baixo, o TEF (Transferência Eletrônica de Fundos) é um tipo de máquina de cartão condicionado a um sistema de emissão de Notas Fiscais. 

Em geral, é usado em estabelecimentos como farmácias e supermercados, que possuem um volume elevado de vendas no cartão. Nesse caso, a escolha faz-se a melhor, já que a integração entre os sistemas de emissão de NF e do cartão (usualmente feitas por meio do computador do negócio) facilita o controle das vendas. 

Além dos benefícios mencionados acima, o TEF possibilita o trabalho com várias adquirentes, aceitando, portanto, diversas bandeiras de cartões de crédito. 

Foto Máquina de cartão TEF
Máquina de cartão TEF (Fonte: GetCard)

O futuro das compras com máquinas de cartão de crédito

Nos últimos cinco anos, mais de 200 fintechs de pagamento foram lançadas no Brasil. Esse universo segue em pleno desenvolvimento, sempre mirando na melhor experiência do cliente com o melhor custo benefício e maior interação entre softwares, como já acontece, por exemplo, com o PicPay, que permite realizar pagamentos exclusivamente via celular.

Para se manterem competitivas, as fintechs precisam se reinventar. Não à toa, nos últimos dois anos, a Cielo investiu cerca de R$ 500 milhões em novas tecnologias. 

Se você quer ficar por dentro das evoluções do segmento, acompanhe o Portal Fintech e assine nossa newsletter para não perder nada! 

Comentários