O mercado de criptomoedas tem se expandido consideravelmente na última década.

Com esse dinheiro digital, é possível fazer transações seguras de pessoa para pessoa (peer-to-peer) por meio da internet, dispensando a intermediação e a autorização de qualquer órgão do sistema financeiro tradicional.

A primeira criptomoeda e também a mais conhecida é o Bitcoin. Depois de sua criação em 2009, o Bitcoin a a tecnologia blockchain serviu de base para que outras moedas digitais fossem lançadas no mercado, como é o caso do Ethereum.

Neste artigo, você vai conhecer o que é o Ethereum e como funciona o processo de mineração de criptomoedas. 

Continue a leitura para conferir também um passo a passo com as etapas fundamentais de como minerar Ethereum e ser remunerado com essa moeda digital.

Leia também: Duas opções de curso de criptomoeda para você aprender a investir

O que é o Ethereum?

O Ethereum é uma plataforma aberta e descentralizada desenvolvida pelo programador russo Vitalik Buterin e lançada no ano de 2013.

Baseada na tecnologia do blockchain, essa plataforma conta com sua própria criptomoeda: o Ether (ETH), que comumente também recebe o nome de Ethereum.

A plataforma do Ethereum apresenta código aberto, e pode ser utilizada para o desenvolvimento de aplicações descentralizadas. Esse sistema é alimentado pela criptomoeda Ether, utilizada para remunerar os mineradores que processam as validações.

O Ethereum é a segunda criptomoeda com maior capitalização, estando atrás apenas do Bitcoin.

Para adquirir o ETH, você pode comprar nas exchanges brasileiras ou atuar como minerador, recebendo uma recompensa em Ethereum por cada transação validada na rede.

Leia mais: Conheça o Ethereum: uma das principais criptomoedas

O que é e como funciona a mineração de criptomoedas?

Antes de mostrarmos os passos de como minerar Ethereum, é importante que você entenda o que é e como funciona esse processo.

De uma forma geral, a mineração de criptomoedas é o processo no qual são emitidas essas moedas digitais.

Para que isso aconteça, os mineradores têm a missão de resolver problemas matemáticos complexos e fornecer à rede o que chamamos de “prova de trabalho”. 

Eles utilizam cabeçalhos exclusivos gerados por meio de uma sequência aleatória de números letras (função hash) e devem encontrar um hash que corresponda ao atual destino identificado no cabeçalho, validando a transação.

A mineração serve para emitir novas unidades de ativos. São oferecidos para os mineradores recompensas em troca do tempo e da capacidade computacional que eles dedicam para solucionar os problemas matemáticos da rede.

No entanto, quanto mais mineradores se dedicam a essa função, mais complexos os problemas matemáticos ficam. Isso acaba demandando mais tempo e capacidade computacional para minerar o Ethereum.

Veja também: Como analisar criptomoedas: o que levar em consideração ao começar a investir

Passo a passo: como minerar Ethereum?

A mineração da criptomoeda Ethereum é uma boa alternativa para quem deseja diversificar sua carteira de investimentos.

E atuar como minerador não é tão difícil como parece. Para te ajudar, elaboramos aqui um passo a passo descomplicado de como minerar Ethereum.

Passo 1 – Invista em uma robusta estrutura de hardware

O primeiro passo para quem deseja saber como minerar Ethereum é investir em uma estrutura de hardware potente.

Você precisará de uma GPU (Unidade de Processamento Gráfico) ou de uma poderosa CPU (Unidade Central de Processamento). A primeira é mais indicada para mineração de criptomoedas.

Além disso, é necessário que você tenha uma memória RAM decente; quanto mais, melhor.

Passo 2 – Instale o software de mineração

Depois de investir na parte de hardware, você deverá instalar o software de mineração. É ele que vai permitir que você acesse e interaja com a rede Ethereum.

Dentre as opções disponíveis para instalação, destacam-se o MinerGate, o Geth e o Ethermine.

Em seguida, é necessário fazer o download da blockchain da Ethereum para configurar seu nó e conectá-lo à rede.

Passo 3 – Faça parte de um pool de mineração

Minerar individualmente é extremamente mais difícil do que se você unir esforços com um grupo de outros mineradores.

Sozinho, você estará competindo com outros milhares de mineradores que contam com uma estrutura monstruosa para minerar criptomoedas.

Ao se unir a uma pool de mineração, você conseguirá resolver os problemas matemáticos com maior facilidade.

A recompensa é distribuída proporcionalmente entre os programadores integrantes do pool de acordo com o nível de contribuição.

Para integrar um pool de mineração de Ethereum, você pode recorrer ao Ethermine.

Veja mais: Biscoint: um guia completo sobre o comparador de preços de criptomoedas

Quer dicas práticas de como minerar Ethereum? Então, confira este vídeo do Bitnoob:

Conclusão: Minerar Ethereum vale a pena?

A mineração de Ethereum pode ser muito vantajosa. Mas isso requer investimento em hardware e energia elétrica.

A valorização dessa criptomoeda é um dos principais atrativos para os mineradores. No entanto, esse processo se torna cada vez mais difícil e complexo à medida em que novos mineradores integram à rede.

Se você ficou interessado em investir nessa atividade, siga o nosso passo a passo e você poderá ter boas recompensas na mineração de Ethereum.

Saiba mais: Criptomoedas: guia sobre o mercado das moedas virtuais

Se você quer aumentar sua renda por meio das criptomoedas, não perca mais tempo! Estude esse tema com quem domina de verdade. Por isso, selecionados este curso que vai ajudar a você a entender tudo sobre o assunto e obter o lucro que deseja:

Segredos do bitcoin 3.0

Comentários