É microempresário e está em busca de uma fintech para MEI? Pois saiba que há muitas startups financeiras que trabalham nesse nicho, que podem ajudá-lo a impulsionar sua empresa por meio de processos eficientes, sem burocracia e mais baratos.

Segundo dados do Serviço de Proteção ao Crédito e da Confederação Nacional de Dirigentes (CNDL), três em cada dez micro e pequenos empresários consideram difícil conseguir crédito, sendo o excesso de burocracia e as exigências dos bancos os principais obstáculos citados por 45% desses empreendedores.

Tendo em vista essas dificuldades, não foi à toa que o presidente do SEBRAE, Guilherme Afif Domingos, afirmou: “Se o empreendedor brasileiro é um herói, o MEI é um herói solitário”.

Felizmente, hoje algumas dessas dificuldades podem ser ultrapassadas devido à constante evolução do mercado financeiro. Um exemplo desse progresso é o crescimento e a consolidação das fintechs no Brasil e no mundo.

Um dos motivos dessa ascensão é que essas startups financeiras têm se diferenciado entre as empresas tradicionais e, assim, destacado-se como grandes aliadas para atender a necessidades específicas.

Qual o diferencial das startups fintechs para MEI?

Um bom exemplo do diferencial das fintechs para MEI é o retorno mais rápido proporcionado por elas em relação à liberação de recursos. Outro ponto relevante é que ao mesmo tempo que essas companhias trabalham por meio de processos mais simples e dinâmicos, elas também conseguem manter o caráter personalizado no atendimento.

Essas fintechs conseguem trabalhar dessa forma, pois utilizam tecnologia avançada, como o uso de ferramentas de inteligência artificial, automatização e acesso integrado a bases. Isso permite que suas análises sejam feitas de forma customizada e de acordo com o perfil de cada cliente. Logo, mesmo com tanta tecnologia, o atendimento humanizado não é deixado de lado.

Outra diferença significativa que as fintechs proporcionam é o fato de oferecerem taxas de juros mais baixas, assim como não cobram nada por muitas transações feitas em conta corrente.

Essas facilidades são essenciais para quem empreende, já que o Brasil é um dos países com taxas mais caras do mundo, devido à sua grande concentração bancária.

Inscreva-se em nossa Newsletter

Faça como milhares de empreendedores e receba os melhores conteúdos sobre o mundo Fintech em sua caixa de e-mail.

Quem sofre nesse cenário é o microempreendedor, que busca por soluções mais atrativas para ver o seu negócio decolar. Se você é um deles, continue lendo esse artigo, pois descobrirá quais fintechs trabalham para quem é MEI.

Fintechs para MEI: conheça 7 soluções

Agibank

O Agibank é uma boa alternativa de fintech para MEI. Isso porque essa fintech oferece uma conta digital sem tarifas para o microempresário individual, disponibilizando quatro TEDs gratuitos por mês, quatro depósitos por boleto e dois saques mensais na rede 24h.

Por meio do Agipay, é possível realizar transferências por QR Code, o que pode ser muito bom para quem tem clientes correntistas nessa startup.

Caso o cliente ultrapasse os limites permitidos gratuitos, são cobradas tarifas extras, que são:

Saque

  • Saque nos caixas 24 horas: R$ 6,49;
  • Saque nas lotéricas: R$ 3,99;
  • Saque nos caixas Saque Pague : R$ 6,49.

Boletos

  • Boletos emitidos: indisponível;
  • Boletos liquidados: R$ 1,99 para PJ (quantidade limitada mensal : 30 boletos).

Transferências

  • Para outros bancos: R$ 1,90;
  • Para Agibank: isento.

Pagamentos

  • Boletos, concessionárias, impostos: isento;
  • QR Code: isento.

Banco Inter

Recentemente, o Banco Inter passou a oferecer a Conta Digital para MEI. Sem taxas, essa fintech fornece cartão Mastercard para compras no débito, saques na rede 24h, depósitos de cheques por imagem, boletos, TEDs (com limite de 100 por mês) e agendamento de transferências.

Além disso, o cliente MEI pode adquirir diversos serviços do banco, como seguro para casa ou carro, operações de câmbio e investimentos. Adicionalmente, o app tem o InterPag, que permite transferências entre clientes do banco apenas usando QR Code.

O Banco Inter trabalha com taxas a partir de:

  • Débito: 1,80% por transação;
  • Crédito à vista: 2,0% por transação.

Biva

A Biva trabalha com economia compartilhada, conectando investidores e empresas. A plataforma dessa fintech concede empréstimo para quem é MEI e que quer aumentar o seu capital de giro, expandir a empresa e refinanciar dívidas. Tudo isso é realizado de forma simples e sem burocracia.

Oferecendo empréstimos com prazos de até 24 meses, as taxas de precificação para MEIs são a partir de 2%. Ou seja, também é uma ótima opção de fintech para MEI.

Firgun

Baseada na economia colaborativa para amenizar a desigualdade e facilitar o acesso ao microcrédito para os empreendedores de baixa renda, a Firgun trabalha com empréstimos coletivos.

Para pedir um empréstimo, o microempresário deve estar pelo menos há dois anos empreendendo e apresentar um faturamento de até R$ 200 mil por ano.  O valor máximo dessa transação é de R$ 15 mil.

As taxas de juros são:

  • Empréstimos de até R$3.000 : sem juros;
  • R$3.001 a R$9.000 : 0,5% ao mês;
  • R$9.001 a R$15.000 : 1% ao mês.

No momento em que receber o dinheiro, o empreendedor deve pagar uma taxa para a Firgun, que varia dessa forma:

  • Empréstimos de até R$1.000 : sem taxa;
  • R$1.001 a R$2.000 : 2%,
  • R$2.001 a R$4.000 : 4%;
  • R$4.001 a R$8.000 : 6%;
  • R$8.001 a R$12.000 : 8%;
  • R$12.001 a R$15.000 : 10%.

Assim, dá para compreender por que essa também é uma alternativa interessante de fintech para MEI.

IOUU

A fintech IOUU conta com o chamado “empréstimo social” dentro do modelo P2P Lending. Essa operação não apresenta taxa de juros e é destinada para microemprendedores de baixa renda que faturem até R$ 81 mil por ano.

Quem é MEI pode solicitar empréstimos de até R$ 5 mil, que podem ser parcelados em até 36 vezes. Para isso, é preciso que o negócio tenha, pelo menos, um ano de existência.

Lendico

A Lendico trabalha com empréstimo pessoal para o microempreendedor que deseja começar a empreender. Com taxas de juros (CET) a partir de 2,97% e limite de empréstimo de R$ 1 mil a R$ 50 mil, essa operação só acontece por meio de análise de crédito.

Por meio do site dessa fintech, o microempresário pode pedir a contratação e assinatura e receber o dinheiro em sua conta em até quatro dias úteis. O parcelamento tem o prazo de 36 meses. Em outras palavras, pode ser uma ótima escolha de fintech para MEI.

Neon

Com o objetivo de simplificar a vida do empresário, a fintech Neon tem como plano diminuir o valor das tarifas, que são:

  • Abertura de conta: não há;
  • Manutenção de conta: não há;
  • Encerramento de conta: não há,
  • Emissão dos cartões: não há;
  • Anuidade dos cartões: não há;
  • Transferências entre contas Neon: não há;
  • Uma transferência por mês para outros bancos: não há;
  • Demais transferências para outros bancos: R$ 3,50;
  • Um saque por mês na Rede 24h: não há;
  • Demais saques na Rede 24h: R$ 6,90;
  • 1º depósito via boleto do mês: não há;
  • Demais depósitos via boleto: R$2,90;
  • Compras internacionais: 4% + IOF.

Dica: quer saber mais sobre a Neon e conhecer seus outros benefícios? Então leia este artigo.

Ao longo desse texto, você pôde entender por que as startups financeiras estão revolucionando o mercado, assim como conheceu sete opções de fintechs para MEI.

Quer saber mais sobre o assunto, descobrir quais os melhores serviços oferecidos pelas fintechs e quais delas concedem crédito e empréstimos para empresas? É só clicar aqui.

Comentários