As fintechs são uma das maiores promessas em termos de oportunidade de negócios desta segunda década do século XXI. De acordo com um levantamento da Época Negócios, das cinco startups unicórnio do Brasil em 2018, quatro delas foram empresas do segmento financeiro. Com esse cenário tão aquecido, um curso sobre fintech é o que muitos jovens empresários têm buscado para tentar entrar no setor.

A boa notícia é que há opções online e presenciais, para quem deseja se dedicar totalmente a saber tudo sobre fintech ou para quem precisa conciliar com uma outra atividade. A seguir, reunimos as melhores opções de formação no assunto.

Cursos de fintechs: 6 opções

1. Fintech Revolution

Este curso é organizado pela StartSe, uma empresa de educação continuada que se consolidou como o maior ecossistema de startups do Brasil. A formação é online e distribuída em 8 módulos.

Neles, os alunos aprendem sobre:

  • os caminhos que as principais fintechs tomaram para se tornarem unicórnios
  • os principais erros a serem evitados
  • como aproveitar as oportunidades atuais do mercado
  • quais são os maiores players internacionais
  • as tecnologias que estão à frente das mudanças e outros temas relevantes.

O curso de fintech da StartSe é direcionado para empreendedores, profissionais do mercado financeiro, investidores em fintechs e demais interessados. Os alunos terão aulas com nomes como Cristina Junqueira (NuBank), Benjamin Gleason (GuiaBolso), Paula Paschoal (PayPal), Stone Zheng (CrediGo) e outros grandes gestores de sucesso. A formação custa R$ 740,00 à vista, ou 12 parcelas de R$ 72,10.

2. Fintech – Prepare for the revolution in finance

Também para quem gosta dos modelos online de aprendizado, a Udemy oferece um curso com 3,5 horas de aulas. A formação é para quem deseja um curso fintech básico, para começar a entender o ambiente das fintechs e as últimas tendências do mercado financeiro.

Os alunos que se inscreverem vão aprender sobre:

  • como a tecnologia está liderando mudanças nas práticas financeiras;
  • como as fintechs estão estimulando transformações nos marcos regulatórios;
  • inovação;
  • inteligência artificial;
  • blockchain;
  • bitcoin;
  • big data.

As aulas são dadas em inglês, e o acesso ao material custa 49,99 euros, que podem ser pagos no cartão de crédito pela própria plataforma.

3. Programa de cursos integrados FinTech: Finance Industry, Transformation and Regulation

Uma terceira opção online de curso fintech é o programa da Coursera. A formação é totalmente à distância e tem duração de aproximadamente quatro meses (se o aluno conseguir se dedicar cerca de quatro horas por semana).

Os alunos terão aulas sobre:

O objetivo final dos cursos é tornar os alunos mais seguros na tomada de decisão envolvendo empresas financeiras tecnológicas e conseguir se antecipar às mudanças para acompanhar o mercado.

4. Fintech Disruption Program

Para quem tem disponibilidade de estudar fora, a Universidade Católica de Lisboa oferece um programa de 21 horas de aula sobre o universo das fintechs. Esse curso de fintech é realizado duas vezes por ano e é presencial.

As aulas cobrem temas como:

  • os novos bancos;
  • big data e machine learning;
  • smart contracts;
  • regulamentação das fintechs.

A formação é dirigida a gestores financeiros, consultores de negócios, empreendedores que desejam explorar formas mais eficientes de levantar capital e outros interessados.

Para participar, é preciso pagar uma taxa de 1.900 euros, que deve ser quitada à vista no início do programa. Normalmente, as edições são realizadas em abril e outubro de cada ano.

5. Oxford Fintech Programme

Ainda falando sobre as opções estrangeiras, a Universidade de Oxford, na Inglaterra, oferece um programa de formação em fintech que está entre os mais prestigiados do mundo. O curso tem duração de oito semanas, com uma dedicação esperada dos alunos de aproximadamente dez horas de estudos semanais.

A formação foi pensada para garantir aos alunos a habilidade de identificar oportunidades de inovação no setor dos serviços financeiros. Os estudantes ficam preparados também para lançar empreendimentos no ramo das fintechs e recorrer a novas tecnologias para propor soluções no mercado financeiro.

Entre os conteúdos aprendidos nos módulos, estão:

  • ferramentas para inovadores;
  • futuro do dinheiro;
  • futuro dos mercados;
  • futuro dos marketplaces;
  • infraestrutura e RegTech;
  • proptech e inovação no setor imobiliário;
  • fronteiras da inovação financeira.

O público-alvo do curso fintech da Oxford são líderes de negócios que desejam ter maior segurança para atuar nesse novo contexto. Para participar, a taxa é de 2.650 libras, e a universidade também tem uma formação em estratégia em blockchain. Todas as aulas são em inglês.

6. Fintechs – Inovação e Disrupção no Mercado Financeiro

No Brasil, a FGV passou a oferecer um curso sobre fintechs presencial. A formação é realizada em São Paulo e tem aulas noturnas semanais. Ao todo, são 60 horas de aula, nas quais os alunos aprendem sobre os principais temas que podem oferecer oportunidades para as fintechs no país.

O curso abrange temas como:

  • surgimento do dinheiro;
  • consolidação do dinheiro como sistema de troca;
  • papel dos bancos;
  • evolução cultural e tecnológica;
  • surgimento das fintechs
  • economia de APIs;
  • internet das coisas;
  • machine learning;
  • tecnologia blockchain
  • marco regulatório das fintechs.

Os interessados em se tornarem alunos da instituição terão que pagar uma taxa de aproximadamente R$ 5.340. O curso é oferecido sazonalmente, portanto, é fundamental ficar de olho no site da universidade para não perder.

Um curso de fintech é uma forma eficiente para você se manter atualizado sobre um dos assuntos mais quentes do momento.

Se você se interessa pelo universo das empresas financeiras de base tecnológica, nosso blog é para você. Recomendamos nossos artigos para você aprender a diferença entre startups e fintechs, a história das fintechs, da origem ao crescimento e como começar a investir em fintech, Boa leitura!

Comentários