Já tentou ir até o banco para conseguir um empréstimo e a resposta foi “não”. Você está precisando de um financiamento e já não sabe mais a quem recorrer? Calma, conheça 4 fintechs de financiamento que estão mudando este cenário. 

As fintechs de financiamento, crédito e negociação de dívidas representam hoje 21% das fintechs do mercado, de acordo com a pesquisa FinTech Deep Dive 2018 da Associação Brasileira de Fintechs (ABFintechs) em parceria com a PwC Brasil – e ilustrado no gráfico abaixo.

fintech financiamento gráfico

Este segmento está se fortalecendo e ganhando maior credibilidade. Conforme apontou o estudo, a perspectiva para os próximos anos é de mais crescimento e ganho de mercado.

O número de fintechs no Brasil cresceu de 83 em 2015 para 403 em 2018, a maior parte dessas fintechs são dos setores de pagamentos, gestão financeira e de crédito.

Fintechs de financiamento: P2P e refinanciamento

P2P

O que mais atrai nessas empresas é a rapidez nas transações e também maior facilidade. Um maneira, por exemplo, de tornar o processo menos burocrático é por meio de empréstimos on-line de P2P (peer-to-peer-lending).

O P2P ou empréstimo coletivo funciona assim: plataformas digitais conectam quem quer emprestar dinheiro a quem precisa dele, sendo que o valor total pode chegar por diferentes investidores. 

Geralmente quem precisa do crédito paga uma taxa mais baixa enquanto que quem empresta também recebe um valor superior em retorno, se comparado com métodos tradicionais. 

Nesses casos a rapidez da análise do perfil, por exemplo, se dá por conta da tecnologia envolvida. As regras também são facilitadas, em alguns casos o próprio imóvel que será comprado pelo cliente pode ser usado como garantia da dívida.

Refinanciamento

Esse é um tipo de crédito em que você utiliza um bem, como um veículo ou um imóvel, como garantia do pagamento do seu empréstimo. Bem simples e com baixa burocracia. 

Inscreva-se em nossa Newsletter

Faça como milhares de empreendedores e receba os melhores conteúdos sobre o mundo Fintech em sua caixa de e-mail.

Existem já algumas fintechs de financiamento atuando neste setor no Brasil, como:

  • MOVA
  • Bcredi
  • Creditas
  • Quero Financiar

Elas chegaram para facilitar a vida principalmente do pequeno e médio empresário. Saiba um pouco mais sobre como essas fintechs de financiamento funcionam. 

Leia também: Como começar uma fintech: um guia em 5 passos

4 fintechs de financiamento

MOVA

A fintech de financiamento MOVA foi a primeira instituição financeira aprovada pelo Banco Central como Sociedade de Empréstimo entre Pessoas (SEP). O modelo adotado é o P2P.

Esse novo formato, regulado pelo BC em abril de 2018, permite investir no financiamento de pessoas físicas e jurídicas por meio de uma plataforma eletrônica, sem a necessidade de um banco intermediando a operação

A MOVA está em fase pré-operacional. O financiamento geralmente é coletivo e quando um grupo de investidores completa o valor solicitado a operação é formalizada online. Pessoas físicas podem financiar uma pós-graduação.

Cada investidor, por sua vez, pode pulverizar seu risco, investindo em pequenas cotas de financiamentos para montar um portfólio diversificado.

Bcredi 

A Bcredi nasceu com um propósito: mudar o mercado de crédito no Brasil ao mesmo tempo que causa um impacto positivo na economia.

Nessa fintech de financiamento, é possível conseguir o crédito solicitado em até 10 dias úteis e reduzir em até 80% o valor das parcelas dos empréstimos.

Se o seu intuito é financiar um imóvel, ela também oferece financiamento imobiliário online. Desde a aprovação do cadastro até a emissão do contrato (incluindo o envio dos documentos), tudo pode ser feito pela internet. Não há necessidade de ir pessoalmente a um escritório.

Quero Financiar

A Quero Financiar oferece o tipo de refinanciamento que é uma modalidade de crédito na qual você deixa seu veículo ou imóvel como garantia para o banco, e em troca você recebe melhores condições de taxas com prazos mais longos.

Em entrevista à Exame, Charles Uhlmann, gerente de expansão da Quero Financiar, explicou que o refinanciamento é uma forma de reduzir juros. Dessa forma você deixa um bem como garantia de que o pagamento será realizado.

“Essa possibilidade, atrelada aos benefícios de uma empresa totalmente online, derruba a taxa de juros cobrada pelos bancos. A operação é feita toda eletronicamente, com uma vistoria pessoal somente, reduzindo o tempo e permitindo a quitação de dívidas com altas taxas de financiamento”, comenta Uhlmann ao site.

Dessa forma, o valor que será liberado para o cliente vai corresponder a pelo menos a metade do montante do bem oferecido como garantia.

Creditas

A Creditas é outra fintech de financiamento que utiliza da prática de refinanciamento, quando você deixa um bem de garantia. 

A Creditas é responsável por coletar a informação do cliente, fazer os algoritmos de crédito,  precificar e estruturar a operação, além de fazer o relacionamento com cliente, porém nem sempre o crédito é oferecido diretamente pela Creditas. 

A empresa atua como um marketplace, após a análise dos dados pessoais, a Creditas oferece o cliente aos parceiros. Aquele que tiver a menor taxa de juros faz o empréstimo para o consumidor. 

Quem opta por usar o veículo como garantia o empréstimo é liberado bem rápido, dentro de 2 a 5 dias após a solicitação. Aquele que usa o imóvel demora um pouco mais: de 4 a 8 semanas.

Depois de saber tudo sobre as fintechs de financiamento conheça também as fintechs de seguros que estão mudando o mercado brasileiro.

Comentários