Para quem está se perguntando se realmente vale a pena investir em Bitcoin (BTC), que tal pensar por outra perspectiva? E se uma única unidade monetária passasse a valer 50 mil reais? Sim, isso mesmo! O Bitcoin ultrapassou essa marca nos meses de junho e julho de 2020, considerando as flutuações características dos mercados de ativos e de criptoativos. 

Segundo os dados de câmbio disponibilizados ao Google pela Morningstar e os da criptomoeda informados pela Coinbase, o BTC chegou a ser cotado em R$ 50.943,11 no dia 22 de junho, o que é um forte indicador da robustez dessa moeda virtual.

Mesmo durante a pandemia da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2), o portal IstoÉ Dinheiro aponta para a valorização de 68% do Bitcoin (negociado em reais), no período de 1º de janeiro a 5 de maio de 2020. A matéria credita o desempenho ao processo chamado de halving, que é o “corte” nas emissões da criptomoeda, de modo que a escassez valorize o referido ativo pela lei da oferta versus procura.

vale a pena investir em bitcoin

Fonte: IstoÉ Dinheiro

O halving acontece porque, desde a criação dessa criptomoeda, foi definido que seriam emitidos, no máximo, 21 milhões de Bitcoins até o ano de 2140. Ou seja, a cada quatro anos, evita-se a inflação por meio desse “corte” pela metade das emissões do dinheiro virtual, cujos resultados positivos foram constatados nos halvings anteriores, em 2012 e 2016. 

E, para quem está em dúvida se investir em Bitcoin vale a pena, tal análise positiva é reiterada pelo relatório da Bloomberg, publicado no último mês de junho, em que consta a possibilidade do Bitcoin conquistar sua máxima histórica nesse ano. A publicação prevê que, se seguir a tendência do último halving, é possível alcançar o recorde com cifras entre US$ 20.000 e US$ 28.000 ainda em 2020.

Contudo, apesar da liberdade de pagamento e das taxas baixas, o escritor e consultor financeiro Gustavo Cerbasi alerta para a questão dos riscos do mercado Bitcoin, principalmente sobre a falta de regulamentação. Saiba mais no vídeo “Vale a pena investir em Bitcoin” do #CerbasiResponde: 

Vale a pena investir em Bitcoin? Comparamos 3 características

1. Quesito “segurança”: vale a pena investir em Bitcoin?

Ter uma carteira digital era um conceito surreal há pouco mais de dez anos. Entretanto, essa tecnologia disruptiva está contribuindo para ressignificar a relação que costumávamos ter com o dinheiro. Aliás, essa mesma relação passou por mudanças expressivas desde a época em que era considerado “mais seguro” manter o dinheiro dentro do colchão, não é mesmo?

Quando se fala de segurança como parâmetro para saber se vale a pena investir em Bitcoin, os principais pontos são:

  • As operações são protegidas por criptografia e contém cópias de segurança, logo, o protocolo dessa moeda digital não pode ser controlado, nem manipulado, por instituições públicas e/ou privadas;
  • Os dados pessoais dos usuários não ficam armazenados, nem vinculados às respectivas transações;
  • O sistema de blockchain propicia mais segurança e transparência nas transações, por meio de uma rede de computadores que formam blocos, mas operam de modo independente para registrar e validar cada operação (como se fosse um livro-razão), sem a necessidade da intermediação de um banco;
  • Há “mineradores” no mundo todo registrando e conferindo as transações, o que descentraliza as informações. Conforme são validadas, essas operações vão compondo o bloco do sistema – daí o nome blockchain. E, ao completar cada bloco, essas pessoas são recompensadas por frações de novos Bitcoins.

2. Quesito “volatilidade”: vale a pena investir em Bitcoin?

O BTC passou a circular após a crise financeira de 2008, como uma opção para “substituir” tanto o uso da moeda física quanto o intermédio dos bancos ao realizar compras e transações financeiras. 

Porém, embora a proposta não seja uma franca competição com as moedas tradicionais – e sim uma alternativa – o grau de aceitação ainda é relativamente pequeno frente ao mercado convencional e, com isso, muitos estabelecimentos ainda não aceitam essa forma de pagamento, assim como algumas pessoas temem a volatilidade e o fantasma da especulação.

E, por falar em volatilidade, vale lembrar que essa também é uma característica dos ativos tradicionais, pois as recompensas elevadas costumam vir acompanhadas de altos riscos, então, é essencial adotar medidas para preservar o capital. A propósito, a sabedoria popular faz o alerta: não coloque todos os ovos na mesma cesta, não é?

Além disso, em termos de volatilidade do mercado das moedas digitais, é importante considerar:

  • A crescente visibilidade das criptomoedas é um fator que atrai novos usuários, o que pode sobrevalorizar o criptoativo. No caso do Bitcoin, entretanto, o halving contribui para essa regulação entre oferta e demanda;
  • O ato de converter dinheiro em Bitcoin tem ganhado popularidade, o que também faz com que mais pessoas estejam trabalhando para aprimorar essa tecnologia;
  • Especialistas percebem a criptomoeda como uma reserva de valor, algo similar ao que é feito com o ouro, mas considerando que se trata de uma negociação digital, com segurança, agilidade e anonimato.

3. Quesito “risco das operações”: vale a pena investir em Bitcoin?

As regulamentações e as oscilações do mercado costumam trazer preocupações quanto ao risco e, portanto, é importante levar em conta as questões que influenciam as transações direta ou indiretamente:

  • As autoridades de diversos países estão se mobilizando para coletar informações e normatizar essas negociações, prevenindo crimes como sonegação e lavagem de dinheiro. No Brasil, desde agosto de 2019, as operações com criptoativos devem ser comunicadas à Receita Federal, independente se foram realizadas por pessoas físicas, pessoas jurídicas ou pelas corretoras;
  • Além de usar as corretoras (conhecidas como exchanges), muitas pessoas se perguntam se vale a pena investir em Bitcoin no formato Peer-to-peer (P2P). Em tradução livre, o conceito de P2P corresponde a “ponto a ponto”, ou seja, a operação não requer o intermédio de uma exchange, visto que algumas podem ter problemas com baixa liquidez;
  • IMPORTANTE: o perfil do investidor é determinante para saber se realmente vale a pena investir em bitcoin em 2020. E, mesmo para quem ainda está aprendendo, é essencial redobrar a atenção no stop loss, que é justamente o limite estipulado para o quanto você está disposto a perder em uma negociação, como forma de reduzir eventuais danos.

E agora que você já tem informações para decidir se ainda vale a pena o Bitcoin, aproveite para ler nossos posts e conhecer mais sobre essa cobiçada criptomoeda:

Comentários