A instabilidade cambial no Brasil e a abertura do mercado para startups do setor financeiro proporcionaram o surgimento de um novo tipo de empresa no setor: a fintech de câmbio.

Em uma cenário em que as cotações de uma mesma moeda estrangeira podem variar em até 15% entre diferentes bancos e casas de câmbio, as startups de câmbio prometem facilitar e agilizar o processo de compra e venda de moedas e remessas para o exterior.

Mas, afinal, o que é uma fintech de câmbio? Como essas empresas funcionam? Quais vantagens elas oferecem? Quais são as opções no mercado brasileiro?

Acompanhe nosso artigo e descubra!

O que é fintech de câmbio?

As fintechs de câmbio são startups do setor financeiro que atuam diretamente na oferta de soluções tecnológicas para o mercado cambial. No Brasil, existem fintechs com diferentes linhas de atuação, que abrangem desde a remessa de dinheiro para o exterior até marketplaces para casas de câmbio.

Entendendo o mercado

Atualmente, cerca de 98% das operações de câmbio no Brasil são feitas por bancos e corretoras. Segundo as regras do Banco Central do Brasil, as fintechs de câmbio só podem realizar operações de até US$ 3 mil. Acima disso, é necessário que as empresas estejam associadas a bancos e corretoras, atuando como correspondentes bancários.

No início do mês de outubro de 2019, foi enviado ao Congresso Nacional um projeto de modernização cambial, que prevê a atuação de fintechs de câmbio no país de forma independente. O objetivo é facilitar a introdução de novas empresas no mercado, capazes de trazer inovação e novos modelos de negócio ao setor cambial.

Segundo o diretor de Regulação do Banco Central, Otavio Damaso, em entrevista coletiva, a ideia é replicar o movimento que foi feito há alguns anos com a abertura do mercado para as fintechs de crédito, medida que aumentou a concorrência e barateou os serviços para o consumidor.

Tipos de fintech de câmbio

Basicamente, as startups de câmbio com atuação no Brasil podem ser divididas em três categorias distintas. São elas:

Comparadores de preço

São soluções que funcionam como marketplaces, comparando os valores em diferentes corretoras e correspondentes cambiais, inclusive integrando ferramentas como geolocalização, para encontrar o local mais próximo do usuário.

Inscreva-se em nossa Newsletter

Faça como milhares de empreendedores e receba os melhores conteúdos sobre o mundo Fintech em sua caixa de e-mail.

Em alguns casos, a compra é feita por sistema de leilão, em que o cliente analisa os valores praticados e informa quanto está disposto a pagar por determinada quantia de moedas estrangeiras. A partir daí, as corretoras cadastradas disputam o lance para garantir a venda.

One stop shop

São soluções em que o usuário realiza a negociação e compra de moedas dentro da própria plataforma, sem a necessidade de acessar sites terceiros. Além disso, são as próprias fintechs que ficam responsáveis por todo o atendimento aos clientes.

O usuário que comprar moedas pode escolher entre retirar o valor no local ou optar pela opção delivery, em que a quantia é entregue no local de trabalho ou residência. Algumas fintechs também oferecem o envio de dinheiro para contas no exterior.

Trocas pessoais

Outro tipo de solução são as startups de câmbio que permitem que os usuários troquem moedas estrangeiras pessoalmente, funcionando como uma espécie de ponto de encontro.

O usuário deve informar a moeda e a quantidade que quer comprar ou vender e esperar o contato de alguém interessado em realizar a transação. Como não há qualquer atrelamento a instituições financeiras, evita-se a cobrança de taxas e impostos, como o IOF (1,1% para dinheiro em espécie e 6,38% para cartão de débito ou crédito).

Vale ressaltar, porém, que essa alternativa é foco de polêmica, uma vez que a legislação obriga que todas as operações de câmbio sejam feitas apenas entre agentes cadastrados no Banco Central.

Vantagens das fintechs de câmbio

Se aprovado, o projeto de lei apresentado ao Congresso promete desburocratizar os processos e reduzir os custos das operações de câmbio para pessoas físicas. No entanto, mesmo assim, as startups que já atuam no mercado conseguem oferecer taxas menores e cotações melhores aos usuários.

Veja o exemplo: o jornal O Globo relata uma simulação de uma remessa de R$ 500 para os Estados Unidos com conversão para dólares e compara os valores praticados por uma fintech de câmbio e um banco convencional. Resultado: a transferência via startup não apenas foi mais vantajosa, como as taxas cobradas pela empresa foram mais de 10 vezes mais baratas do que aquelas praticadas pelo banco.

Por tudo isso, vale destacar as principais vantagens que as principais fintechs de câmbio podem oferecer:

  • Conversões em tempo real;
  • Comparação entre diferentes cotações;
  • Disponibilidade de moedas difíceis de encontrar;
  • Facilidade para encontrar as melhores taxas;
  • Possibilidade de negociação;
  • Possibilidade de realizar compras online e receber o dinheiro em casa, sem a necessidade de se deslocar;
  • Tarifas mais vantajosas;
  • Variedade de opções.

As 10 melhores fintechs de câmbio

Confira agora 10 opções de startups de câmbio com atuação no Brasil.

TransferWise

Lançada em 2011, a Transferwise é uma das fintechs de câmbio mais reconhecidas em todo o mundo, com mais de 6 milhões de usuários. A empresa permite a transferência de moedas para o exterior baseado no câmbio verdadeiro, sem taxas e em tempo real.

Leia mais: Aprenda como usar TransferWise: passo a passo

Recentemente, a fintech lançou o TransferWise Borderless, cartão de débito internacional conectado à conta do cliente. Por meio do site ou do aplicativo, o usuário pode criar carteiras virtuais em mais de 30 moedas, bastando transferir o valor desejado. Ao utilizar o cartão para saques e compras presenciais ou online, o valor é descontado do saldo na conta.

Meu Câmbio

Fundada em 2014, a Meu Câmbio é uma plataforma para a negociação de moedas estrangeiras. Presente em mais de 130 cidades, a solução permite que os usuários comprem online 18 moedas e consultem opções de cartões pré-pagos Visa e MasterCard. Além disso, o cliente pode escolher a forma de retirada do montante (lojas parceiras, aeroportos ou delivery).

A Meu Câmbio também oferece o serviço de transferência internacional, tanto para pessoas físicas quanto jurídicas.

Exchange Now

Criada em 2015, a Exchange Now funciona como comparador de preços, contando com mais de 57 mil estabelecimentos cadastrados em 80 cidades de todo o Brasil.

Por meio do site ou aplicativo, a fintech permite realizar cotações para a compra e venda de mais de 25 tipos de moedas estrangeiras, remessas internacionais e valores para importação e exportação. O usuário que comprar moedas online ainda pode escolher recebê-las via delivery.

Para facilitar a vida do cliente, o aplicativo encontra os pontos de venda por geolocalização e fornece filtros como valor e distância. O app também funciona no exterior, mostrando as casas de câmbio mais próximas.

BeeCâmbio

Com fundação em 2014, a BeeCâmbio é uma casa de câmbio totalmente online, com cobertura em mais de 40 cidades brasileiras. Por meio do site, é possível simular valores, comprar moedas estrangeiras, adquirir cartões pré-pagos e criar alertas para as menores cotações.

A fintech também oferece a possibilidade de retirada ou entrega a domicílio, além de descontos progressivos de acordo com a quantidade de moeda estrangeira adquirida.

Remessa Online

Fundada em 2016 e empresa parceira da BeeCâmbio, a Remessa Online é uma fintech para transferências, pagamentos e investimentos internacionais, além de possibilitar ao usuário receber dinheiro por serviços prestados a companhias estrangeiras e até mesmo valores do Google AdSense.

A Remessa Online utiliza tecnologia blockchain para agilizar e baratear as transferências e promete entregá-las em até 1 dia útil.

Leia mais: O que é Remessa Online: tudo o que você precisa saber.

Neo Câmbio

Criada em 2016, a Neo Câmbio é mais um marketplace no mercado e orgulha-se de ser a única associada à Associação Brasileira de Câmbio (ABRACAM).

O site oferece comparação, negociação e compra de mais de 20 moedas estrangeiras, além de cartões pré-pagos, seguro viagem, remessas internacionais e SIM cards para smartphones.

O usuário que comprar moedas online conta com delivery gratuito e ainda pode escolher o prazo que deseja que a entrega seja feita.

Câmbio Store

Com lançamento oficial em 2016, a Câmbio Store é uma plataforma de comparação e compra de 22 moedas estrangeiras, unindo os usuários às principais casas de câmbio do país.

A fintech ainda permite a aquisição de cartões pré-pagos e oferece serviços como alertas de valores e cotação para a compra de Bitcoin no Brasil.

Monepp

Lançado em 2015, o Monepp é um aplicativo para facilitar o encontro de pessoas interessadas em trocar moedas. Apelidado de “Uber da troca de moedas”, o app tem como objetivo conectar vendedores e compradores sem a necessidade de mediação de instituições financeiras e/ou pagamento de impostos.

O serviço permite a troca de mais de 160 moedas, incluindo Bitcoin. Basta o usuário se cadastrar e informar qual é a moeda que deseja comprar, vender ou trocar. Os interessados devem utilizar a ferramenta de geolocalização com raio limitado e a troca deve ser previamente combinada pelo app e feita pessoalmente.

O aplicativo permite que os usuários se avaliem, criando um ranking de reputação que serve como parâmetro para dar mais segurança a futuras negociações.

MelhorCâmbio.com

Lançado em 2015, o MelhorCâmbio.com funciona como marketplace para a comparação e negociação de moedas. A plataforma permite que o usuário consulte e negocie os valores da operação com as casas câmbio por meio de lances online. O estabelecimento que aceitar a proposta entra em contato com o cliente para concretizar a venda.

A fintech também oferece o serviço de remessas internacionais, realizando a cotação de valores com mais de 750 corretoras. Além disso, o MelhorCâmbio.com possui uma série de parcerias com empresas ligadas ao setor do turismo, como seguros viagem e proteção para bagagens.

TransferHub

Com soluções focadas em empresas, a TransferHub atua sob o slogan “câmbio justo para todos”. A ideia é fazer com que companhias de menor porte tenham acesso às mesmas vantagens cambiais que grandes empresas conseguem para importação e exportação por conta das transações milionárias que realizam.

A fintech permite criar uma operação de câmbio e acompanhar a variação do mercado em tempo real, possibilitando ao usuário escolher o melhor momento para concluir a operação.

Vídeo: TransferHub. Câmbio Justo.

Entender o que é uma fintech de câmbio envolve saber sua definição, quais são suas vantagens, conhecer as opções que estão disponíveis no mercado e saber o que o futuro reserva para o setor.

Para obter essas respostas, só estando muito bem informado. E a melhor maneira para conseguir isso é assinando nossa newsletter. Aqui, estamos sempre trazendo novidades sobre inovações, startups e fintechs. Não fique de fora!

Comentários