No farol financeiro, você está parado no sinal vermelho? Talvez esperando no amarelo? Ou ainda acelerando no verde? Hoje, vamos te mostrar como organizar as finanças pessoais para sair das dívidas e começar a lucrar. 

Vale lembrar que, mesmo em tempos de crise de covid-19, é possível sim colocar as contas em dia. Mas isso requer planejamento, esforço e, principalmente, disciplina. Isso porque nem sempre é fácil deixar de comprar, com tantas ofertas que chegam o tempo todo. 

Então, antes das dicas de como organizar as finanças pessoais, vamos “voltar” uma casa no tabuleiro. Afinal, a chave do sucesso é a maneira com a qual lidamos com o dinheiro. Neste vídeo, você vai conhecer a regra 50/30/20 de organização financeira. Ou seja, a divisão é a seguinte: gastos essenciais (50%), lazer (30%) e metas para o futuro (20%).

Dívidas: como organizar as finanças pessoais e sair do vermelho?

Se você tem dívidas (ou não quer se endividar), prepare-se para apertar os cintos na sua gestão financeira. Por sinal, o endividamento já atinge 70% dos brasileiros, o que é bem preocupante. No fim das contas, é vital saber como organizar as finanças pessoais para não ficar sempre no vermelho.

Pensando nisso, aqui estão algumas dicas para sair das dívidas (e nunca mais voltar para essa cilada): 

  • primeiramente, descubra qual é o “tamanho” do problema. Em outras palavras, verifique o impacto dessa dívida no orçamento pessoal (ou familiar, se for o caso);
  • a seguir, coloque tudo na ponta do lápis usando uma planilha de controle financeiro. Por exemplo, você pode criar a sua própria versão ou ainda usar uma já pronta, como a do InfoMoney;
  • em seguida, corte os gastos desnecessários para não entrar no efeito bola de neve. Para isso, vale entender a diferença entre gastos supérfluos e gastos necessários;
  • por sinal, tente trocar uma dívida cara por uma mais barata. Para exemplificar, os juros do cartão de crédito chegam a 306,2% ao ano. Por outro lado, um empréstimo pessoal custa 82,97% (não consignado) e 29,42% (consignado). Assim, você pode solicitar um crédito pessoal para se livrar da fatura do cartão e pagar menos juros. 

Bônus: podcast para saber como organizar as finanças pessoais

Para colocar as contas em dia, nada melhor do que ouvir um expert em finanças pessoais, não é mesmo? Logo, confira os insights do planejador financeiro Davi Augusto Rodrigues para fazer uma boa gestão do dinheiro. 

💣Alerta de spoiler! 

Nas palavras dele próprio:

Uma boa gestão das finanças é entender como usar o dinheiro, para ele me aproximar dos meus objetivos. O dinheiro não é um fim, mas um meio através do qual você alcançará seus objetivos.

Equilíbrio entre receitas e despesas: como organizar as finanças pessoais?

Depois de se livrar das dívidas, você está a um passo de descobrir como organizar a vida financeira pessoal. Para tal, o “pulo do gato” é manter o equilíbrio entre as receitas e as despesas. Isto é, tudo que “entra” de dinheiro e, também, tudo que “sai” do orçamento.

E, para te ajudar nisso, vale pesquisar ferramentas práticas na web, sendo que muitas delas são gratuitas:

Começando a investir: como organizar finanças pessoais?

Além de gastar menos do que ganha e, ainda, fazer uma reserva para imprevistos, o que vem adiante? Para fechar com chave de ouro, o hábito de investir é fundamental para ter uma vida financeira saudável. 

Dessa maneira, vamos falar dos investimentos que te ajudam a saber como organizar as finanças pessoais. E, ao mesmo tempo, lucrar com os recursos investidos, levando em conta essas estratégias:

  • hoje e sempre, aposte na educação financeira. Nesse caso, você pode fazer um curso online e gratuito, como o “Mercado financeiro de A a Z”, da ANBIMA. Ou ainda acompanhar podcasts que ajudam a investir melhor, a exemplo do Investidor Cast.
  • outro ponto-chave é entender qual é a sua tolerância aos riscos e às volatilidade do mercado. Portanto, vale fazer um teste online para descobrir qual é o seu perfil de investidor. Seja conservador, moderado ou arrojado (agressivo e sofisticado), isso vai dar um norte para você. Com isso, o retorno dos seus investimentos será compatível com o seu “apetite” aos riscos;
  • por último, não esqueça de diversificar os ativos. E, por falar nisso, lembre-se daquele ditado: “não coloque todos os ovos na mesma cesta”? Pois bem! Aqui, o ideal é otimizar a performance separando os recursos entre renda fixa, renda variável etc.  

E então, o que achou dessas dicas de como organizar as finanças pessoais? Para saber mais sobre o assunto, continue navegando nos posts da Fintech. Dessa forma, você pode unir o útil ao agradável, já que os nossos conteúdos são feitos na tática de ganha-ganha. 

Enquanto você equilibra as contas, também já vai pensando em lucrar para um futuro muito mais tranquilo. E aqui vão alguns artigos especialmente preparados para te ajudar nisso:

Até a próxima! 🤑

Comentários