Para ter um negócio e abrir uma empresa é importante entender que todas as escolhas vão impactar no sucesso ou não de sua operação. E como identificar as melhores estratégias que vão influenciar em bons resultados? O primeiro passo é um bom planejamento estratégico, que permita entender a real necessidade da sua empresa.

Se o seu plano for abrir uma loja que dependa inteiramente de vendas, é importante ter sua atenção voltada a experiência do cliente. Quanto melhor for a experiência de compra dele, maior a chance dele voltar ao seu estabelecimento e ainda fazer uma boa propaganda para outras pessoas. E, hoje em dia, o que mais faz diferença e influencia uma boa experiência é a facilidade de que o consumidor dispõe na hora de fechar a compra. 

Com esse intuito, existem os meios intermediários de pagamento, também conhecidos como adquirentes. Mas afinal o que é adquirente? Antes de saber o que é adquirente, é preciso entender que existem também os subadquirentes e gateways de pagamento. E é necessário saber qual a diferença de cada um. Para facilitar, fizemos este post para ajudar a tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto. 

Entendendo o que é adquirente e qual seu impacto no negócio

Um adquirente é uma empresa que administra e faz a transferência do valor recebido em uma transação de compra ao empreendedor. Quando o cliente não faz o pagamento em dinheiro, ele realiza a compra utilizando cartão de débito ou crédito e para isso existem as maquininhas de cartão que fazem essa conexão de pagamento, efetivação da venda e entrega do valor à empresa.

A comunicação de uma adquirente para um lojista é feita com a bandeira do cartão (MasterCard, Visa e Elo) e com as instituições financeiras e emissoras (Itaú ou Bradesco), já que o lojista ou dono do comércio não possui autonomia para fazer isso sozinho. O maior benefício de ter um meio adquirente, como maquininha de cartão, por exemplo, é oferecer mais opções de compra para seu cliente final. 

Inscreva-se em nossa Newsletter

Faça como milhares de empreendedores e receba os melhores conteúdos sobre o mundo Fintech em sua caixa de e-mail.

É muito comum ver casos de desistência de compra, quando o cliente já fechou o carrinho, mas viu que o estabelecimento não aceitava cartão de crédito e débito. Por isso, cada vez mais, os empresários, empreendedores e lojistas passam a contratar serviços de adquirência para não perder a fidelidade do seu freguês.

Feiras, barracas de rua e pequenos comércios utilizam maquininhas de cartão para facilitar o pagamento de seus clientes e não perder uma venda. Principalmente agora com o advento das fintechs que oferecem serviços de adquirência por um preço inferior se comparado às instituições tradicionais.

Os maiores exemplos são de maquininhas como a Minizinha, Minizinha Pró (PagSeguro) e SumUp, que oferecem valores acessíveis aos comerciantes menores.

Este vídeo da ABCOMM (Associação Brasileira de comércio eletrônico) explica o que é adquirente, a diferença entre subadquirentes e gateways, ensinando como utilizá-los da melhor forma em sua empresa.

O que é adquirente e quais suas vantagens?

Já falamos aqui que o mercado latino-americano — e, especialmente, o Brasil — tem grande potencial para quem deseja investir em um terreno fértil para meios de pagamento. Por isso vale muito a pena possuir uma máquina de cartão em seu estabelecimento, seja ele grande ou pequeno.

Um levantamento do Minsait revelou que os brasileiros são os consumidores que mais utilizam cartões de crédito na hora da compra, em relação aos seus vizinhos da América Latina. Mais de 80% da população do país utiliza cartão de crédito. Já os outros países latino americanos ficam dentro de uma média de 60% e 70% em relação ao uso do “dinheiro digital”.

Sendo assim, as principais vantagens de se ter um sistema adquirente em negócio são:

  • Chance de atrair mais clientes
  • Democratização ao acesso de meios de pagamento
  • Maior segurança nas transações de venda e recebimento do dinheiro
  • Terceirização de cobrança. Com meios de pagamento, você não precisa fazer a cobrança direta ao seu cliente, já que a empresa administradora que passa a ter essa responsabilidade;
  • Prevenção de fraudes com cheques que voltam ou notas falsas
  • Melhor gestão de caixa e controle de vendas oferecidos pelas próprias empresas adquirentes
  • O cliente consegue fazer uma compra maior, já que é possível parcelar uma venda
  • Ter uma maquininha de cartão pode te diferenciar em meio a concorrência local

Exemplos de empresas adquirentes

Apesar de parecerem poucas, são inúmeras as empresas que atuam hoje no mercado de adquirência brasileira. Segundo informações do Banco Central, cerca de cem companhias atuantes neste segmento. O lucro das adquirentes é baseado nas taxas de administração e antecipação dos valores para os seus clientes, que são os donos de negócios. 

Mas essas são as principais empresas adquirentes do mercado brasileiro atual:

  • Rede (Itaú)
  • Cielo
  • Getnet (Santander)
  • Stone
  • PagSeguro
  • SumUp
  • Elavon
  • Vero (Banrisul)

O que é subadquirente

Os subadquirentes também se encontram como intermediadores do processo de venda. Mas, neste caso, eles vêm antes do adquirente e tem o objetivo de atender que possui um negócio menor. Ela faz conexão com o adquirente antes de se comunicar com a empresa administradora ou instituição financeira que entrega o dinheiro ao comércio.

Apesar de ser mais simples e mais barata na hora de implantação, a subadquirente possui um custo maior com suas taxas de administração, que variam de venda para venda. Geralmente, cobram um valor das empresas de 3 a 7% a mais de que as empresas de adquirência. 

Exemplos de subadquirentes

As principais subadquirentes do mercado hoje em dia são:

O que é gateway de pagamento?

Diferente das adquirentes e subadquirentes, um gateway de pagamento é voltado para atender lojas e negócios online, conhecidos como e-commerce. Neste caso, ele possui a mesma função de intermediadora adquirente. São empresas que são mantidas por um operador financeiro que autoriza transações e pagamentos de uma compra feita pela internet.

Sua principal função é oferecer segurança ao proteger informações do cliente e dados de seu cartão por meio de tecnologia e criptografia de dados.

Os principais gateways de pagamento são: 

Para te ajudar ainda mais, este vídeo do canal Mulheres no E-commerce explica a diferença entre bandeira e adquirente e qual o fluxo dentro de uma operação de venda e compra.

 Bandeiras de cartão

Essas são as principais bandeiras de cartão do mercado:

  • Visa
  • MasterCard
  • Elo
  • American Express
  • Dinners Club
  • Hipercard
  • Hiper
  • Cabal
  • Grand Card
  • Soro Cred
  • Vale Card
  • Brasil Card
  • Mais!
  • FortBrasil
  • Aura
  • Personal Card
  • Banese Card
  • Up Brasil

E ainda existem as bandeiras de vouchers e benefícios aceitas em alguns estabelecimentos como forma de pagamento. São elas:

  • Sodexo
  • Ticket
  • VR
  • Alelo

Depois de descobrir o que é adquirente e qual sua função no negócio, o que acha de acompanhar nossos conteúdos com as melhores dicas e análises do mercado de fintechs e startups? Continue acessando nosso site e assine nossa newsletter. 

Comentários