Investir em fintech é uma tendência mundial que vem tomando proporções cada vez maiores, afinal, só no ano de 2018, essas startups receberam de mais de US$39 bilhões em investimentos.

Esse mesmo levantamento, realizado pela CB Insights com 1.707 empresas, revela um crescimento de 120% dessa categoria em relação ao ano anterior.

Enquanto isso, dados levantados pela fintech Mais Retorno no ano de 2018, revelam que os trinta maiores fundos de investimentos em renda fixa do país, administrados por grandes bancos, tiveram rendimento médio de apenas 95% do CDI.

Frente a essa situação, a tendência parece ser de que as pessoas busquem alternativas mais rentáveis no mercado emergente das fintechs.

Toda essa movimentação no mercado financeiro tem levado preocupação às grandes instituições do setor, visto que, de acordo como os dados de uma pesquisa da PwC, 76% dos bancos tradicionais se sentem ameaçados pelo avanço das fintechs.

Com base nesses dados, investir em fintech parece ser uma boa opção para quem busca maior rentabilidade. Mas vamos entender um pouco melhor sobre o que são e como funcionam essas startups?

O que são fintechs

Radar Fintechlab 2018 - Investir em fintech
Radar FintechLab. Fonte: fintechlab.com.br

O termo Fintech surgiu da junção entre as palavras financial e technology, e se refere a startups voltadas para o segmento financeiro, que têm como objetivo inovar e otimizar os serviços da área.

Essas empresas operam predominantemente em ambiente virtual, fazendo uso de alta tecnologia para cumprir a missão de desburocratizar e facilitar serviços que, até pouco tempo, eram prestados somente por grandes instituições bancárias.

Por dispensarem a necessidade de grandes estruturas físicas para seu funcionamento, seus custos operacionais são muito mais baixos do que o das instituições tradicionais do segmento, o que possibilita cobrar taxas mais baixas, garantindo maior rentabilidade para os investimentos.

Conheça a seguir alguns exemplos de startups do setor e descubra qual delas está mais de acordo com o seu objetivo de investir em uma fintech.

Inscreva-se em nossa Newsletter

Faça como milhares de empreendedores e receba os melhores conteúdos sobre o mundo Fintech em sua caixa de e-mail.

Exemplos de fintechs 

1 – Nubank

Logo Nubank - Investir em fintech

Mais do que consolidada no mercado financeiro, a Nubank é um dos maiores e mais conhecidos exemplos dessa área. Foi uma das primeiras empresas a oferecer cartão de crédito livre de anuidade e facilitar o acompanhamento da fatura por meio de um app com interface prática e funcional. Recentemente iniciou os testes para a função de débito, estando a um passo de se tornar uma conta ainda mais completa.

No entanto, seu único produto voltado a investimento atualmente é a NuConta, que tem como compromisso fazer o dinheiro render mais do que a poupança sem nenhum custo adicional. Inclusive no site da empresa é possível simular a diferença entre o investimento em uma e na outra.

Para investir é muito simples, basta fazer um depósito em sua NuConta, que ele automaticamente já estará rendendo todos os dias úteis à 100% do CDI.

2 – URBE.ME

Logo Urbeme - Investir em fintech

Ideal para aqueles que querem investir no mercado imobiliário, o URBE.ME, por meio do conceito de crowdfunding, torna acessível a todos o que antes era possível apenas para grandes investidores.

Com investimento inicial a partir de R$1 mil, o investidor recebe um título de participação sobre as vendas, que lhe garante o recebimento dos rendimentos periodicamente.

3 – Magnetis

Logo Magnetis - Investir em fintech

Com sede em São Paulo, a Magnetis é uma gestora de investimentos onde você pode começar a aplicar seu dinheiro com valores a partir de R$1 mil, e fazer aportes adicionais acima de R$100.

Apresenta transparência em suas taxas, que garantem isenção para os primeiros R$5 mil aplicados e, a partir disso, passa a cobrar 0,4% ao ano. Além de taxas administrativas de 0,3% e 0,5% ao ano nos fundos de investimento da carteira do investidor.

4 – Nexoos

Logo Nexoos - Investir em fintech

Funcionando ao mesmo tempo como uma plataforma de empréstimos e investimentos peer-to-peer, a Nexoos conecta empresas que estão em busca de empréstimos com pessoas dispostas a financiá-las. Para isso, oferece juros menores para as empresas e maior rentabilidade para os investidores.

5 – Warren

Logo Warren - Investir em fintech

Fundada em 2014, a Warren atua como corretora, gestora e administradora, oferecendo investimentos de acordo com o perfil e objetivo de cada investidor.

A plataforma promete superar os rendimentos da poupança e oferece facilidade e segurança para aqueles que querem deixar de depender dos bancos e buscam por investimentos mais rentáveis.

Seus robôs sugerem uma carteira diversificada, com produtos de renda fixa e ações, que visam maior desempenho e menor risco, garantindo estabilidade e autonomia para obter bons rendimentos, seja enfrentando períodos de turbulência ou de calmaria na economia.

6 – Monetus

Logo Monetus - Investir em fintech

Com sua sede localizada em Belo Horizonte, a Monetus é uma gestora de investimentos digital que cria o plano de investimento de acordo com os objetivos de cada investidor, visando rentabilidade e segurança.

O processo de aplicação é bem simples: o primeiro passo é criar uma conta de investimento na plataforma. Após isso, é necessário realizar uma transferência para essa conta, e pronto! Você ainda pode acompanhar seus rendimentos pelo celular ou computador.

Como muitas do setor, a Monetus não cobra nenhum tipo de taxa, nem mesmo para resgate.

7 – Yubb

Logo Yubb - Investir em fintech

Se você quer saber onde é o melhor lugar para aplicar o seu dinheiro no momento, o Yubb é exatamente o que você procura. Ele é um buscador de investimentos que funciona de forma 100% gratuita, transparente e imparcial, e promete ajudar os investidores a encontrar os melhores investimentos do Brasil.

Com poucos passos dentro do site ele já te mostra centenas de investimento de diferentes instituições. É a ferramenta perfeita para quem está querendo sair da poupança e o obter rendimentos superiores à inflação.

Vale a pena investir em fintech

A possibilidade de investir em fintech contribuiu para quebrar o antigo mito de que é preciso ter muito dinheiro para investir. Agora, com apenas R$100, você já pode começar a aplicar o seu dinheiro.

Ao comparar o investimento em fintech com aqueles oferecidos pelos bancos tradicionais, a lucratividade proveniente do primeiro caso tende a se mostrar muito mais atrativa. Isso se deve principalmente a dois fatores:

  • As altas taxas administrativas cobradas pelos bancos;
  • O baixo custo operacional dessas empresas menores.

O motivo disso é que as fintechs não precisam de grandes estruturas para seu funcionamento, uma vez que operam em ambiente virtual. Enquanto isso, os bancos possuem milhares de agências espalhadas por todo o país.

É justamente esse baixo custo operacional que permite a possibilidade de cobrar taxas menores, fazendo com que investir em fintech seja muito mais rentável.

É claro que tudo depende do perfil de cada investidor. Os mais ousados têm a chance de conseguir um retorno muito maior ao correr mais riscos. Já os mais conservadores podem ter uma rentabilidade menor, porém garantida, e acima dos rendimentos que teriam na poupança.

É seguro investir em fintech

Como tudo que envolve dinheiro, investir em fintech também poderá envolver algum tipo de risco. Portanto, é necessário compreender tudo o que está em jogo e tomar alguns cuidados antes de compartilhar seus dados bancários ou fazer qualquer transação financeira:

  • Compare diferentes empresas. Veja o que cada uma tem a oferecer e escolha a que estiver mais de acordo com o seu perfil;
  • Busque mais informações a respeito da empresa onde você está planejando investir, como quem são seus fundadores, seu histórico e tempo de mercado;
  • Verifique se a empresa escolhida conta com a autorização de órgãos reguladores como o Banco Central, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) ou a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (ANBIMA);
  • Tenha certeza de que seus investimentos estarão garantidos pelo Tesouro Nacional ou pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC);
  • Procure opiniões de pessoas que já investiram e pergunte como foram suas experiências;
  • Certifique-se de que entendeu exatamente como a plataforma escolhida funciona, e quais são os benefícios e riscos envolvidos no processo de investimento.

Agora que você já sabe um pouco mais sobre o assunto e conhece as principais vantagens de se investir em uma fintech ou por meio dela, talvez esteja mais preparado para tomar a decisão de largar os bancos tradicionais e fazer o seu dinheiro render de verdade.

Se você gostou desse artigo e gostaria de saber mais sobre o assunto, assine nossa newsletter para receber outros conteúdos como esse em sua caixa de entrada.

Outros conteúdos que certamente irão interessar a você:

Comentários