Você sabe o que a maquininha de cartão e os carros de Fórmula 1 têm em comum? A resposta é simples: os dois  possuem uma comunicação interna chamada “máquina a máquina”. É capaz que você conheça este conceito pela sua sigla em inglês, M2M (Machine to Machine), pelo qual o termo foi popularizado. Mas, afinal, o que é o M2M? 

Muitos serviços atuais  fazem o uso da comunicação entre máquinas para resolver remotamente problemas, não necessitando da ação humana. 

Imagine se, hoje , precisássemos de um técnico trabalhando 24 horas por dia para verificar todos os equipamentos de redes de esgoto? E que esse profissional precisasse enviar relatórios recorrentes sobre o bom estado dessas máquinas?

Esse cenário está fora da realidade para muitas cidades. Portanto, para evitá-lo, conceitos do M2M são utilizados. 

Você se interessa sobre assuntos que envolvem a Internet das Coisas (IoT) ou sobre a operabilidade de máquinas? Então, este artigo é para você! 

Ao longo deste texto, você irá entender, de uma vez: 

  • O que é M2M;
  • Como o M2M funciona na prática;
  • Qual é a diferença entre M2M e IoT;
  • Como o Machine to Machine é usado.

Vamos adentrar ao mundo da tecnologia e de como as máquinas funcionam? Boa leitura! 

O que é M2M?

Assim que passamos o cartão de crédito ou débito em uma maquininha, esperamos poucos segundos para a resposta final: transferência aprovada ou negada. 

Mesmo com tamanha rapidez, a maquininha trabalhou muito durante essa operação. Assim que colocamos a senha, o aparelho lê o chip  no nosso cartão e se “comunica” com a nossa instituição financeira. 

Assim, ela consegue saber se temos saldo suficiente para compras no débito ou limite para pagamentos no crédito. Caso a central do banco diga que sim, nosso gasto é aprovado. Mas, se tiver algum problema nas nossas informações, a transação é negada. 

Isso pode evitar muitos endividamentos e estouros do cartão. Se você já passou por isso, agradeça ao M2M. 

Mas afinal, o que é M2M? Toda essa comunicação entre máquinas citada acima é o Machine to Machine, conceito em inglês que, em português, pode ser traduzido como “Comunicação entre Máquinas” ou “Máquina a Máquina”. 

Podemos afirmar que toda comunicação entre duas máquinas, em que não exista interação humana, é baseada nos padrões M2M. Por isso, fica claro que este modelo é usado, principalmente, para monitorar e controlar operações remotas. 

De acordo com uma pesquisa de 2020 da Technavio, rede de dados sobre o mercado global, o mercado de M2M tem o potencial de crescer em US$ 131,33 bilhões até 2024. Isso equivale a uma taxa de crescimento anual composta de quase 31%, que seriam reinvestidos no aprimoramento do sistema.

Foto da pesquisa da Technavio
Fonte: Technavio

Ainda segundo a pesquisa, muito desse crescimento pode ocorrer por conta do cenário pandêmico de 2020 e 2021. Nesse período, muitas empresas voltaram para a comunicação entre máquinas para resolução de pendências internas de maneira remota. 

Aproveite e confira:

Como o M2M funciona na prática?

Agora que entendemos o que é M2M, é necessário entrar mais a fundo nas funcionalidades deste sistema. Como pudemos ver acima, ele funciona assim que estabelecemos a comunicação entre duas máquinas sem a ajuda humana. 

Entretanto, este cruzamento de dados possui alguns limites. Por exemplo: no M2M, a comunicação é feita de maneira linear, não existindo troca recíproca de informações. Além disso, o Machine to Machine é aplicado em um sistema fechado de desenvolvimento. 

Por isso, podemos afirmar que o M2M funciona por meio do compartilhamento de dados coletados por sensores. Essa comunicação pode ser utilizada para resolver ou impedir problemas, além de ser requerida em momentos de crise, já que dinamiza as demandas e diminui os custos. 

Qual a diferença entre M2M e IoT?

Ao entendermos como o Machine to Machine funciona, é fácil compreender a maior diferença entre esse sistema e a Internet das Coisas (IoT). 

Enquanto o M2M estabelece uma comunicação linear entre duas máquinas, o IoT possui mais abrangência. 

Com a Internet das Coisas, o conceito de “ponto a ponto” é quebrado. Assim, é possível criar uma maior rede de comunicações, seja entre máquinas, inteligências artificiais ou humanos. O IoT cria uma nuvem de contatos e permite que mais dispositivos sejam acoplados neste sistema.

Foto ilustrando a Internet of Things
Fonte: Pixabay

Basicamente, podemos afirmar que o desenvolvimento da Internet of Things só foi possível porque, no começo, existiu a comunicação Machine to Machine

Além disso, é possível dizer que nenhum dos dois conceitos existiria sem a telemetria. Sendo, basicamente, um controle remoto, esta tecnologia foi muito usada em esportes automobilísticos e na agricultura

Como o M2M é usado?

Você sabia que a troca de dados de Máquina a Máquina pode ser encontrada em coisas corriqueiras do nosso dia a dia? 

Separamos três exemplos que mostram a importância do M2M nas nossas vidas. Confira:

  1. automobilismo;
  2. trânsito;
  3. rastreamento de frotas.

Automobilismo

Você é fã de Fórmula 1? Então, imagine se os técnicos precisassem abrir o capô do veículo e conferir se está tudo normalizado em cada volta. Essa seria uma realidade sem o M2M. 

Por meio de uma rápida comunicação entre máquinas, é possível conferir a temperatura do possante e possíveis problemas com pneus e com toda a aerodinâmica do carro. Isso evita acidentes e paradas indesejadas. 

Trânsito

Mas não é apenas nas pistas de corrida que o M2M é utilizado. Nas ruas de grandes cidades, é possível estabelecer uma comunicação entre sensores de semáforos, evitando congestionamentos e acidentes. 

Esse é o preceito básico utilizado no conceito de “cidades inteligentes”, onde tudo funciona por meio de uma troca de informações a fim de facilitar a vida de seus habitantes. 

Rastreamento de frotas

Você com certeza conhece alguma empresa que possui uma larga frota de veículos. Para efetuar o monitoramento destes automóveis, são usadas comunicações máquina a máquina. 

Assim, são evitados possíveis furtos, desvios de carga e controle de excesso de velocidade. 

M2M: tecnologia a nosso favor

Chegando até aqui, podemos perceber o que é M2M e como o conceito Machine to Machine surgiu para facilitar a vida de todos. 

Assim, fica fácil listar alguns benefícios do M2M no nosso dia a dia, como: 

  • dinamização de metas, aumentando a produtividade dos funcionários com um melhor desempenho das máquinas;
  • corte de gastos, evitando maiores despesas em relação a manutenção de equipamento; 
  • segurança, sendo um aliado contra roubos e tentativa de furto de dados; 
  • resolução de problemas, mantendo uma comunicação rápida em momentos críticos.

Gostou de entender o que é M2M? Fique ligado nas nossas publicações para mais informações sobre tecnologia, economia e investimentos. 

Comentários