Apesar de serem uma opção relativamente nova, as empresas peer to peer estão crescendo em ritmo frenético. E tem demanda, viu? De acordo com a própria Tutu Digital, uma das plataformas que oferecem esse serviço, a procura por empréstimos em P2P teve um aumento de mais de 30% no primeiro trimestre de 2019 em relação ao trimestre anterior.

Acontece que, com tanta opção e anúncios pipocando no Facebook, Instagram, Google, está ficando difícil distinguir quais são as empresas mais sérias e consolidadas.

Pensando nisso, nós preparamos essa seleção com as 8 principais empresas de peer to peer que atuam no Brasil atualmente.

Vamos saber um pouquinho mais sobre elas?

8 principais empresas peer to peer do Brasil e seus diferenciais

1. BancaClub

Fundado em 2014, o BancaClub é o primeiro mercado de empréstimo em formato P2P do mundo. Através de sua plataforma, tanto empresas quanto pessoas físicas podem pedir empréstimos ou investir.

Seja você um empresário buscando recursos para comprar um novo equipamento, um aposentado em busca de grana para reformar a sala, ou um investidor interessado em emprestar para qualquer uma dessas partes, esse canal é uma alternativa.

O BancaClub em si não faz análise de crédito, porém, um aspecto muito valorizado pelos investidores nesta opção é o histórico de crédito do captador. Alguém com score baixo dificilmente vai conseguir engajar investidores em sua causa, entretanto também existe o critério da avaliação social. Captadores com classificação positiva na opinião de outros investidores ganham pontos na comunidade, por exemplo.

Outro detalhe é que a plataforma do BancaClub protege integralmente a privacidade dos seus usuários. É possível captar e investir de forma totalmente anônima.

2. Biva

“A economia compartilhada é a melhor alternativa para que todos possam crescer, pois sozinho ninguém consegue nada.” Esse é o lema da Biva, primeira empresa a oferecer o empréstimo peer to peer no Brasil. O objetivo é ajudar microempreendedores e pequenas empresas a se conectarem com centenas de investidores, sem passar pelas burocracias dos bancos.

Para captar recursos por meio da Biva, a única exigência é um CNPJ de no mínimo 12 meses de existência e ter toda a documentação da empresa em ordem.

Inscreva-se em nossa Newsletter

Faça como milhares de empreendedores e receba os melhores conteúdos sobre o mundo Fintech em sua caixa de e-mail.

Restrições no nome do titular ou sócio serão avaliadas, mas só serão um problema em caso de situações muito graves. Em boa parte das vezes é possível conseguir crédito na Biva mesmo estando negativado.

O processo na plataforma funciona assim:

  • A empresa entra com pedido de empréstimo;
  • Os especialistas da Biva avaliam;
  • Se aprovada, a empresa é adicionada a uma espécie de “portfólio” com outras empresas similares a ela;
  • Esses portfólios são colocados à disposição dos investidores;
  • Assim que decidem em quais empresas vão aplicar, os investidores têm 15 dias para levantar o valor solicitado;
  • Quando o dinheiro é conseguido, o crédito cai diretamente na conta das empresas;
  • A partir daí as captadoras receberão boletos para pagar o empréstimo a prazo e os investidores receberão uma renda fixa corrigida.

3. BizCapital

De uma lado, micro e pequenas empresas solicitando empréstimo rápido para estabelecer seu capital de giro. Do outro, instituições financeiras diversas. E, no meio, a BizCapital intermediando tudo.

A BizCapital também é uma das principais empresas de peer to peer no Brasil. Trata-se de uma correspondente bancária que atua acessibilizando a relação entre pequenas empresas instituições de crédito.

Ela oferece empréstimos de até R$ 100.000 para serem pagos em até 12 meses com taxas a partir de 1,99%.

Para solicitar um empréstimo via BizCapital o processo é o seguinte:

  • Preencha um formulário no site;
  • Receba seu limite e a taxa de juros definidos de acordo com seu negócio;
  • Simule seu empréstimo, agora com os valores com o limite e a taxas exatos;
  • Contrate o empréstimo e envie todos os documentos solicitados;
  • Aguarde a aprovação;
  • Assine o contrato de forma totalmente online;
  • Receba o depósito em até dois dias úteis.

4. IOUU

A IOUU é um marketplace de P2P focado em ajudar micro e pequenos empreendedores a captarem recursos de forma rápida e sem burocracia.

A plataforma trabalha com três produtos:

  • Empréstimo coletivo — de R$ 30 mil a R$ 500 mil — voltado às pequenas e médias empresas com faturamento acima de R$ 360 mil;
  • Empréstimo de impacto — de mil a cem mil reais — voltado às microempresas e microempreendedores individuais;
  • E empréstimo social — até R$ 5 mil — voltado aos nano empreendedores e MEIs de baixa renda.

Quanto aos investidores, esses podem começar com aportes super acessíveis, a partir de R$ 100.

5. Kavod Lending

Fundada em 2017, a Kavod Lending é uma correspondente bancária. Por meio dela tanto pessoas quanto empresas podem investir em pequenas empresas.

O foco da plataforma são franqueados com ao menos uma loja operando, no mínimo dois anos de atuação e faturamento superior a seis milhões/ano.

Para investir na Kavod Lending é preciso começar com aportes a partir de R$ 10 mil. Já os empréstimos estão disponíveis a partir de R$ 400 mil.

E todas as operações contam com garantias reais como imóveis ou recebíveis.

6. Mutual

Fundada em 2018, a Mutual é a mais nova das empresas de peer to peer desta lista, porém ela já chegou chegando. Essa fintech já conta mais de 200 mil usuários cadastrados e já realizou mais de 6 milhões de empréstimos.

“Pessoas emprestando para pessoas, simples assim” é o que dizem todas as comunicações da marca. Isso porque, na Mutual, tanto os captadores quanto os investidores são pessoas físicas.

A meta é atingir a quantia de R$ 100 milhões de empréstimos até o final deste ano.

7. Nexoos

A Nexoos é uma das mais conhecidas empresas de peer to peer. Ela é totalmente focada em captadores corporativos, ou seja, empresas. Porém, diferente da Biva, a Nexoos trabalha com empresas maiores e com mais tempo de mercado.

Para solicitar um empréstimo na Nexoos uma empresa precisa:

  • Estar aberta há mais de 12 anos
  • Ter faturamento superior mínimo de R$ 250.000;
  • Estar com os documentos em dia;
  • Não estar negativada.

Para aprovar um pedido de empréstimo a Nexoos avalia:

  • Se o faturamento por mês da empresa não é menor que o pagamento da parcela do empréstimo;
  • Histórico financeiro da empresa, como relatórios, DREs, Banco Central e Serasa;
  • Histórico do imposto de renda e pessoal de todos os sócios.

Só após essa análise é que será definido qual a taxa de juros essa empresa irá pagar pelo empréstimo.

8. Tutu Digital

“Empréstimo para empresas, financiados por pessoas” é a chamada na página inicial do site da Tutu Digital.

A Tutu Digital é a responsável pelo estudo que mencionamos lá na introdução deste conteúdo. Essa plataforma tem como principal motivação ajudar pequenas empresas a expandirem seus negócios por meio de investimentos feitos por pessoas físicas.

Funciona assim:

  • A empresa acessa o site e solicita o empréstimo;
  • O pedido é submetido a aprovação;
  • Se aprovado, o pedido é divulgado para os investidores;
  • Os investidores interessados informam quanto estão dispostos a investir;
  • Se as duas partes concordarem a empresa recebe o valor e os investidores o seu pagamento mensal corrigido.

Se você quiser entender mais sobre como funcionam os investimentos e empréstimos nas empresas peer to peer, dá uma olhada nesse episódio do programa ExplicaAna, da InfoMoney, com o Daniel Gomes, fundador da Nexoos:

Quer mais opções? Conheça outras 4 fintechs de financiamento.

E não se esqueça de assinar a nossa newsletter para ficar por dentro de tudo que acontece no mundo das fintechs!

Comentários