Sem fila para abrir conta ou necessidade de deslocamento até uma agência, transações totalmente digitais, taxas zero ou baixíssimas. São muitas as vantagens, mas, afinal, os bancos digitais são seguros?

Que os bancos digitais chegaram para revolucionar o nosso conceito de banco, isso é inegável. Só de pensar que para resolver qualquer problema basta ter acesso à internet já brilhamos os olhos, não é mesmo?

Mas, por trás de tanta facilidade, fica aquela dúvida e incerteza na hora de confiar seu dinheiro… Será que os bancos digitais são seguros, será que vale a pena arriscar?

É normal surgir esse tipo de dúvida, o receio do vazamento de dados, de o banco não se consolidar e quebrar. Principalmente porque esses bancos digitais surgiram há poucos anos. 

A verdade é que o risco existe para ambos os bancos, tradicionais e digitais. A diferença está na forma com que cada instituição faz a gestão e proteção de seus dados, por exemplo. 

Quer você queira, quer não, os bancos digitais já são uma tendência e até mesmo os bancos tradicionais terão que se adaptar a ela. 

De acordo com um estudo feito pela The Economist Intelligence Unit (EIU), encomendado pela Temenos, banqueiros da América Latina acreditam que os consumidores vão abandonar o contato humano por serviços baratos ou gratuitos.

Para 69% dos entrevistados, os pagamentos sem dinheiro também serão predominantes até 2020.

Dessa forma, não há como escapar. Mas, para te deixar um pouco mais calmo, vamos apontar algumas razões que fazem o banco digital ser seguro.

6 características que mostram que os bancos digitais são seguros

1. Controle do Banco Central

Hoje existem 7 grandes bancos digitais atuando no Brasil. São eles:

Inscreva-se em nossa Newsletter

Faça como milhares de empreendedores e receba os melhores conteúdos sobre o mundo Fintech em sua caixa de e-mail.

  • Nubank 
  • Banco Inter
  • Superdigital
  • Agibank
  • Next
  • Neon

Todos eles são regulamentados pelo Banco Central. Isso garante a segurança e serve para evitar qualquer tipo de problema com os serviços online. 

Em 2018, por exemplo, o Banco Central interveio em uma ação com o banco Neon para garantir que nenhum cliente sofresse danos por conta de uma onda de fofocas sobre a quebra da fintech. 

Além disso, os bancos digitais investem cada vez mais em tecnologia para evitar qualquer tipo de vazamento.

A youtuber Júlia Mendonça também dá dicas sobre a segurança dos bancos digitais:

2. Existem regras para os bancos operarem

O Conselho Monetário Nacional (CMN) determinou novas regras para os os bancos operarem digitalmente, na resolução 4658

Em resumo, o documento obriga as instituições financeiras a elaborarem uma política de segurança cibernética, com definições de requisitos para a contratação de serviços de armazenamento de dados, de computação em nuvem e de processamento. 

Além disso, essas empresas devem possuir controles e sistemas cada vez mais robustos, especialmente quanto à resiliência a ataques cibernéticos. Essa é mais uma razão para você perceber como os bancos digitais são seguros. 

3. Clientes mais satisfeitos

Uma pesquisa feita pelo Google em 2018 divulgada pela Exame.com mostrou que em cada dez clientes das fintechs sete se consideram satisfeitos (71%), enquanto quatro em cada dez clientes das instituições financeiras tradicionais (42%) possuem a mesma opinião.

Quase metade dos usuários do Google (46%) ainda usam instituições financeiras tradicionais como principal provedor, mas a diferença de satisfação entre quem aposta em novos bancos é gigantesca.

4. Você pode pesquisar sobre o banco

Se você tiver dúvidas sobre o que o banco diz a seu próprio respeito, cheque a opinião de quem usa. Você pode usar as redes sociais para isso, mas também em sites como Reclame Aqui e no Procon.

Caso você esteja em dúvida se a instituição é real ou não, pode verificar seu CNPJ, razão social e regulamentação no site da Receita Federal.

5. Proteção de dados

A segurança na internet não é um problema apenas das instituições financeiras. Uma das formas de um banco digital ser seguro é protegendo as transações. 

Por isso, eles utilizam protocolos de navegação mais seguros, como o “HTTPS”, no qual as informações são criptografadas para evitar interceptações e ataques cibernéticos. 

Para a sua própria segurança, é necessário que você tem invista em ferramentas, como um antivírus e um firewall. Sempre acesse somente os canais de atendimento oficiais dos bancos digitais, como site e aplicativo.

6. Bancos tradicionais estão mais digitais

Você já percebeu que hoje em dia existem menos agências de bancos do que antigamente? A digitalização dos serviços bancários é um caminho sem volta. Até mesmo os bancos tradicionais têm investido no digital. 

Eles têm nos incentivado a usar cada vez mais os aplicativos e o internet banking no desktop. Isso tem um motivo: corte de custos. 

De acordo com o mesmo estudo da EIU, os bancos da América Latina estão focados em reduzir custos: 51% dos banqueiros disseram que essa é sua principal estratégia.

E nós temos comprado: segundo dados da Febraban, 35% das transações bancárias são feitas pelo celular atualmente. 

Assim, de uma forma ou de outra, estamos todos expostos a ataques cibernéticos, caso este seja o medo. 

A evolução tecnológica traz mudanças a todo tempo e saber mais sobre Fintechs e o mercado finanças é importantíssimo para tomarmos melhores decisões. 

Para ficar por dentro de tudo do mundo das fintechs, assine a nossa newsletter!

Comentários