Você sabia que mesmo com a pandemia as fintechs do Brasil tiveram um crescimento? Uma das últimas pesquisas de mercado fintech mostra o avanço do país não só na América Latina, mas no mundo.

O relatório que mostra esse aumento do mercado fintech no país é o “2021 Global Fintech Rankings”. Nele, o Brasil aparece em primeiro lugar em comparação a outros países da América Latina. Já em relação ao mundo, ele surge  na 14ª posição. 

Mas o que pode ter provocado números tão bons em meio a uma crise? Alguns fatores podem ser “culpabilizados” pelo boom das fintechs.

  • Distanciamento social;
  • Adaptação do físico para o digital;
  • Menos burocracia em um momento já muito difícil. 

Só para efeito de comparação, uma pesquisa de mercado fintech organizada pelo Distrito Dataminer, indicou que até julho de 2021 já tinham sido investidos 2,4 bilhões de dólares no mercado fintech brasileiro. Esse número representa quase 1 bilhão a mais do que o investido em todo o ano de 2020. 

Para você entender melhor todo esse crescimento, acompanhe o gráfico abaixo.

pesquisa de mercado fintech
Fonte: Pesquisa Distrito Dataminer

Um aumento bem nítido, né? E, ao que tudo indica, esse crescimento tende a continuar. O avanço nas soluções financeiras pelos aplicativos é uma das apostas.

Pelo menos é o que mostra a última Pesquisa Fintech Deep Dive. A aposta é no Pix e no Open Banking. Esse último, ainda não tão conhecido, pois tem previsão de ser posto em prática, de fato,  apenas em 2022. 

Mesmo o Brasil avançando nas posições em comparação com outros países vizinhos, será que a maioria das regiões percebe esse crescimento? Continue por aqui para entender mais sobre o mercado nacional das fintechs.

Pesquisa de mercado fintech: sudeste concentra maioria das startups financeiras

Já percebeu que o mercado fintech no Brasil está se expandindo, né? Mas essas startups financeiras  ainda estão bem concentradas nos grandes centros. 

Com a pesquisa de mercado fintech da Deep Dive, ficou nítido que no sudeste do país é onde as fintechs estão. Mais especificamente na cidade de São Paulo, onde estão sediadas 66% destas startups. 

O número já é bem expressivo se olhado apenas para o Brasil, mas quando colocamos em escala mundial ele fica ainda mais. São Paulo figura a quarta posição no número de fintechs. A cidade está atrás apenas de São Francisco (EUA), Londres (Inglaterra) e Nova York (EUA), respectivamente. 

Além dessa prevalência do sudeste na pesquisa de mercado fintech no Brasil, o relatório mostrou também quais os serviços que mais estão atraindo os clientes até as startups financeiras. São eles: 

  • segmento de créditos, financiamentos e negociação de dívidas (21%);
  • meios de pagamento (16%);
  • gestão financeira (9%);
  • bancos digitais (9%);
  • banking as a Service (7%).

Mas, se você quer começar a sua própria fintech e não está no sudeste, isso não é motivo para desânimo! Esse mercado segue em constante crescimento. No entanto, é sempre bom estar atento aos requisitos básicos para o sucesso da fintech

Aproveite e confira: Entenda o que é fintech de educação financeira e conheça as melhores do Brasil

Mercado fintech x bancos tradicionais no Brasil

A pesquisa de mercado fintech ajuda, e muito, a entender esse crescimento meteórico na pandemia. Mas se acha  que as fintechs começaram há pouco tempo, saiba que está muito enganado!   

Antes de qualquer coisa, é importante frisar que essas empresas  já estão em solo nacional há um tempinho. Claro, nada que se compare ao tempo de atuação dos bancos tradicionais. 

Durante muitos anos os bancos tradicionais eram as únicas opções para uma pessoa física ou jurídica ter uma conta para receber salário e administrar suas finanças. E por ser físico, tudo deveria ser resolvido indo até uma agência, o que poderia levar o dia inteiro. 

Com a chegada e avanço da tecnologia e também da internet os hábitos das pessoas passaram a ser outros. E foi percebendo essa mudança que as startups financeiras começaram a ganhar seu espaço. 

Afinal, o que você prefere: ir até uma agência física e esperar para ser atendido em uma fila ou ser atendido de casa pelo seu celular?

Preciso responder? 😅

Atualmente o tempo é ainda mais precioso! Então quanto menos tempo em fila ou no deslocamento até uma agência o cliente levar, melhor. 

Principais diferenças entre fintechs e bancos tradicionais/físicos

Mesmo lidando com uma peça em comum, a vida financeira das pessoas, bancos e fintechs tem as suas diferenças. Confira algumas delas abaixo.

Nascida com a internet x Se adaptando ao digital

A primeira grande diferença é também a mais nítida. As fintechs surgiram, como já disse alí em cima, da ausência de um modelo mais digital e dinâmico nos bancos tradicionais. 

E por terem nascido já nesse meio, elas acabam ganhando uma vantagem para lidar com ele. Serviços e atendimentos mais ágeis e facilitados foram os principais atrativos para que as pessoas começassem a aderir às fintechs. 

Mas não pense que os bancos tradicionais estão ficando de fora, tá? Instituições como Itaú e Bradesco se aliaram ao modelo fintech para agregar ainda mais valor aos seus serviços. 

Agilidade x Burocracia 

Mesmo se adaptando ao digital, muitos serviços nos bancos tradicionais ainda passam por processos burocráticos e demorados. Situação que as fintechs não vivenciam . Todos os atendimentos podem ser feitos pelo celular. 

Fintechs do Brasil: quais são as mais famosas? 

Agora que já está entendendo com as pesquisas de mercado fintech um pouco mais sobre o avanço dessas startups no Brasil, chegou o momento de conhecer as principais. 

Nubank

A “abelha rainha” das fintechs brasileiras começou a caminhar em 2013. Focada na desburocratização dos serviços e também no relacionamento com o cliente, o Nubank se tornou uma gigante das fintechs.

O Nubank cresceu tanto que apenas cinco anos depois da sua criação ele entrou para a seleta lista de startups unicórnios. Explicando rapidamente, as unicórnios são startups que alcançam o valor de 1 bilhão de dólares em investimentos. 

Ele foi a terceira startup brasileira a se tornar unicórnio. Esse é um feito muito importante para o mercado das fintechs nacionais. Afinal, conseguir investidores não é uma tarefa fácil.

Neon

Outra startup financeira que está crescendo é a Neon. Criada em 2016, a fintech já passou por altos e baixos, se recuperando em 2019 com a compra de outra startup: a MEI Fácil. 

Essa jogada foi a sobrevida da Neon, que passou a agir mais em parceria com os microempreendedores brasileiros. No início de 2021, a fintech já havia ultrapassado a marca de 10 milhões de clientes. Esse número representa mais que o dobro de clientes de 2019 (3 milhões). 

Zoop

A última fintech da nossa lista é também a que ajuda muitas outras startups. A Zoop foi fundada em 2014 e tem como ideal oferecer serviços para facilitar os processos de pagamento de outras empresas. 

O IFood é uma das startups que utilizam os serviços da Zoop. Com a tecnologia do Zoop Payments,  o empreendedor pode ter todas as opções de pagamento dentro de sua própria loja ou site. 

E aí, gostou do conteúdo? Agora que você já sabe como anda a situação das fintechs brasileiras com as diversas pesquisas de mercado fintech, tá esperando o que para se inteirar ainda mais sobre esse mundo? 

No nosso blog,  você confere tudo o que de mais interessante está acontecendo nas fintechs brasileiras.

Comentários