As fintechs surgiram para facilitar a vida das pessoas. Afinal, hoje muitos processos são digitais, e com o mercado financeiro não seria diferente. Mas como essas empresas funcionam? Como é o modelo de negócio das fintechs? É sobre isso que vamos falar neste post!

O modelo de negócio das fintechs está revolucionando no mundo todo, pois mudou a relação do consumidor com o dinheiro, isso porque tirou toda a cara de “burocrático” que esse serviços possuíam antigamente.

A grande maioria das fintechs são startups que investem em tecnologia voltadas ao mercado financeiro. Elas nascem a partir da necessidade e praticidade de algum serviço já existente, sendo contrárias a qualquer modelo conservador de negócio.

Em outras palavras, o modelos de negócio das fintechs revoluciona serviços já prestados de forma prática e fácil.

Assim como as startups clássicas, as fintechs têm funcionalidades predominantemente digitais, o que acaba sendo uma vantagem na escolha delas em relação aos bancos tradicionais. A popularização dos smartphones tem um peso muito grande nisso, pois, o cliente acaba tendo literalmente tudo que precisa na palma da sua mão sem precisar se locomover a um local físico.

As fintechs já estão colaborando na revolução financeira dos bancos, que, para se enquadrarem nesse momento de seus clientes, estão tentando uma abordagem mais amigável e até se unindo às queridinhas do mundo financeiro. Um bom exemplo disso é o banco Next, criado pelo bradesco.

Diferenciais do modelo de negócio das fintechs

Atualmente, existem diversos tipos de fintechs, o que facilita qualquer movimentação relacionada a dinheiro, organização financeira, pedidos de empréstimo, locação de imóveis e muito mais. E seus principais diferenciais são:

Menos burocracia

Abrir uma conta corrente nunca foi tão simples, em algumas poucas etapas em um smartphone, já é possível possuir uma.

Pelo app do banco ou serviço escolhido já é possível fazer movimentações bancárias, investir em fundos financeiros, pedir empréstimos, contratar seguros e até mesmo alugar imóveis, solicitar faxina e muitos outros serviços que antigamente não seriam feitos com tanta praticidade.

Além disso, possuem taxas de menor valor e muitas vezes até a isenção total delas, como no caso do Nubank, que não possui taxas de manutenção da conta, nem anuidade, o que acaba sendo um ponto forte na escolha desse serviço.

Inscreva-se em nossa Newsletter

Faça como milhares de empreendedores e receba os melhores conteúdos sobre o mundo Fintech em sua caixa de e-mail.

Inovação

A cada dia que passa, vivemos de forma mais inovadora. Para os mais velhos seria até impossível viver com a praticidade que temos hoje.

A inovação dos serviços e segurança faz com que tudo seja mais fácil, como não precisar mais sair de casa para escolher um novo lugar para morar. O QuintoAndar, por exemplo proporciona que você consiga visitar um apartamento pelo próprio site ou app da empresa, com visões 360º dos ambientes, o que torna ainda mais confiável o que aquele anunciante tem a oferecer.

Podemos citar também o PicPay, que faz você pagar contas de restaurantes, por exemplo, apenas lendo um simples QRCode na câmera dentro do aplicativo (muitas vezes, até gera um cashback por você priorizar o serviço). Como ilustrado pelo Fábio Porchat nesta campanha institucional:

No fim das contas, toda inovação que acontece ao nosso redor acaba influenciando como consumimos.

Foco no cliente

Sabe aquela frase “o cliente tem sempre razão”? É assim que as fintechs trabalham hoje. Um serviço mais humanizado e com foco 100% nos seus consumidores, com certeza é um diferencial de grande peso.

O C6 Bank, novo banco digital, até brincou com a humanização dos bancos físicos, onde era clássico o gerente oferecer um cafezinho quando o cliente se locomovesse até a instituição para fazer alguma operação. Por  isso, presenteou seus clientes em um determinado período com um voucher para tomar o famoso cafezinho.

modelo de negocio fintech
Voucher da campanha do C6Bank. Fonte: C6

E não é apenas dando brindes que essas empresas conquistam, elas tornam atendimentos que poderiam ser considerados desagradáveis e demorados em uma experiência onde o cliente se sinta bem e acolhido. Apesar de não ter contato diretamente com humanos, o atendimento dessas empresas deixam de lado a frieza e seriedade, estereotipada por muito tempo quando falamos do mundo financeiro.

Operação digital

Por serem operadas digitalmente, o modelo de negócio das fintechs acaba sendo mais econômico do que os demais.

Você não precisar se locomover para resolver qualquer coisa relacionada ao seu banco, o que pode poupar muito tempo do seu dia. Por exemplo, você pode pedir um empréstimo enquanto está no transporte indo para o trabalho ou almoçando. Basta apenas ter acesso a internet e voilá, o que você precisa está feito!

Depois de entender como funciona e as vantagens de um modelo de negócio fintech, que tal pensar em abrir um empreendimento nesse universo? Não perca tempo, descubra as vantagens de abrir uma franquia de Fintech e invista nisso!

Comentários